Frase do dia

Meu relacionamento é matrimonial, não econômico-financeiro.

ADRIANA ANCELMO, ADVOGADA, MULHER DE SÉRGIO CABRAL, QUE DISSE AO JUIZ SÉRGIO MORO DESCONHECER QUANTO CUSTOU QUALQUER UM DOS SEUS VESTIDOS OU JOIAS QUE COMPROU comentar

29 de abril de 2017, 13:01

BAHIA Atos causam divergências entre baianos

A greve geral que aconteceu ontem em todo o Brasil dividiu a opinião de políticos baianos. Presente nas manifestações ocorridas nas regiões do Iguatemi e do Campo Grande, a deputada federal Alice Portugal (PCdoB) acredita que os protestos serão suficientes para derrotar as reforma trabalhista e previdenciária.“Com esta greve de hoje, vamos inibir a votação da Reforma da Previdência na Câmara, a reforma mais cruel da história do Brasil, onde as pensionistas irão receber a metade da sua pensão, o trabalhador terá que se aposentar para a morte, pois a nossa expectativa de vida não é tão alta no Brasil”, disse a parlamentar, que discursou em um minitrio ao lado da vereadora Aladilce (PCdoB). “As mulheres são as mais prejudicadas, o relator abaixou a idade mínima para 62 anos de idade para as mulheres, mas manteve a exigência dos 25 anos de contribuição. As professoras se aposentarão com a mesma idade dos professores (60 anos). É uma reforma cruel e absurda e não dá para acreditar que quem a redigiu tenha nascido no ventre de uma mulher, deve ter sido parido em chocadeira”, acrescentou a comunista.Por outro lado, o vereador Duda Sanches (DEM) criticou o caráter político das manifestações, principalmente porque um militante supostamente ligado ao governo estadual teria participado da queima de pneus na passarela do metrô no Iguatemi.“É inadmissível a participação de um funcionário público de alto escalão em um triste episódio de depredação do patrimônio público. Ele é um braço forte do PCdoB da Bahia, figura conhecida nas eleições. Nós, cidadãos, teremos que continuar pagando o salário dele?”, questionou, acrescentando que “estão fazendo com o metrô o mesmo que fizeram com o Brasil”. “Protestar é democrático, agredir e usar táticas de vandalismo é inadmissível. Se nada for feito pela direção do partido ficará mais do que clara qual é a orientação do partido para os militantes nesse dia de greve. Essa política do terror só afasta os cidadãos de bem e fragiliza qualquer pleito que estejam fazendo. É lamentável um funcionário publico depredando o que o próprio governo do Estado fez, que se diz o pai do metrô”, acrescentou.

Tribuna da Bahia

29 de abril de 2017, 12:47

SALVADOR Câmara de Salvador aprova 35 projetos de vereadores

Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Salvador aprovou 35 projetos de lei de vereadores e uma matéria do Executivo, na última sessão de votação. Os vereadores também aprovaram 13 projetos de resolução, 21 moções, 20 requerimentos e 24 indicações.De autoria do vereador Joceval Rodrigues (PPS), foi apreciado o projeto que obriga os hospitais a notificar os Conselhos Tutelares do Município e o Ministério Público do Estado da Bahia nos casos devidamente diagnosticados de uso de bebida alcoólicas e/ou entorpecentes por crianças e adolescentes, atendidos em suas dependências.Outro projeto de lei votado pelos vereadores, de autoria de J. Carlos Filho (SD), determina que os supermercados realizem a higienização dos carrinhos, cestas e os demais utensílios para acondicionamento de mercadorias.O presidente da Comissão de Educação, Esporte e Lazer, vereador Sidninho (PTN), conseguiu a aprovação da proposição de sua autoria que obriga os estabelecimentos particulares de ensino, localizados em Salvador, a divulgarem a lista de material escolar do ano letivo seguinte, até o último dia útil do mês de outubro do corrente ano. A vereadora Marcelle Moraes (PV) propôs e conseguiu a aprovação dos seus pares para a matéria que obriga os pet shops, clínicas veterinárias, canil, gatil e estabelecimentos que comercializam animais a fixar cartazes que facilitem a adoção de animais. O vereador Tiago Correia (PSDB) é autor da matéria que proíbe o uso de pipas com linha cortante em áreas públicas e comuns. Já o vereador Luiz Carlos (PRB) teve aprovado o projeto de lei que dispõe sobre o atendimento preferencial dos doadores de sangue, órgãos e medula óssea.O vereador Toinho Carolino (PTN) comemorou a aprovação do projeto que obriga a afixação de avisos em hotéis, bares, casas noturnas, agências de viagens, locais de transporte de massa, restaurantes, prédios comerciais e postos de combustíveis com o número do Disque Denúncia da Violência Contra a Mulher (Disque 180).A obrigatoriedade de dedetização periódica nos veículos utilizados na prestação do serviço de transporte coletivo público de passageiros também foi matéria aprovada pela Câmara.O vereador Sílvio Humberto (PSB) é o autor do referido projeto de lei.O projeto de lei do presidente Leo Prates, que dispõe sobre a obrigatoriedade de remoção dos cabos e fiação aérea, excedentes e sem uso, instalados por concessionárias que operam ou utilizam rede aérea no Município do Salvador, também está entre as matérias aprovadas.Ainda foi aprovada a matéria do vereador Kiki Bispo (PTB) que estabelece a cassação dos alvarás de funcionamento dos postos de combustíveis que não possuem Licença Ambiental.

