Frase do dia

Quando o Levy aceita vir para este governo, ele conhece este governo, conhece a presidenta, é ele que está fazendo uma adesão ao nosso programa histórico.

GILBERTO CARVALHO, MINISTRO-CHEFE DA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, SOBRE A ESCOLHA DE JOAQUIM LEVY PARA MINISTRO DA FAZENDA comentar

28 de novembro de 2014, 21:00

BRASIL Ministério Público ouve Paulo Roberto Costa em casa

Foto: Agência Brasil

Ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa foi ouvido hoje (28), em sua casa, pela promotora de Justiça Glaucia Maria da Costa Santana, do Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro. O objetivo foi apurar informações a respeito de dois inquéritos, um sobre suspeitas de superfaturamento em obra no Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), a cargo da construtura Andrade Gutierrez, e outro sobre possível evolução patrimonial incompatível do presidente licenciado da Transpetro, Sérgio Machado. Principal delator da Operação Lava Jato, o executivo cumpre prisão domiciliar em um condomínio na Barra da Tijuca. A promotora chegou às 14h e saiu às 16h25, sem falar com a imprensa. Segundo a assessoria do MP, os dois inquéritos estão sob sigilo. Para ouvir o ex-diretor da estatal, o MP precisou da autorização do juiz federal Sergio Moro. O magistrado requereu que não fossem permitidas citações de autoridades com foro privilegiado. “Estando o acusado Paulo Roberto Costa em prisão domiciliar por ordem deste Juízo e tendo ele firmado acordo de colaboração premiada com o MPF [Ministério Público Federal] que foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal, mas sobre o qual ainda há sigilo, entendo que a oitiva deve ser cercada de cuidados para não ingressar em crimes ou questões de possível competência do Supremo e sobre os quais aquela Suprema Corte mantém sigilo decretado”, escreveu Moro em seu despacho.

Vladimir Platonow, Agência Brasil

28 de novembro de 2014, 20:45

SALVADOR Postos de saúde da capital intensificam diagnóstico precoce da Aids

Em alusão ao Dia Mundial de Combate à Aids, lembrado nesta segunda-feira (1º), a Secretaria Municipal da Saúde intensificará as ações de prevenção e incentivo ao diagnóstico precoce em todas unidades básicas da rede. A abertura oficial da mobilização acontece no Serviço Municipal de Assistência Especializada, localizado na Rua Lima e Silva, 217, Liberdade, a partir das 9h. Durante a ação serão ofertados testes rápidos para detecção do vírus HIV em 30 minutos, além de palestras, atividades educativas e apresentações musicais com o Grupo Afro Muzenza e Vera Pureza. Dados do Ministério da Saúde indicam que cerca de 718 mil pessoas vivam com HIV no país, sendo que 150 mil desconhecem sua situação. Salvador é a 12ª cidade com maior incidência de Aids entre as capitais brasileiras. Somente este ano, foram notificados 607 novos casos da doença na capital baiana. Justamente para reverter este cenário e incentivar o diagnóstico precoce, a SMS praticamente triplicou, de 33 para 96, o número de unidades básicas que realizam a testagem para HIV/Aids, sífilis e hepatites, com resultados divulgados em 30 minutos. Nesses postos, o paciente recebe aconselhamento antes e depois do exame e, em caso positivo, é encaminhado para o serviço especializado – CTA Marymar Novais, no Dendezeiros, e Serviço Municipal de Assistência Especializada, na Liberdade – onde receberá os cuidados necessários e os medicamentos antirretrovirais.

28 de novembro de 2014, 20:30

BRASIL Morre Roberto Bolaños, criador de Chaves

O humorista Roberto Bolaños, criador dos personagens Chaves e Chapolin Colorado, morreu na tarde de hoje (28) em Cancún (México,) aos 85 anos. Nascido em 21 de fevereiro de 1929, Bolaños começou sua carreira na publicidade e depois foi trabalhar em rádio e televisão. Entre seus programas mais conhecidos no Brasil estão Chaves e Chapolin Colorado, ambos transmitidos pela rede de televisão SBT. Chaves, maior sucesso de Bolaños, começou a ser produzido em 1971, teve sete temporadas e foi transmitido com sucesso em diversos países da América Latina. No Brasil, a série começou a ser exibida pelo SBT em 1984 e fez tanto sucesso que até hoje está na grade de programação da rede. Em 2004, Bolaños se casou com Florinda Meza, que interpretava a personagem dona Florinda em Chaves. Ele deixa seis filhos de seu primeiro casamento com Graciela Fernández.

