Frase do dia

Existe uma medida para acabar com a corrupção: tirar o PT do governo!

Aécio Neves, no debate com Dilma da Rede Globo de Televisão comentar

25 de outubro de 2014, 12:00

BRASIL Janot defende prisão domiciliar para José Dirceu

Foto: Divulgação

Ex-ministro da Casa Civil José Dirceu

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu a transferência do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu para a prisão domiciliar. Condenado a 7 anos e 11 meses de prisão por envolvimento com o esquema do mensalão, Dirceu cumpre desde novembro pena em Brasília no regime semiaberto, no qual tem permissão para sair da penitenciária durante o dia para trabalhar. Pela legislação criminal brasileira, um preso tem o direito de requerer a transferência para um regime mais ameno após o cumprimento de um sexto da pena. Dirceu teria assegurado esse benefício apenas no próximo ano. Mas, por ter trabalhado num escritório de advocacia e estudado durante o período do encarceramento, ele poderá reduzir alguns meses dessa conta. Assim, desde o último dia 20 ele tem em tese o direito de progredir para o regime aberto que, em Brasília, é cumprido em prisão domiciliar. “Em consulta aos dados de sua execução penal, verifica-se que o apenado cumpriu mais de onze meses no regime semiaberto, além de remir 142 dias de sua pena, fatos que inexoravelmente conduzem a constatação do atendimento do requisito objetivo (…), qual seja, o cumprimento de um sexto de sua pena no regime inicial semiaberto”, afirmou Janot no parecer. “Verifica-se, ainda, o atendimento ao requisito subjetivo – bom comportamento carcerário – comprovado pelo diretor do Centro de Progressão Penitenciária de Brasília”, acrescentou. “Não há óbice à progressão de regime almejada”, concluiu. Após o parecer de Janot, o pedido deverá ser analisado pelo novo relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso. A expectativa é de que ele autorizará a transferência de Dirceu para o regime aberto. No entanto, antes de ir para casa, o ex-ministro da Casa Civil terá de comparecer a uma audiência com um juiz do Distrito Federal na qual serão explicadas as regras do regime aberto. A defesa espera que isso ocorra até o início de novembro.

Agência Estado

25 de outubro de 2014, 11:45

BRASIL Imprensa espanhola destaca ataques de Aécio

A estratégia de Aécio Neves (PSDB) de atacar a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) no debate de ontem a noite foi destacada em alguns veículos de comunicação europeus, especialmente na Espanha e Portugal. O jornal espanhol El País diz que o tucano “usou os últimos cartuchos” contra a adversária e a emissora portuguesa RTP destacou que as denúncias envolvendo a estatal Petrobras dominaram o debate. Para o El País, o candidato tucano partiu para o ataque para tentar reduzir a vantagem de Dilma registrada nas pesquisas mais recentes. “Aécio aproveitou o horário de máxima audiência no canal de televisão mais visto do Brasil para voltar à carga com as acusações de corrupção e de mau uso da máquina pública”. Para o jornal, Dilma esteve “na defensiva” e discursou especialmente para os mais pobres. Reportagem transmitida pela emissora RTP de Portugal diz que o debate da Rede Globo “não trouxe grandes novidades” e que as denúncias de corrupção voltaram a dominar o debate. A reportagem exibida no principal telejornal das manhãs da emissora destacou a publicação de nova denúncia pela revista “Veja”, tema explorado pelo tucano e a depredação registrada ontem em frente à editora dona da publicação em São Paulo. No Reino Unido, a página da BBC na internet publicou artigo sobre a disputa em Minas Gerais, terra de Dilma e Aécio. O debate de sexta-feira e as novas denúncias de corrupção, porém, parecem não ter interessado muito os veículos de comunicação britânicos.

Fernando Nakagawa, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 11:30

BRASIL Pesquisa CNT/MDA mostra empate técnico

Foto: Divulgação

Dilma e Aécio disputam Presidência neste domingo

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta manhã mostra o candidato à presidência do PSDB Aécio Neves numericamente à frente da candidata à reeleição Dilma Rousseff, mas em empate técnico. De acordo com o levantamento, o tucano teria hoje 50,3% das intenções de votos válidos contra 49,7% da candidata do PT à Presidência da República. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%. O levantamento mostra que o candidato tucano oscilou em alta e a candidata à reeleição oscilou para baixo. Pesquisa anterior CNT/MDA mostrava que o porcentual de votos validos para Aécio era de 49,5% contra 50,5% de Dilma. A intenção de voto espontânea também mostram os candidatos empatados tecnicamente com Aécio Neves levando 44,4% dos votos e Dilma 43,3% do total. Na pesquisa estimulada os números vão a 45,3% para o candidato tucano e 44,7% para a candidata à reeleição. A sondagem mostra que 43,3% dos entrevistados não votaria em Dilma de jeito nenhum enquanto no caso de Aécio, 42,8% dos consultados não votariam nele de jeito nenhum. No levantamento anterior, 41% não votariam em Aécio e 40,7% não votariam em Dilma. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR – 01199/2014 e realizada nos dias 23 e 24 de outubro com 2.002 pessoas entrevistadas em 137 municípios de 25 Unidades da Federação.

