27 de fevereiro de 2018, 20:36

COLUNISTASContran regulamenta vistoria veicular

Maurício Bacelar

Coluna: Engenharia

Maurício Bacelar é engenheiro civil e foi diretor-geral do Detran (2015). Ele também foi secretário de Obras da Prefeitura de Dias 'Ávila (1986), diretor do Copec (1987) e secretário de Infraestrutura da Prefeitura de Camaçari (2002). Ele escreve uma coluna semanal no Política Livre às segunda-feiras.

- Engenheiro Civil - 1985
- Secretário de Obras da Prefeitura Municipal de Dias D'Ávila - 1986
- Diretor do Copec - Complexo Petroquímico de Camaçari - 1987
- Secretário de Infraestrutura da Prefeitura Municipal de Camaçari - 2002
- Diretor Geral do Detran-Ba - 2015

Listar artigos

Ninguém gosta de ser taxado, onerado, principalmente nestes tempos de desemprego e de perdas salariais. A regulamentação da vistoria veicular vai onerar os proprietários de veículos, é verdade, mas é preciso custear este investimento na segurança viária, na proteção da vida.

A sociedade precisa conscientizar-se da tragédia que assola o trânsito. As milhares de vida ceifadas, o exército de sequelados, o trauma causado às pessoas, a oneração da previdência social, entre tantos outros danos, precisam ser estancados. O trânsito está perverso, mata os mais jovens, mata as pessoas que mais movimentam a economia brasileira. No Brasil, mata mais do que qualquer guerra que esteja em andamento hoje no mundo, acreditem!

Os governos e a sociedade civil organizada têm desenvolvido ações para informar, conscientizar, educar, fiscalizar e punir os que teimam em não respeitar a legislação e colocar em risco suas vidas e de terceiros. Estas ações têm dado resultado, o número de acidentes e mortes no trânsito estão diminuindo, mas, mesmo assim, ainda é uma tragédia.

A vistoria veicular é mais um passo na defesa da vida. Alguns estados da federação tinham se antecipado e já realizavam a ação, entendiam que a decisão de implementar a medida era de competência estadual. A Bahia foi um destes estados. Mas a ação de proteção à vida foi politizada. Surgiram “defensores” dos interesses do povo, que no afã de aparecer, afinal como foi dito, ninguém quer ser onerado, judicializaram o tema. Fizeram a opção da politicagem, dos holofotes e com certeza, contribuíram para muitas mortes. O governador Rui Costa, numa mediada preventiva, enxergando a judicialização e a politização do tema, determinou a suspensão das vistorias para licenciamento.

Agora normatizada pelo Conselho Nacional de Trânsito – Contran as vistorias serão realizadas de 2 em 2 anos nos veículos leves e nos de transporte de cargas e passageiros o prazo será menor. A depender da finalidade do transporte, veículos novos passam a ser vistoriados a partir do terceiro ano. A norma, obrigatória em todo o país, deverá entrar em vigor até 31 de dezembro de 2019.

A vistoria veicular, já utilizada em diversos países, é um instrumento importantíssimo na diminuição dos acidentes de trânsito. Nossa frota de veículos é velha, aqui na Bahia, a idade média dos caminhões é de 20 anos e dos veículos leves é de 12 anos. Uma frota dessa precisa, periodicamente, ser vistoriada. Veículos, que não estejam em condições seguras de circular, serão impedidos de rodar, diminuindo, consequentemente, a possibilidade de acidentes.

A vida agradece!

Comentários