Agência Brasil

28 de novembro de 2014, 20:16

BRASIL Dilma e Temer serão diplomados no TSE em 18 de dezembro

Foto: Agência Brasil

Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB)

A presidente Dilma Rousseff e o seu vice, Michel Temer, serão diplomados pela reeleição, no dia 18 de dezembro, em solenidade a ser realizada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), às 19 horas. O presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, entregará aos eleitos o diploma que atesta a vitória nas urnas e habilita Dilma e Temer a serem empossados nos cargos de presidente e vice-presidente da República no dia 1º de janeiro de 2015. A diplomação é feita em sessão solene, na qual não há discurso. Após a solenidade, a presidente e o vice-presidente recebem os cumprimentos dos convidados. Em 2010, foram convidadas mais de 250 pessoas, entre autoridades, familiares e amigos. O calendário eleitoral estabelece o dia 19 de dezembro como o último dia para diplomação dos eleitos e cabe aos tribunais eleitorais determinar a data da cerimônia, dentro do período previsto. A diplomação atesta que os candidatos ultrapassaram todas as fases do processo eleitoral, desde a convenção partidária até a prestação de contas feita após a proclamação dos resultados. A partir da diplomação fica encerrado o prazo para abrir uma ação de investigação judicial eleitoral e começa a correr o prazo de 15 dias para abertura de outro tipo de questionamento: a ação de impugnação de mandato eletivo. Os diplomas de eleitos para outros cargos, como governador e senador, são entregues pelos Tribunais Regionais Eleitorais de cada Estado.

Beatriz Bulla e Tânia Monteiro, Estadão Conteúdo

28 de novembro de 2014, 20:00

BRASIL Movimento negro diz que campanha vem dar voz a quem sofre preconceito no SUS

Ativistas do movimento negro não viram sentido no repúdio que o Conselho Federal de Medicina (CFM) manifestou à campanha contra o racismo no Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo Lúcia Xavier, coordenadora da ONG Criola, várias entidades já reconheceram que existe racismo no SUS e a campanha é uma forma de dar voz à população que enfrenta o problema. “Quando a gente fala em discriminação, não quer dizer que um negro entra no posto e é xingado, o que a gente acentua é a discriminação que tem por base o modo como a instituição promove os serviços e olha para a pessoa, não escuta as queixas, não a trata com cidadania, sabe que a população negra tem alguns agravos na saúde por causa da raça e isso não é levado em consideração”, explicou Lúcia. Para ela, a manifestação do CFM é descabida, pois a campanha vem enfrentar um problema reconhecido pelo Ministério da Saúde e outras entidades. A coordenadora ressalta que o problema de racismo no SUS não tem origem especificamente nos médicos, é de todo o sistema. “A gente diz que essa população sofre muito por causa de uma cultura institucional que trata essas pessoas de forma discriminatória”. Segundo a ativista, a campanha está entre uma série de ações do governo que visam ao combate do racismo institucional. Leia mais na Agência Brasil.

Aline Leal, Agência Brasil

28 de novembro de 2014, 19:45

BRASIL Hospital das Clínicas receberá R$ 337 mil do governo federal

O Ministério da Saúde liberou R$ 6,9 milhões para 16 hospitais universitários federais pelo Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf). A medida está em portaria publicada na edição de hoje (28), do Diário Oficial da União. Uma das unidades beneficiadas é o Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), conhecido como Hospital das Clínicas, na Bahia, que receberá R$ 337.588,00. Além da Bahia, hospitais no Ceará, Maranhão, em Minas Gerais, em Mato Grosso do Sul, no Pará, na Paraíba, em Pernambuco, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e em Sergipe também será contemplados. A lista com os nomes das instituições consta na portaria. Criado em 2010, por decreto, o Rehuf estabelece as condições materiais e institucionais para que os hospitais desempenhem plenamente suas funções de ensino, pesquisa e extensão e assistência à saúde da população.

Agência Brasil

28 de novembro de 2014, 19:30

BRASIL Justiça Federal manda soltar Adarico Negromonte

Foto: Divulgação

Adarico Negromonte

O Juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos e investigações da Operação Lava Jato na Justiça Federal, decretou, no início da noite de hoje (28), a soltura de Adarico Negromonte. Ele é apontado nas investigações como responsável por levar o dinheiro de propina da Petrobras do escritório do doleiro Alberto Yousseff para partidos políticos e agentes públicos corrompidos. Negromonte estava em prisão temporária desde segunda-feira (24), mas o prazo venceu hoje. Diante do pedido da defesa para que ele fosse solto e da concordância do Ministério Público (MP), Moro decidiu pela liberdade de Adarico. “Intimado a se manifestar, o Ministério Público Federal afirma que há indícios suficientes de autoria e de materialidade relativos à participação de Adarico na organização criminosa investigada e nos diversos crimes por ela praticados. Todavia, entende suficiente, no momento, a decretação de medidas cautelares substitutivas à prisão”, analisou o juiz. Entre as medidas cautelares sugeridas pelo MP e determinadas pelo juiz a Negromonte, estão a “proibição de deixar o país, de mudar de endereço sem autorização deste Juízo, obrigação de entregar o passaporte no prazo de cinco dias (se ainda não tiver feito isso) e de comparecer a todos os atos do processo, tanto na investigação quanto na eventual ação penal, mediante intimação por qualquer meio, inclusive telefone”. Leia mais na Agência Brasil.