Tribuna da Bahia

29 de abril de 2017, 12:31

BRASIL Dono da Andrade falará de suspeita de propina a Aécio

Foto: Reprodução/Agência Senado

Citado em delação premiada da Odebrecht como representante da Andrade Gutierrez em negociação de propina relacionada às obras da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira, o dono da construtora, Sérgio Andrade, será ouvido por investigadores da Operação Lava Jato. A suspeita é de que ele tratou pessoalmente de pagamentos ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e ao deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Principal acionista da empreiteira, Andrade até agora está imune pelo acordo que sua empresa havia fechado com o Ministério Público Federal (MPF). Após a delação da Odebrecht, porém, algumas empreiteiras – incluindo a Andrade Gutierrez – estão sendo chamadas para uma espécie de “recall” para explicar episódios que não foram contemplados nos primeiros depoimentos.Segundo pessoas próximas a Andrade, ele se antecipou a uma convocação oficial dos procuradores, considerada inevitável, para explicar a questão de Santo Antônio, que não fez parte do acordo fechado pela empreiteira.O executivo pediu espontaneamente para prestar esclarecimentos. Segundo essas fontes, o executivo não tinha conhecimento de todo o assunto relacionado à Santo Antonio, mas conversou sobre a obra com Marcelo Odebrecht.Em um de seus anexos de delação, Marcelo afirma que fazia reuniões frequentes com Aécio em razão do papel da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que era sócia da usina, e que Sérgio Andrade participava desses encontros. Na época, Aécio era governador de Minas e a Andrade Gutierrez, acionista da Cemig.Pelas delações, no entanto, o envolvimento de Andrade ia além. O ex-presidente da Odebrecht Energia, Henrique Valladares, disse que era ele quem comunicava pessoalmente a Andrade sobre os pagamentos a serem feitos pelo consórcio a políticos e que o executivo dava o seu aval.A Andrade e a Odebrecht eram sócias no consórcio construtor da usina na proporção de 40% e 60%, porcentual usado para dividir o valor a ser pago por cada uma. “Minhas conversas em geral eram com o doutor Sérgio Andrade, que é tão dono da Andrade Gutierrez quanto Emílio é da Odebrecht”, afirmou Valladares.Ao todo, teriam sido pagos R$ 50 milhões para Aécio, que, segundo as delações, tinha influência em Furnas, que tem 40% da sociedade em Santo Antônio. Outros R$ 50 milhões teriam sido pagos a Eduardo Cunha, outro político apontado como influente na estatal.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 12:17

