Frase do dia

Esta democracia não é perfeita porque nós não somos perfeitos

Ex-presidente do Uruguai, José Mujica comentar

28 de agosto de 2015, 21:07

BRASIL Ciro Gomes chama assessoria de Dilma de ‘organizações tabajara’ após cancelamento de evento

O ex-ministro e presidente da Transnordestina, Ciro Gomes, batizou de “Organizações Tabajara”, em referência a piada do extinto programa de TV Casseta&Planeta, a assessoria de imprensa da presidente Dilma Rousseff, que cancelou de última hora um evento da ferrovia que estava marcado para esta manhã. “Matutices cearenses. Só posso dizer isso sobre o cancelamento do evento”, afirmou. Segundo Ciro Gomes, como o canteiro no Ceará onde estão ocorrendo as obras é em Lavras da Mangabeira, a 340 quilômetros de Fortaleza, ele havia sugerido outra opção. “Aí a assessoria da presidente Dilma, que chamam de Organizações Tabajara, marcou para Lavras da Mangabeira. Mas eu tinha proposto um evento em que ela entraria num trem no Piauí, etc, etc. Não era nem sequer aqui. Por aqui eu não preciso me exibir em canto nenhum”, afirmou. “Mas aí as Organizações Tabajara escolheram o canteiro de obras para dar a ordem de serviço. E estava tudo certo, mais de dez mil pessoas mobilizadas, estruturas todas caríssimas foram pagas por nós da Transnordestina. Quando foi ontem (quinta-feira) à noite, inacreditavelmente cancelaram porque o senador Eunício Oliveira bateu o pezinho lá em Brasília e disse que não aceitava”. Eunício é líder do PMDB no Senado e candidato derrotado por Camilo Santana (PT) ao governo do Ceará no ano passado. Para Ciro, a mudança na agenda é um “vexame”. “Esse tipo de matutice nem em cidade pequena do interior se aceita mais. O que me choca é a Presidência da República sucumbir a esse tipo de coisa”, afirmou. O senador Eunício Oliveira não quis comentar o assunto.

Estadão

28 de agosto de 2015, 20:53

MUNDO Envolvidos em escândalo da Fifa, argentinos são liberados de prisão domiciliar

Envolvidos no escândalo de corrupção da Fifa, os empresários argentinos Hugo e Mariano Jinkis foram liberados da prisão domiciliar nesta sexta-feira por um juiz local. Eles aguardavam em casa a decisão da Justiça a respeito do pedido de extradição das autoridades dos Estados Unidos. O Departamento de Justiça dos EUA lidera as investigações que levaram sete cartolas da Fifa à prisão no dia 27 de maio, em Zurique, na Suíça. E pediu a extradição dos argentinos pai e filho, por suposto pagamento de milhões de dólares em propinas para dirigentes da Fifa e da Conmebol. Com o suborno, os donos da empresa Full Play Group obtinham benefícios na disputa pelos direitos de transmissão de torneios importantes, como a Copa América. A empresa, junto da Traffic e da Torneos y Competencias (TYC) formaram a Datisa. Apenas quatro dias depois da fusão, a grande empresa obteve os direitos de imagem de quatro edições da Copa América (2015, 2016, 2019 e 2023). Por causa das suspeitas, os argentinos tiveram decretada a prisão domiciliar. Ao liberá-los da detenção, o juiz Claudio Bonadio determinou que a dupla deve permanecer a no máximo 60 quilômetros da corte argentina. Eles também não poderão deixar suas casas por mais de 24 horas sem notificar as autoridades judiciais.