Mariana Jungmann, Agência Brasil

28 de novembro de 2014, 19:15

BRASIL Juiz pede ao STF que investigue ministro da Agricultura

Foto: Agência Brasil

Ministro da Agricultura, Neri Geller (PMDB)

A Justiça Federal em Mato Grosso pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que investigue o ministro da Agricultura, Neri Geller (PMDB), por suposto envolvimento em esquema de grilagem de terras da União destinadas à reforma agrária. Conforme as investigações da Operação Terra Prometida, deflagrada ontem, Neri e dois de seus irmãos, que estão presos desde quinta em Cuiabá, integram o chamado “Grupo Geller”, que possuiria mais de 15 lotes no assentamento Itanhangá/Tapurah, obtidos de forma irregular. Esses terrenos estariam sendo ocupados e revendidos pelos envolvidos. “Essa família Geller possui mais de 15 lotes dentro do assentamento. Por isso, Neri Geller, na condição de ministro da Agricultura, tem se empenhado tanto em pressionar o superintendente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), através do presidente do Incra de Brasília”, disse uma das testemunhas do caso, conforme transcrição da Justiça. Em despacho de 27 de agosto deste ano, o juiz Fábio Henrique Rodrigues de Moraes Fiorenza declina da competência de julgar o caso em relação a Neri. No documento, ele cita o depoimento de várias testemunhas, que apontaram o envolvimento do ministro no esquema. Ministros de Estado têm foro privilegiado e, por isso, só podem ser investigados com autorização do Supremo. Segundo as denúncias, Neri e familiares seriam donos de vários lotes no assentamento. A ocupação foi confirmada por laudos do Incra. Dois terrenos teriam sido vendidos pelo próprio ministro a um fazendeiro para financiar sua campanha a deputado federal em 2010. Dois irmãos de Neri, Odair e Milton, estão presos desde a noite de ontem por envolvimento no esquema. O Ministério da Agricultura informou que Neri só vai se pronunciar depois de notificado pelo Supremo.

28 de novembro de 2014, 19:00

BRASIL Aécio questiona transparência do Ciências Sem Fronteiras

Foto: Agência Brasil

Senador Aécio Neves (PSDB-MG)

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato derrotado no segundo turno dessas eleições presidenciais, está questionando a transparência do governo da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) na concessão de bolsas de estudo do programa Ciências Sem Fronteiras. Aécio entrou nesta semana com requerimento no Senado Federal para solicitar que o Ministério da Educação dê informações sobre este programa, sob alegação de que os dados utilizados por Dilma são maiores do que os números apresentados por essa pasta. No requerimento, Aécio alerta sobre divergências em dados divulgados pela presidente na contabilização de bolsas concedidas pelo programa e os critérios adotados para concessão de bolsas. Ele diz que é importante a população saber quantas bolsas de estudos foram concedidas desde a criação do programa, em julho de 2011, discriminando as vagas por instituição pública e privada e o volume de recursos aplicados. E diz que em junho, no anúncio da segunda etapa do programa, Dilma afirmou que o programa havia concedido 83 mil bolsas de estudos no exterior, das quais 26 mil foram concedidas pela iniciativa privada. No site oficial do programa, até aquela data, a informação era de que haviam sido concedidas apenas 55.657 bolsas.

Estadão Conteúdo

28 de novembro de 2014, 18:45

ECONOMIA Conta de luz poderá aumentar se Brasil deixar de cumprir Convenção de Estocolmo