SALVADOR Exposição inspirada na cultura indígena é inaugurada em Salvador

Três artistas plásticos baianos se juntaram para promover uma mostra inspirada no universo da cultura indígena. Na próxima quinta (4), Eder Muniz, Artur Soares e Sirc Heart inauguram a mostra As Cores de Omame, no charmoso espaço Casa do Bosque, localizada na Alameda das Algarobas, nº138, Caminho das Árvores. A mostra gratuita, que segue aberta à visitação até o dia 6 de junho, é composta por 75 telas que traduzem em linguagem visual o universo da cultura indígena. Algumas das obras estarão à venda com preço sob consulta.A exposição surgiu da experiência compartilhada entre os três artistas diante do texto do xamã Davi Kopenawa Yanomami. “Omame também é artista. Omame é artista do mundo todo. Omame é criador de tudo o que existe”, enuncia o xamã e líder indígena do povo Yanomami no livro A Queda do Céu (Companhia das Letras), que escreveu com o etnólogo francês Bruce Albert. O texto, afixado dentro de uma oca indígena, recebeu o público visitante da Bienal de Arte de São Paulo em 2016, onde a artista Sirc Heart o leu pela primeira vez. Em comum, as telas que integram a exposição apresentam um olhar artístico contemporâneo de respeito e devoção às manifestações da natureza. A curadoria realizada por Eder Muniz ressalta não somente esta relação com a natureza, mas o modo como os três artistas se sentiram tocados pela mensagem do livro. A delicadeza do traço e sutileza das cores envolvem uma mensagem de força no trabalho de Sirc Heart, assim como a organicidade mora nas linhas internas das obras de Artur Soares. A representação das formas da natureza é orquestrada em uma fábula de cores vibrantes que narra uma história fantástica contada por Eder Muniz. As 75 telas em exposição misturam técnicas como aquarela, ilustração e linoleogravura, e estarão à venda durante todo o período da mostra

29 de abril de 2017, 12:11

MUNDO Estado Islâmico assume autoria de atentado no centro de Bagdá

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) assumiu neste sábado (29), por meio da agência “Amaq”, que é vinculada à organização jihadista, a autoria do atentado cometido ontem à noite em um bairro no centro de Bagdá, no qual morreram pelo menos seis pessoas. A informação é da Agência EFE. No comunicado, cuja autenticidade não pode ser verificada, o grupo terrorista informou sobre uma operação suicida contra xiitas no distrito de Karrada, no centro da capital iraquiana. A nota não detalhou o número de pessoas que morreram no ataque, mas uma fonte de segurança informou à Agência Efe que pelo menos seis pessoas perderam a vida. A explosão causou danos materiais em edifícios próximos e em carros, detalhou a fonte. O Estado Islâmico, que ainda controla alguns territórios no Iraque, fez recentemente vários atentados na capital iraquiana. Atualmente, o Exército iraquiano desenvolve uma ofensiva contra o EI em Mossul, a cidade mais populosa que os extremistas chegaram a controlar, situada no Norte do país.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 11:54

BAHIA Claudia Leitte e Bell devem mais de R$ 30 mi para a União

Foto: Divulgação

A cantora Claudia Leitte e o ex-integrante da banda Chiclete com Banana, Bell Marques, acumulam as maiores pendências junto à Dívida Ativa da União, que são débitos de pessoas jurídicas ou físicas com órgãos públicos, como INSS, Ministério do Trabalho ou Receita Federal, que não foram pagos espontaneamente. A baiana tem pendência com a União de R$ 22,5 milhões com as empresas Ciel Empreendimentos Artísticos e 2T’s. Em comunicado, o advogado da cantora, Alessandro Dessimoni, afirma que “os débitos fiscais das empresas 2TS e Ciel estão sendo discutidos judicialmente, portanto pendentes de julgamento —o que significa que estamos analisando o parcelamento dos débitos de acordo com o novo Programa de Regularização Tributária”. Já Bell acumula R$ 11,2 milhões em dívidas com cinco empresas ligadas ao seu nome. Segundo sua assessoria, “tais débitos serão objeto de regular parcelamento por meio do Programa de Regularização Tributária”. A cantora Daniela Mercury comparada com os outros cantores citados acima tem uma pequena dívida, de R$ 26 mil. De acordo com a sua mulher, Malu Mercury, “esse valor trata-se de uma multa de um processo envolvendo a DRT (Delegacia Regional do Trabalho). Não concordamos com essa multa e estamos recorrendo em juízo. Não é um dívida. É um processo.” Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa e Economia Aplicada (Ipea) em 2008, um processo de execução fiscal demora em média oito anos para ser julgado. Informações da Folha de S. Paulo.