Bianca Ribeiro, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 11:15

BRASIL Mercadante e Pimentel veem boa perspectiva de Dilma

Na véspera da votação do segundo turno da disputa presidencial, o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, afirmou que as perspectivas para a candidatura petista são boas diante dos números apontados nas últimas pesquisas, mas que é preciso aguardar os resultados das urnas. “A expectativa é muito boa. Mas a gente tem que ter humildade e pé no chão até o último momento. Vamos esperar o resultado de amanhã”, disse ao Broadcast. Apesar do tom de cautela de Mercadante, o clima era de otimismo entre os integrantes da cúpula da campanha petista que ainda estavam no hotel Windsor Barra, no Rio, na manhã deste sábado. O local serviu como uma espécie de quartel general do PT nos dias que antecederam o último debate entre os candidatos à Presidência, na noite de ontem. Um dos homens de confiança de Dilma, Pimentel considerou o debate de ontem previsível. “Os dois candidatos se comportaram como o eleitor previa. Acho que o debate não deve servir para mudar o que as pesquisas já estão indicando”, disse. As últimas pesquisas de intenção de voto de institutos de peso apontam vantagem da candidata petista sobre o tucano Aécio Neves (PSDB). Questionado sobre os fatores que teriam influenciado a virada dos resultados em favor de Dilma na última semana, Pimentel disse que Aécio “errou a mão” na ideia de que seria o candidato da mudança. A leitura do governador mineiro é que ao assumir uma postura de oposição frontal ao governo Dilma, Aécio pode ter assustado o eleitor, enquanto a candidata do PT se propõe a mudar sem colocar em risco as conquistas sociais alcançadas nos últimos anos. “O Brasil não quer essa mudança com característica tão radical, virulenta”, disse. Pimentel ironizou o discurso repetido por Aécio de que pretende “libertar” o País. “O que é isso? O Brasil está vivendo uma escravidão, uma ditadura? De onde ele tirou esse termo? Acho que ele errou a mão. Agora vamos ver o que a urna vai falar”, afirmou.

Mariana Durão, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 11:00

BRASIL Aécio demonstra otimismo ao deixar apartamento no Rio

Pouco mais de dez horas após o último debate antes da eleição para a Presidência da República, o candidato do PSDB, Aécio Neves, demonstrou otimismo quanto a uma vitória neste domingo. Ao deixar seu apartamento na zona sul do Rio, Aécio foi rodeado por eleitores e passou cinco minutos posando para fotos e distribuindo cumprimentos. “É isso (apoio) que estou vendo no País inteiro. Nós vamos ganhar a eleição”, afirmou o candidato. Ele estava a caminho de São João Del Rei, em Minas Gerais, onde visitará o túmulo do avô Tancredo Neves, como costuma fazer em suas campanhas eleitorais. Sorridente, Aécio pediu o apoio e a confiança aos eleitores que se aglomeravam para fazer selfies. Torcedor do Cruzeiro, ele ainda brincou com um menino que vestia uma camiseta do Internacional. “Ih, torcedor do Inter, é?”, comentou, enquanto tirava uma foto com o garoto. “Torce por mim amanhã”, pediu o candidato. A visita ao túmulo de Tancredo Neves será o último ato de campanha de Aécio. Sua participação em uma caminhada no centro de Belo Horizonte chegou a ser cogitada, mas, de acordo com sua assessoria, ele irá para a capital mineira somente no domingo, onde irá votar e aguardar o resultado da eleição.