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) estima que o setor precisará investir R$ 25 bilhões para cumprir, até 2028, parte dos compromissos assumidos pelo Brasil na Convenção de Estocolmo. O tratado, firmado em 2004 e ampliado em 2010, tem por objetivo proibir produção e uso dos chamados Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs). São 21 substâncias químicas que, além da afinidade com tecidos gordurosos, têm facilidades para se acumular e se espalhar pelo meio ambiente. Entre esses poluentes, o askarel – óleo resistente ao fogo – é bastante usado para condução de energia elétrica em transformadores, capacitores, reatores, interruptores e cabos elétricos. Em contato com pessoas, o produto pode causar males como câncer, além de problemas em diversos órgãos. Se descartado de forma inadequada, pode contaminar o meio ambiente, em especial o solo, lençóis freáticos e a vegetação. “Em alta temperatura, o askarel libera um vapor bastante tóxico”, acrescentou Shelley Carneiro, gerente executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esclareceu que o risco de contaminação ocorre apenas quando a quantidade é superior a 50 miligramas por quilo de equipamentos, limite previsto pela Convenção de Estocolmo. De acordo com Carlos Alberto Mattar, superintendente de Regulação da Distribuição da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), é possível que os custos para retirada de circulação do askarel sejam repassados aos consumidores, caso o governo não encontre outra solução. Com base em estudos da Abradee, que, em 2012, contabilizava custo de R$ 13 bilhões para o setor apenas com logística, aferição, tratamento e descarte do askarel, Mattar projeta impacto de 44% na receita anual das distribuidoras. “Se [os gastos] fossem pagos de uma vez, provavelmente resultariam em aumento de 44% nas tarifas de energia pagas pelos consumidores”, adiantou. Leia mais na Agência Brasil.

Pedro Peduzzi, Agência Brasil

28 de novembro de 2014, 18:43

EXCLUSIVA Neto diz a PTN ser simpático a candidatura do partido

Foto: Angelo Pontes/Arquivo/Divulgação

ACM Neto afirmou ainda ter sido testemunha de acordo sobre sucessão

Em reunião hoje com a bancada municipal do PTN, o prefeito ACM Neto (DEM) admitiu, pela primeira vez, que é justa a candidatura do partido à presidência da Câmara e ainda antecipou que é simpático ao partido, acrescentando ter sido testemunha do acordo pelo qual a legenda sucederia o atual presidente da Casa, Paulo Câmara (PSDB), que é candidato à reeleição. Foi o primeiro encontro formal do chefe do executivo com a bancada e a direção estadual do PTN e o deputado federal eleito João Carlos Bacelar, que controla a legenda no Estado. Antes do encontro com o prefeito, os vereadores se reuniram em almoço no restaurante Barbacoa com o deputado estadual eleito Alex Lima para discutir a posição frente à sucessão de Paulo Câmara e o relacionamento com o prefeito. Durante o almoço, o vereador Toinho Carolino disse ao Política Livre que o partido só esperava do prefeito o cumprimento pelo qual o PTN sucederia Paulo Câmara na presidência do Legislativo municipal. “Palavra é palavra, ela foi dada e agora queremos seu cumprimento”, disse Carolino. Em seguida, eles seguiram até a Praça Municipal, onde foram recebidos no Palácio Thomé de Souza pelo prefeito.

28 de novembro de 2014, 18:30

ECONOMIA Ibovespa vira para negativo e fecha com queda de 2,5% na semana

Foto: Anderson Barbosa/Fotoarena /Folhapress/VEJA

Índice caiu após desaceleração dos ganhos dos papéis da Vale e fechou a sexta em queda de 0,10%

A Bovespa sustentou ganhos durante a maior parte da sessão desta sexta-feira, 28, mas acabou não resistindo na reta final. A desaceleração dos ganhos dos papéis da Vale e o forte recuo das ações da Petrobras, que encerraram nos preços mínimos do dia, abriram espaço para a leve baixa de 0,10% da bolsa brasileira, para os 54.664,36 pontos, também na mínima. Na semana, a Bovespa teve baixa de 2,53% e, no acumulado de novembro, leve alta de 0,07%. No ano, a bolsa acumula ganhos de 6,13%. O giro financeiro somou R$ 5,314 bilhões – pouco para a sessão, por conta do funcionamento em horário reduzido das Bolsas de Nova York. Em dia de Black Friday, os negócios nos EUA foram encerrados às 16 horas (de Brasília), sendo que desse horário até o fechamento a Bovespa funcionou sem a referência externa. Na sessão de hoje, o mercado teve motivação na primeira etapa de negociação, com a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre e também do resultado consolidado do setor público, ambos números fracos, esperados e que, por isso, não chegaram a influenciar a trajetória dos negócios na Bovespa. A avaliação do mercado é de que a situação econômica é bastante delicada e, apesar de a presidente Dilma Rousseff ter finalmente acertado na escolha da equipe que conduzirá a economia no segundo mandato, o trio – Alexandre Tombini (BC), Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) – terá um trabalho árduo pela frente. Assim, ninguém espera que a economia se recupere milagrosamente, o que também não justifica uma tomada grande de posição antes de saber o que será feito na prática.

Estadão Conteúdo