29 de abril de 2017, 11:33

BRASIL Centro do Rio amanhece no dia seguinte aos protestos com prédios depredados

O centro do Rio amanheceu no dia seguinte aos protestos contra as reformas trabalhistas e previdenciárias com carcaças de ônibus queimados nas ruas e diversos bancos, edifícios, estações de metrô e VLT depredados. O Hospital Municipal Souza Aguiar, na região central, recebeu sete pessoas que foram feridas nas manifestações, duas delas ainda estavam internadas na manhã deste sábado, 29.A Secretaria Municipal de Saúde informou que ao menos seis dos sete feridos levados ao hospital foram atingidos por balas de borracha. Os dois pacientes que ainda estão internados, um homem e uma mulher, passaram por cirurgia e estão estáveis. Ele teve uma lesão na face por bala de borracha e ela uma lesão vascular. Os demais feridos já liberados tiveram trauma no tórax, lesão na perna, ferimento no couro cabeludo, trauma de face e ferimento na coxa.Alguns prédios depredados, localizados na Avenida Rio Branco próximo à Candelária, no Centro já passavam por reparos na manhã deste sábado. Também eram recolocados tapumes que foram arrancados durante os confrontos. Pelo menos nove ônibus foram incendiados, além de uma picape, segundo a Rio-Ônibus.As estações de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que ligam a região portuária ao centro e ao aeroporto Santos Dumont, tiveram vidros quebrados e placas arrancadas.A Polícia Militar declarou em nota divulgada na noite desta sexta-feira, 28, que agiu “em vários distúrbios, reagindo à ação de vândalos que, infiltrados entre os legítimos manifestantes, promoveram atos de violência e baderna pelo centro da cidade”. A PM informou ainda que continuava nas ruas, “buscando neutralizar a ação de vândalos que se passam falsamente como manifestantes.”Procurada pela reportagem neste sábado, a Polícia Civil informou não ter ainda um balanço de presos nas manifestações.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 11:17

BRASIL Centrais sindicais consideram greve geral exitosa

As duas maiores entidades sindicais do país – Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical – avaliam como exitosas as manifestações e paralisações de várias categorias de trabalhadores em todo o país em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência Social.Em várias cidades do país, trabalhadores pararam atendendo à convocação de greve geral feita pelas centrais. Em alguns casos, houve bloqueio de vias e rodovias e confronto entre policiais e manifestantes.Na avaliação do presidente da CUT, Vagner Freitas, a paralisação de hoje deve ser “a maior greve já realizada no país”. Freitas destacou a adesão aos protestos em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Fortaleza, Curitiba e Brasília.Para o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), os trabalhadores decidiriam se mobilizar porque há “propostas viáveis para que o país retome o seu crescimento econômico sem a perda de quaisquer direitos trabalhistas, previdenciários e sociais”. Em comunicado divulgado no fim da tarde, a Força estima que 40 milhões de trabalhadores pararam nesta sexta-feira.Paulinho da Força, no entanto, reconheceu que a não adesão de categorias como aeronautas (pilotos e comissários) e aeroviários (trabalhadores dos aeroportos) reduziu o impacto da paralisação. Em São Paulo, tanto no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, quanto no terminal de Congonhas, na zona sul da capital, a operação durante o dia foi normal.