Marcio Dolzan, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 10:45

BRASIL ‘Só Deus sabe’ horário do resultado, diz Toffoli

Foto: Divulgação

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli, afirmou que “só Deus sabe” em qual horário do domingo será conhecido o resultado da eleição presidencial. Toffoli disse que às 20 horas, após o encerramento das eleições no Acre, serão abertos os telões com os dados da apuração. “Ninguém sabe, só Deus sabe que horas estará somado no computador”, disse, em referência ao resultado final. Toffoli confirmou que haverá sessão do TSE às 12 horas deste sábado, mas afirmou não saber se foi incluído na pauta o pedido de resposta do Partido dos Trabalhadores em relação à reportagem da revista Veja. “Analisaremos qual é o pedido, eu nem sei qual é”, disse, sem informar qual tipo de punição caberia. Da mesma forma que fez antes do primeiro turno, o TSE realizou na manhã de hoje a conferência do sistema de totalização da apuração das eleições de 2014. Na prática, a intenção é garantir que não há risco de fraude. “É a garantia de que aquilo que foi votado na urna eletrônica é o que está totalizado. Além disso, logo que se encerra a urna, emite-se boletins de urnas que são entregues aos fiscais do partidos, que podem fazer conferência”, explicou Toffoli. Os técnicos do TSE fizeram a conferência das assinaturas eletrônicas que estão nos sistemas de programação e de transferência de dados das urnas para os tribunais regionais e dos tribunais regionais para o TSE. “Tudo ocorreu perfeitamente, sem problemas”, disse Toffoli.

Laís Alegretti e Mariângela Gallucci, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 10:30

BRASIL Debate deve reduzir porcentual de indecisos

O último debate entre os dois candidatos à presidência, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), promovido na noite de ontem pela TV Globo, deve reduzir o porcentual de eleitores indecisos nas pesquisas deste sábado, avalia a socióloga e especialista em pesquisas eleitorais, Fátima Pacheco Jordão. “Até ontem, segundo as pesquisas Datafolha e Ibope, ainda havia uma parcela de cerca de 15% de pessoas que declaravam poder votar em qualquer um dos dois candidatos. O debate de ontem teve uma audiência recorde, o que mostra que os eleitores buscavam informações para tomar uma decisão”, afirmou. Ainda segundo ela, a melhora do nível de discussão entre os presidenciáveis também pode contribuir para a formação de opinião do eleitorado. Para Fátima, na comparação com os debates anteriores realizados pela TV Bandeirantes e pelo SBT, o tom dos candidatos foi mais equilibrado na noite de ontem. “O provável impacto em relação à parcela de indecisos, porém, deve ocorrer menos por causa dos conteúdos e mais pelo próprio interesse dos eleitores”, disse ela. De maneira geral, a socióloga disse acreditar ter havido um “empate” entre Aécio e Dilma no debate. No entanto, no que diz respeito aos dois blocos em que os candidatos responderam a questões de eleitores indecisos, Fátima aponta uma vantagem ao tucano. “Nestes dois segmentos, o candidato Aécio conseguiu se explicar melhor, em uma linguagem mais direta e próxima do eleitor”, explicou. Segundo ela, por ter apresentado uma estratégia mais eficaz nestes blocos, é possível que o candidato do PSDB se beneficie disso nas pesquisas. A especialista destacou ainda que o conteúdo do debate esteve muito atrelado ao tema corrupção. Logo na primeira pergunta, Aécio Neves abordou a atual presidente sobre reportagem da revista Veja, que alega que Dilma e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Na avaliação da socióloga, além do debate, a própria denúncia em si também pode ter um impacto sobre as pesquisas de intenção de voto que serão divulgadas hoje. “Há uma parcela de eleitores que vai buscar informações para decidir (o voto) neste momento, na véspera e no dia das eleições”, disse.

Gabriela Vieira, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 10:16

BRASIL Grupo picha e joga pedras e papéis em editora da Veja

Um grupo com cerca de 20 pessoas realizou na noite de ontem um protesto em frente ao prédio da Editora Abril – que edita Veja -, na zona oeste de São Paulo. Os manifestantes jogaram papel na entrada do prédio, picharam um dos muros e atiraram pedras. A polícia dispersou o ato. Ninguém foi detido. A Abril informou por meio de sua assessoria que não iria comentar o caso. O movimento aconteceu após a revista, que começou a circular na manhã de sexta-feira, trazer na capa a informação de que a presidente Dilma Rousseff (PT) e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, sabiam de todo o esquema de corrupção montado na Petrobras. A reportagem cita depoimento do doleiro Alberto Yousseff à Polícia Federal, prestado na última terça-feira em Curitiba, no processo de delação premiada.