28 de agosto de 2015, 20:41

BRASIL ‘Quem escolhe a delação é o acusado’, diz Moro

Foto: Werther Santana/Estadão

Juiz federal Sérgio Moro, que conduz processos da Lava Jato

Responsável em primeira instância pelas ações penais da Operação Lava Jato, em que as revelações dos desvios bilionários na Petrobrás tiveram como origem as colaborações premiadas, o juiz federal Sérgio Moro disse que, apesar da criticas generalizadas dos defensores de réus no caso, grandes escritórios de advocacia já estão cogitando se utilizar do mecanismo como estratégia de defesa. “Fiquei feliz em constatar que, apesar da ainda resistência retórica de parte da advocacia em relação à colaboração premiada, vários escritórios, inclusive escritórios renomados, passaram a admitir a prática deste instituto”, disse Moro no encerramento do 22.º Seminário Internacional de Ciências Criminais, realizado em São Paulo nesta sexta-feira, 28. No evento, a delação premiada recebeu críticas de estudiosos principalmente do ponto de vista da garantia dos direitos individuais. “A delação não pode servir de pressão sobre o delator, pois viola o direito constitucional do cidadão em não ser obrigado a fazer prova contra si mesmo”, disse o jurista Lenio Streck, especialista em filosofia do Direito. Ao se manifestar, Moro defendeu o mecanismo. “Se o acusado tem presente que a realização do acordo é melhor para ele, não vejo motivo para qualquer reprovação do emprego deste instituto”, disse. “Quem escolhe (a colaboração) é o acusado, assistido pelo defensor. O emprego dela não vejo como ser reclamada moralmente”. Segundo o juiz, a colaboração premiada é bom para a sociedade porque os crimes são revelados com risco reduzido de condenação de inocentes, porque o delator confessa os crimes, facilita o trabalho de investigação do Ministério Público e da polícia, é positivo até para o réu porque ele recebe um “prêmio” pela delação. Leia mais no Estadão.

Estadão

28 de agosto de 2015, 20:26

BRASIL ‘Me disponho a ser candidato a presidente’, afirma Ciro Gomes sobre ida para PDT

Foto: Divulgação

O ex-ministro Ciro Gomes

O ex-ministro Ciro Gomes disse nesta sexta-feira, 28, em Fortaleza, que está ingressando no PDT “porque precisamos construir alternativas viáveis para o País”. Ele se lança pré-candidato à sucessão de Dilma Rousseff em 2018. “Evidentemente não se monta esta base sem raiz. Nós não podemos nos movimentar sozinhos e o PDT é o caminho”, acrescentou. Segundo Ciro foram formadas comissões do grupo político dele (Ferreira Gomes) e do PDT para fazer um mapeamento das filiações. “Já terminamos este mapa de todos os municípios cearenses de maneira a fazer uma integração mais pacífica e tranquila possível”, afirmou destacando que “nós vamos todos. Eu não deixo amigo no caminho. O que nós precisamos fazer é respeitar a casa nova que está nos convidando para entrar”, afirmou. “Estamos chegando com toda humildade para ajudar, para construir essa alternativa para o Brasil. Eu me disponho a ser candidato a presidente da República. O Cid está preparado também se o partido precisar dele”, disse em seguida. Para Ciro o atual momento político econômico brasileiro existe do País duas tarefas. “Eu estou militando nas duas. Uma é proteger o calendário. As linguagens da democracia. Os ritos democráticos. Não há nenhuma razão que nos permita aceitar um golpe paraguaio, que seria manipular protocolos para criar uma dinâmica de ruptura na ordem democrática com o impedimento da presidente Dilma. Essa é a primeira tarefa”. Segundo Ciro a segunda tarefa “é pressionar em alto e bom som para que a presidente Dilma entenda que hoje a sensação que nós brasileiros temos é que fomos enganados. As nossas famílias são treinadas em austeridade. Nós todos somos capazes de fazer muitos sacrifícios, porém o que nós não toleramos é essa sensação de termos sido feitos de bobos, termos sido enganados. É isso hoje que está no seio da população”. Ciro destaca que “Dilma tem tempo urgente, mas tem um tempo para se reconciliar com esse conjunto de valores que deram a ela a sua reeleição”.

Estadão

28 de agosto de 2015, 20:24

EXCLUSIVA Carrera pode ir para PV disputar vice de ACM Neto

Foto: Divulgação/Arquivo

Luiz Carrera assume condição de pré-candidato a vice ao filiar-se ao PV

O secretário chefe da Casa Civil do governo ACM Neto (DEM), Luiz Carrera, deve deixar o DEM para se filiar ao PV nos próximos dias. A mudança partidária de Carrera é o lance mais ousado até agora feito pelo prefeito para se preparar para a sucessão municipal de 2016, já que o secretário é um dos nomes cotados para ser indicado vice em sua chapa. A vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, também foi indicada à chapa de Neto pelo PV, apesar de, recentemente, ter se transferido para o PPL. Os detalhes da filiação de Carrera teriam sido tratados diretamente por ele esta semana com o presidente estadual da agremiação, Ivanilsson Gomes, durante almoço num restaurante da cidade. Ainda que possa chegar à campanha do próximo ano bastante fortalecido, Neto dificilmente escolherá um companheiro de chapa que pertença também ao seu partido para encarar a disputa, daí querer colocar Carrera numa agremiação aliada para a eventualidade de escolhê-lo.