29 de abril de 2017, 11:00

BAHIA “Perco o cargo mas não perco a vergonha”, diz Uldurico Júnior

Foto: Reprodução/Metropress

Após votar contra a aprovação da reforma trabalhista, o deputado federal da base aliada Uldurico Júnior (PV/BA) já sofre pressão por se posicionar contra os interesses do governo. Sem nenhuma apresentação de argumento de caráter técnico, um dos cargos de indicação do parlamentar baiano no Instituto Brasileiro Meio Ambiente Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) foi exonerado nesta sexta-feira (28). “O cargo do IBAMA era uma indicação técnica, de um servidor que vinha exercendo as funções de maneira íntegra e totalmente satisfatória. Não há motivo algum que explique a exoneração senão revide político por conta da minha posição de não acompanhar a base do governo na votação da reforma trabalhista”, justificou. Apesar da punição, Uldurico declarou não temer futuras perseguições por conta de seu posicionamento. “Perco o cargo mas não perco a vergonha. Jamais trairei o povo que me elegeu de forma legítima para defender outros interesses. Permaneço com minha consciência tranquila independente das pressões que venham daqui para frente porque estou convicto que apoiei minha decisão a favor do trabalhador brasileiro”, reafirmou. Na quinta-feira (27), o governo convocou uma reunião com os líderes da base para discutir as punições e exonerações dos membros que tiveram o chamado ‘votos de traidores’. Uma das razões para as retaliações está no fato de o governo encarar a votação da reforma trabalhista como uma espécie de ensaio para a reforma da Previdência.

29 de abril de 2017, 10:47

BRASIL Votação de proposta indica apoio ‘oculto’ à Previdência

O placar da reforma trabalhista mostra que o governo tem hoje uma margem de, pelo menos, 191 deputados para negociar o voto a favor da reforma da Previdência, aponta levantamento do Broadcast Político em parceria com o Estadão Dados. Esses parlamentares estão entre os 296 que votaram a favor das mudanças na CLT e os 39 que se ausentaram da votação, mas se declaram indecisos ou não querem responder ao Placar da Previdência do Estado sobre a reforma previdenciária.A maioria desses “potenciais votos” está em partidos do chamado núcleo duro do governo, à frente de importantes ministérios. O PMDB, do presidente Michel Temer, tem 33 deputados nesse perfil. Já o PSDB, um dos principais aliados do governo, tem 24 desses votos.Interlocutores do governo avaliam que, entre esses potenciais votos, os mais viáveis de atrair são os daqueles deputados que votaram a favor da reforma trabalhista, mas que não querem revelar voto em relação à da Previdência. “Tem muita gente que não quer dizer o voto agora, mas já nos avisou que vai votar com a gente. Tem também os que, se sentirem que a reforma vai ser aprovada, votam a favor”, disse o deputado Beto Mansur (PRB-SP), escalado pelo governo para mapear os votos.Na ofensiva em busca de apoio, a principal estratégia do governo é negociar cargos por votos. As negociações começaram antes da reforma trabalhista e são feitas com partidos ou individualmente. Com 13 deputados, o PTN, por exemplo, ganhou a presidência da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Já o deputado Kaio Maniçoba (PMDB-PE) conseguiu emplacar um aliado no comando da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) do Ministério da Justiça.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 10:33

BRASIL PF amplia cerco à cúpula do PMDB no Senado

Foto: Divulgação

Desdobramento da Lava Jato, a Operação Satélites 2, deflagrada ontem pela Polícia Federal, ampliou o cerco à cúpula do PMDB no Senado. Por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra suspeitos de operar recebimento de propina em contratos da Transpetro, subsidiária da Petrobrás. As medidas foram solicitadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) para coletar provas contra suspeitos que teriam beneficiado os senadores Renan Calheiros (AL), Garibaldi Alves Filho (RN) e Romero Jucá (RR), além do ex-presidente José Sarney (AP), com o recebimento de valores indevidos. Os peemedebistas negam (mais informações nesta página). A investigação que deu origem à operação se baseou na delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que revelou à PGR ter repassado, em 11 anos, R$ 100 milhões em propina aos peemedebistas. O dinheiro, supostamente oriundo de contratos da estatal, teria sido pago em espécie e por meio de doações oficiais. A PF cumpriu dez mandados em Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe, São Paulo e Distrito Federal para apurar crimes contra a administração pública, lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa. Um dos alvos foi o advogado Bruno Mendes, ex-assessor de Renan, que foi gravado em uma das conversas de Machado entregues à Lava Jato. O senador é suspeito de ter recebido R$ 32 milhões dos recursos supostamente desviados para o PMDB. Também foram cumpridas medidas contra o ex-presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Lindolfo Sales, que foi chefe de gabinete de Garibaldi; Amauri Cezar Piccolo, assessor de Sarney; e uma ex-assessora de Jucá. Outro alvo de busca foi o ex-senador José Almeida Lima (PMDB), atual secretário de Saúde de Sergipe.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 10:16