Agência Estado

25 de outubro de 2014, 10:00

SALVADOR Aécio grava VT elogiando atuação de Prates em prol de pessoas com deficiência

Foto: Divulgação

Aécio parabenizou Leo Prates em vídeo no WhatsApp

Autor de diversos projetos de Lei que beneficiam pessoas com deficiência, o líder do DEM e vice-líder do Governo na Câmara Municipal de Salvador, Leo Prates, afirmou a importância de Aécio ter cobrado publicamente, em debate exibido ontem (24), atraso de “três meses” no repasse para o Fundo Nacional de Assistência, prejudicando os programas sociais voltados às pessoas com deficiência. Em contrapartida, Neves gravou um vídeo reconhecendo a luta de Leo Prates em prol das pessoas com deficiência. Leo Prates elaborou várias proposições parlamentares voltadas às pessoas com deficiência. Como, por exemplo, o Projeto de Lei 186/2014, que estabelece modificações nas calçadas para facilitar o trânsito das pessoas com deficiência. Assim como o Projeto de lei Nº 81/2014, que obriga a inclusão e reserva de 2,5% de vagas na rede pública e privada de educação de Salvador para crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista. E também a indicação ao prefeito da construção de Residência Inclusiva para pessoas com deficiência. Assim como estes, Prates já realizou inúmeras propostas voltadas para a ampliação dos direitos das pessoas com deficiência e algumas já viraram lei.

25 de outubro de 2014, 09:45

BRASIL TRE suspende 60% de horário eleitoral em Goiás

O último dia de horário eleitoral gratuito em Goiás teve mais tela azul do que imagens dos candidatos: 60% dos 20 minutos reservados aos candidatos para o segundo turno foi suspenso pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). Iris Rezende (PMDB), que faz campanha de oposição com ataques à atual gestão, teve sete de seus dez minutos suspensos pelo tribunal. Marconi Perillo (PSDB), que tenta a reeleição e diz fazer campanha propositiva, apenas com “resposta aos ataques”, perdeu metade de seu programa. Os candidatos reservaram o último dia de campanha para carreatas e caminhadas. Ambos focam as campanhas na região metropolitana de Goiânia, algo que já havia acontecido no primeiro turno. A região concentra um terço dos votos do Estado e receberá seis dos sete eventos de rua dos concorrentes. Os últimos atos acontecerão em Trindade, a 17 quilômetros de Goiânia. Perillo tem uma caminhada marcada para 16h. Rezende agendou uma carreata às 17h30.

Pedro Palazzo, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 09:30

BRASIL Partidos se acertam para evitar brigas em atos

O clima de tensão entre militantes de rua das campanhas de Dilma Rousseff e Aécio Neves na reta final da disputa pela Presidência fez com que os partidos fechassem ontem um acordo para tentar impedir novos conflitos. Ontem, o PT realizou um comício com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na região central de São Paulo. Depois, cerca de 3 mil petistas, segundo a Polícia Militar, caminharam até a Praça da Sé. A agenda foi organizada sem que os coordenadores da campanha de Dilma soubessem que os tucanos também tinham um ato previsto na mesma região e marcado para o mesmo horário. Tão logo souberam, o presidente do PT paulista, Emídio de Souza, telefonou para Edson Aparecido, um dos coordenadores da campanha de Aécio, pedindo o adiamento da passeata do PSDB. Os tucanos decidiram cancelar o evento de última hora e reagendaram para hoje. Alguns apoiadores de Aécio, porém, não ficam sabendo e apareceram no centro. O clima foi amistoso. No dia anterior, também no centro de São Paulo, militantes do PT e do PSDB se agrediram depois de participar de atos de apoio a Dilma e a Aécio em locais próximos um do outro. No começo da semana, em Uberaba, interior de Minas Gerais, um grupo de dez estudantes de medicina causaram confusão durante um ato de campanha de Dilma ao protestarem contra o programa Mais Médicos. Com adesivos e bandeiras de Aécio, eles acabaram sendo expulsos do evento por militantes do PT.

Ricardo Chapola, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 09:15

BRASIL Alckmin diz que petista foi ‘desrespeitosa’ com SP

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta sexta-feira, 24, que a presidente Dilma Rousseff (PT) foi “injusta e desrespeitosa” com o Estado ao usar a crise no abastecimento de água para criticar a falta de planejamento em gestões do PSDB. “Ela fez uma crítica oportunista”, comentou o governador, no intervalo do debate da TV Globo entre os candidatos à Presidência nesta sexta-feira. “Vivemos a maior seca dos últimos 84 anos e estamos enfrentando a situação com obras e planejamento. Querer tirar proveito político disso agora é uma falta de respeito com São Paulo”, insistiu. Questionado sobre o teor de uma conversa da presidente da Sabesp, Dilma Pena, com o Conselho de Administração da empresa, na qual ela diz que “é um erro” não alertar a população sobre a gravidade do problema da falta de água, Alckmin minimizou. “Aquilo era uma conversa interna, de diretores. Isso é bobagem”, respondeu. A reportagem obteve o áudio da conversa de Dilma Pena, divulgado nesta sexta-feira no portal do Estadão. A reunião em que ela fala que a Sabesp não está mais na mídia por ordens “superiores” ocorreu em agosto, a dois meses da eleição.

Vera Rosa, Agência Estado