28 de agosto de 2015, 20:11

BRASIL Temer se recusa a negociar CPMF no Congresso e sugere articulação pessoal de Dilma

Foto: Evaristo Sá/AFP

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) ao lado da presidente Dilma Rousseff (PT)

A proposta do governo de recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) pôs em lados opostos a presidente Dilma Rousseff e o vice Michel Temer. Aborrecido por não ter sido avisado sobre o plano, Temer não escondeu a contrariedade quando recebeu um telefonema da presidente, na tarde de quinta-feira, 27, pedindo ajuda na articulação política para aprovar a volta do imposto do cheque no Congresso. “Não é momento de propor aumento de imposto, com a economia em recessão. Essa proposta não passa nem na Câmara e no Senado”, disse Temer, segundo relato da conversa obtido pelo Estado. “Se querem levar isso adiante, saibam que o governo tem tudo para perder.” Dilma não gostou do que ouviu, mas afirmou ao vice que a recriação da CPMF tinha respaldo de governadores e era importante para tirar as contas públicas do quadro deficitário, previsto para 2016. Temer ponderou, então, que os governadores podem até dizer que apoiam, mas na hora H não mobilizam as bancadas de seus partidos no Congresso. Diante da insistência da presidente, que se manteve irredutível, o vice sugeriu a Dilma que ela fizesse “pessoalmente” a articulação política para aprovar a proposta. No Palácio do Planalto, um auxiliar da presidente disse que a conversa foi marcada pela rispidez, mas Temer negou. “Foi feito um diagnóstico realista da situação”, afirmou o vice a aliados. Leia mais no Estadão.

Estadão

28 de agosto de 2015, 19:58

BRASIL STF mantém quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente da CBF

Foto: José Patricio/AE

Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Marco Polo Del Nero

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (28) manter decisão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Futebol que determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero. A quebra dos sigilos foi aprovada pela CPI no dia 20 de agosto, a partir de um requerimento de autoria do presidente da comissão, senador Romário (PSB-RJ). A defesa de Del Nero entrou com um recurso para impedir a quebra dos sigilos do presidente da CBF na quarta-feira (26). A CPI tem 180 dias para investigar possíveis irregularidades em contratos de partidas da seleção brasileira de futebol, de campeonatos organizados pela CBF, assim como da Copa das Confederações em 2013 e da Copa do Mundo de 2014.

Andre Richter, Agência Brasil

28 de agosto de 2015, 19:43

BRASIL Aécio: se Dilma superar a crise hoje, oposição estará pronta para 2018

Foto: Reprodução

Presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG)