ECONOMIA Restituição do IR começa em junho

Como é comum acontecer em todos os anos, boa parte dos brasileiros deixou para o último dia o acerto de contas com a Receita Federal. O prazo para entregar a declaração anual de ajuste do Imposto de Renda de Pessoas Físicas (IRPF) acabou no fim da noite de ontem e, até as 18h, mais de 1 milhão de contribuintes ainda não tinham entregado o documento ao Fisco.A Receita esperava um total de 28,3 milhões de declarações neste ano, e havia recebido 27,257 milhões de formulários em seus sistemas até começo da noite. Quase 2 milhões de documentos chegaram ao Fisco entre as 10h e as 18h de ontem. A entrega de documentos se intensificou na última semana. Até o dia 22, apenas 52% dos contribuintes haviam regularizado sua situação com a Receita.A declaração era obrigatória para quem recebeu rendimentos superiores a R$ 28.559,70 no ano passado. Tradicionalmente, quem preencheu e entregou a declaração mais cedo deve receber a restituição do Imposto de Renda antes, pois a Receita prioriza a ordem de entrega. Também há preferência para pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, portadores de necessidades especiais e contribuintes com doenças graves.O primeiro lote de restituições será pago no dia 16 de junho. Já os contribuintes que deixaram para a última hora só receberão de volta o imposto pago a mais no fim do ano, corrigido pela Selic.Os contribuintes que perderam o prazo de entrega da declaração ficarão com a situação pendente no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) até regularizar a situação. Na prática, isso significa que não poderão se habilitar a empréstimos financeiros, obter certidão negativa para venda ou aluguel de imóvel, tirar passaporte e até mesmo prestar concurso público, além de ter problemas para movimentar conta bancária.Quem perdeu o prazo para o envio ainda terá de pagar multa, que vai de R$ 165,74 a até 20% do imposto devido. A multa começa a contar a partir do primeiro dia depois do prazo da entrega, ou seja, a partir de hoje.Quem tem direito à restituição do imposto terá multa e taxas deduzidos do valor a ser recebido. Depois de enviar a declaração atrasada, o contribuinte será informado sobre o prazo para quitar a taxa através da “Notificação de lançamento da multa”.O pagamento deve ser feito em até 30 dias após a entrega, pelo Documento de Arrecadações de Receitas Federais (Darf). Para emitir o documento, o contribuinte deverá clicar no item “Darf de multa por Entrega em Atraso”, na aba “Imprimir” do programa gerador da declaração. Quem não quitar o pagamento dentro do prazo estabelecido, sofrerá acréscimos de juros sobre o valor, com base na taxa Selic e poderá emitir o Darf atualizado com os encargos adicionais.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 10:01

BRASIL Temer diz não ter preocupação com Lava Jato

O presidente Michel Temer afirmou ter preocupação “zero” com a Operação Lava Jato. “Zero, eu não tenho preocupação nenhuma. Eu sempre digo ‘Vamos deixar a Lava Jato trabalhar em paz, vamos deixar o Ministério Público [MP] cumprir seu papel, o Judiciário cumprir seu papel e vamos continuar trabalhando”, afirmou o presidente em entrevista exibida na noite de ontem no Programa do Ratinho, do SBT.No início do mês, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte, autorizou o pedido de investigação de oito ministros do governo. Por enquanto nenhum deles deixou seus cargos, já que Temer adotou como critério, primeiramente, o afastamento provisório em caso de denúncia e o definitivo se o ministro virar réu.A entrevista com o presidente tratou também das reformas trabalhista e da Previdência Social. O apresentador Carlos Roberto Massa, o Ratinho, foi ao Palácio do Planalto na quarta-feira para gravar a conversa. A participação de Temer em programas do canal – o presidente já concedeu entrevista ao jornalista Kennedy Alencar – foi combinada com o próprio dono da emissora, o apresentador Silvio Santos, em encontro intermediado pelo cabeleireiro Robson Jassa e por Ratinho. O presidente, então, pediu a ajuda do empresário para “desmistificar” o que o governo chama de “mentiras” sobre a reforma da Previdência. Após jantar entre Temer e Silvio, o SBT [MP]passou a exibir inserções sobre a reforma nos intervalos comerciais.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 09:48

