18 de maio de 2018, 11:54

COLUNISTASA importância do BRT para a mobilidade urbana de Salvador

Luiz Eduardo Romano

Coluna: Direito

Graduando em Direito pela Universidade Federal da Bahia - UFBA. Vice Presidente Institucional da Juventude Democratas da Bahia.

Listar artigos

Uma das áreas de maior preocupação nos grandes centros é a mobilidade urbana. Em Salvador não é diferente, sendo indispensável aos gestores públicos a criação de alternativas que confiram à população possibilidades de materializar o seu direito de ir e vir pelas vias da primeira capital do Brasil, seja para cumprir com suas obrigações ou em direção às atividades de lazer.

Com o escopo de criar uma alternativa moderna de transporte, o Prefeito ACM Neto teve a iniciativa de propor o Bus Rapid Transit, o BRT, para ser implementado em solo soteropolitano. Promessa realizada na campanha eleitoral de 2012, o primeiro trecho, que fica entre o Parque da Cidade e a estação integrada com o metrô na região do Shopping da Bahia, totalizando 2,9 quilômetros de extensão, já teve a sua execução iniciada pelo consórcio responsável. O investimento é de R$ 212 milhões de reais para a etapa inaugural.

Trata-se de um empreendimento moderno e inovador, atualmente implementado em cerca de 170 cidades do planeta, a exemplo de Paris e Bogotá, em expansão em mais de 50 e em precisas 121, incluindo Salvador, em fase de iniciação, que beneficiarão milhares de usuários do transporte público. No canteiro de obras serão gerados 700 empregos diretos, conferindo oportunidade de trabalho e renda a quem precisa. Está prevista também a realização de obras de micro e macrodrenagem para sanar os problemas críticos de alagamento na região das Avenidas ACM e Juracy Magalhães.

A implementação do BRT não se resume à inserção de um novo modal de transporte público de massa. O projeto em sua completude estabelece a construção de viadutos (Parque da Cidade – Lucaia; Lucaia – Iguatemi e o terceiro também no Iguatemi, nas proximidades do viaduto Raul Seixas), ciclovias e linhas exclusivas, com o intuito de reduzir congestionamentos, amplificar a fluidez no trânsito e ofertar aos munícipes uma opção de transporte público mais confortável e seguro.

Destaque-se que o BRT, além de fazer parte da integração para com o ônibus convencional e o metrô, terá capacidade de transportar 31 mil pessoas por hora, em horários de maior movimento. Os veículos utilizados pelo sistema serão da espécie de ônibus articulados com capacidade para 170 passageiros, portas largas e comprimento máximo de 23 metros, cuja velocidade operante será de 25 a 40 km/h, reduzindo drasticamente o tempo durante o transcorrer do percurso dos 340 mil usuários por dia.

A preocupação com as consequências ambientais foi elemento prioritário por parte do poder público municipal. Das 154 árvores que serão retiradas do canteiro central para a realização da obra, mais de 2 mil novas mudas serão plantadas, sendo 300 na região da Via Expressa e 1700 no entorno do modal do BRT, além do transplante de outras 169 árvores, sendo a maior parte delas a ser alocadas no Parque da Cidade.

Em razão de todo o exposto, consideramos o BRT um avanço significativo para a mobilidade urbana da capital baiana, que será revolucionada a partir de tal iniciativa, essa que congloba modernidade, sustentabilidade ambiental e desenvolvimento. A Prefeitura de Salvador concebe mais uma valorosa iniciativa e quem ganhará diretamente com isso é a população.

Comentários