BRASIL PM vê uso de tática de guerrilha urbana em protestos

Grupos pequenos apareciam de repente e faziam uma barricada, ateando fogo a pneus e madeiras. Quando a polícia se aproxima, em vez de resistência, a retirada rápida. Não muito longe, em outro ponto, novo bloqueio, levando à dispersão e divisão das forças da ordem, uma verdadeira “greve de guerrilha”. É assim que o comando da polícia de São Paulo viu a tática adotada pelos movimentos populares e sindicatos a fim de bloquear avenidas e impedir o tráfego no Estado na greve geral.Para o comando da PM, “doutrinariamente”, a tática de ontem “é de guerrilha urbana”, com a “inquietação, intervenção e dispersão”. Os bloqueios feitos por manifestantes envolveram sem-teto que vivem em prédios tomados no centro. Cada grupo organizou uma ação.Até as 19 horas, a PM havia registrado 22 prisões na Grande São Paulo – 16 na capital e cinco em Osasco. Três policiais foram feridos em confrontos – um dos quais atingido por uma garrafada no rosto. A Coordenação Operacional da PM colocou, desde as 5 horas, todas as Forças Táticas da PM nas ruas. A Tropa de Choque foi dividida entre a Marginal do Pinheiros e Guarulhos, por causa do Aeroporto de Cumbica. Em todo Estado, aconteceram cerca de 50 pontos de bloqueio de vias – 30 dos quais na Grande São Paulo.O protestos das centrais provocou outro efeito: o mapa da lentidão do trânsito na cidade feito pela Companhia de Engenharia de Tráfego ficou próximo de zero das 10h30 às 16 horas, mais de 80% abaixo da média inferior de congestionamento registrado nas sextas-feiras.Esse efeito da greve foi sentido até pelo comandante-geral da PM coronel Nivaldo Restivo. Ele planejou sair com uma hora e meia de antecedência para ir ao evento pela manhã em Pirituba, na zona oeste, e chegou uma hora adiantado. O trânsito também ajudou as forças de segurança, diminuindo o tempo de reposta da PM. “O resultado foi bom. Tínhamos como objetivo impedir o fechamento das ruas em São Paulo e não se manteve fechada nenhuma rua. Era o tempo de a unidade de serviço chegar, requisitar apoio, quando necessário, e desobstruir a pista.” A greve contou ainda com a estratégia inédita neste tipo de manifestação: a parceria entre sindicatos e movimentos sociais. Enquanto sindicatos mobilizaram trabalhadores para fazer piquetes em portas de fábrica e demais locais de trabalho, movimentos como o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e a Central de Movimentos Populares (CMP) travaram vias importantes das cidades dificultando a chegada das pessoas aos locais de trabalho.

Estadão Conteúdo

29 de abril de 2017, 09:33

BRASIL Presidente lista 25 infiéis para demitir seus indicados

Foto: Reprodução

Cerca de 25 parlamentares que terão seus aliados demitidos de cargos públicos foram listados pelo presidente Michel Temer (PMDB). O motivo das expulsões foi a votação contra o governo na proposta de mudança da legislação trabalhista e também a falta de apoio na reforma da Previdência. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a estratégia do Palácio do Planalto é tirar os cargos dos parlamentares considerados infiéis e transferir as nomeações para outros, em troca dos votos desses deputados na reforma da Previdência. O governo considera ter sido traído por cerca de 70 deputados e espera que as demissões ajudem a reverter a posição do resto do grupo. Os alvos são deputados que compõem a base de Temer, mas são considerados “irrecuperáveis” —ou seja, traíram o governo e não podem ser convencidos a apoiar a reforma da Previdência. Há nomes de dez partidos, como o PMDB (sigla do presidente), o PP (do líder do governo) e o PSB —este declarou posição contrária às reformas e deve ser o mais atingido. Segundo a Folha apurou com dois integrantes da equipe de articulação política, entraram na lista Gonzaga Patriota (PSB-PE), Cícero Almeida (PMDB-AL), Luciano Ducci (PSB-PR), Marcelo Álvaro (PR-MG), Jony Marcos (PRB-SE) e Antonio Jácome (PTN-RN).