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), rebateu nesta sexta-feira, 28, declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a disputa presidencial de 2018. Em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais, o petista disse que pode disputar a Presidência da República nas próximas eleições “se for necessário”. À mesma emissora, o tucano disse que a oposição respeita as regras constitucionais, mas ressaltou que as investigações contra a presidente Dilma Rousseff são de responsabilidade do governo petista e não fruto de ação dos opositores. “Caberá a nós das oposições garantir que qualquer desfecho se dê respeitando as regras do jogo. E se a presidente conseguir fazer a roda da economia voltar a girar e se defender adequadamente dessas acusações, o calendário será 2018 e as oposições estarão prontas disputar lá as eleições”, respondeu o senador. Mais cedo, o ex-presidente se colocou como possível candidato do PT à sucessão de Dilma. “Não posso dizer que sou nem que não sou candidato. Sinceramente, espero que outras pessoas sejam candidatas. Agora, uma coisa é certa: se a oposição acha que vai ganhar, que não vai ter disputa, e que o PT está acabado, ela pode ficar certa do seguinte: se for necessário eu vou para a disputa e vou trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições”, afirmou Lula. Aécio disse ver com naturalidade uma provável candidatura de Lula. “Mas, ao fazer isso agora, a menos de um ano do segundo mandato da presidente Dilma, só escancara a fragilidade deste governo”, afirmou o tucano. Em trechos da entrevista divulgados por sua assessoria, Aécio afirma que o desfecho para a crise acontecerá dentro dos princípios legais. “É preciso que fique claro que, para as oposições, qualquer desfecho para essa crise se dará estritamente dentro daquilo que prevê a Constituição. As investigações que ocorrem em relação à conduta da presidente da República, seja no TCU (Tribunal de Contas da União), seja em relação à eventual utilização de dinheiro da propina da Petrobras na campanha da reeleição, investigação essa já em condição de ser aberta no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), se dá única e exclusivamente por ações desse governo e não das oposições”, apontou. O presidente do PSDB cobrou explicações para a perda de 1,5 milhão de postos de trabalho em 2015 e a elevada taxa de juros. “Lamentavelmente, o governo do PT colocou o Brasil na maior e mais grave crise da sua história, com recessão, inflação, e o que é mais grave, a perda de esperança e de expectativas em relação ao futuro”, declarou.

Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2015, 19:31

SALVADOR Obras do Hospital Geral Ernesto Simões serão concluídas em até 180 dias

Foto: Reprodução

Hospital Geral Ernesto Simões Filho, em Salvador

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) autorizou nesta sexta-feira (28) a realização do aditivo do contrato para que sejam concluídas as obras de reforma e ampliação do Hospital Geral Ernesto Simões Filho, em Salvador. O prazo para finalização das obras é de até 180 dias, a partir do mês de setembro. Enquanto o setor de emergência passa por requalificação, os atendimentos estão sendo feitos em um conjunto de containeres adaptados para este fim. Os atendimentos, mesmo com as obras em andamento, não foram interrompidos. A unidade realiza uma média de mais de dois mil atendimentos por mês na emergência, prestando assistência aos casos de média e alta complexidade, perfil da unidade. Os pacientes de baixa complexidade são acolhidos e referenciados para o 16ª Centro de Saúde.

28 de agosto de 2015, 19:18

BRASIL Manifestantes pró e contra governo entram em confronto em Belo Horizonte

Manifestantes pró e contra o governo entraram em confronto na tarde desta sexta-feira, 28, antes do início do discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que participa de um congresso da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em Belo Horizonte. Desde às 16h30, militantes favoráveis ao governo federal e contrários se manifestavam na avenida Nossa Senhora do Carmo, na região centro-sul da capital mineira, onde ocorrerá o evento. Havia palavras de ordem e até xingamentos de ambos os lados, mas até então sem violência física, cada grupo em um lado da avenida. Por volta de 18h10, uma mulher do movimento antigoverno se aproximou dos manifestantes do outro lado e os chamou de “vagabundos”. Os manifestantes pró-governo, em grande parte da CUT e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), partiram então para cima dela. A Polícia Militar interveio com spray de pimenta. Cinco minutos depois, integrantes do movimento pró-governo abriram sacos de farinha gritando “Aécio cheirador”, em referência ofensiva ao presidente do PSDB, candidato derrotado nas eleições presidenciais do ano passado, Aécio Neves. Na sequência, duas senhoras do grupo antigoverno se aproximaram do grupo pró-governo e agrediram alguns dos manifestantes, com tapas e usando o cartaz que seguravam. Por sua vez, elas tiveram os cabelos puxados. A polícia separou a briga e os ânimos se acalmaram, mas os grupos continuam gritando ofensas em ambos os lados da avenida. Integrantes do grupo antigoverno falaram que vão ficar até o ex-presidente Lula chegar e a PM avalia que pode haver mais confusão.

Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2015, 19:05

BRASIL Dilma diz ‘concordar com tudo’ que Lula disse sobre 2018

Foto: Reprodução/ PR

Presidente Dilma de mãos dadas com o ex-presidente Lula

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira, 28, que concorda “com tudo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fala” após ter sido questionada sobre afirmações dele, pela manhã, de que, se fosse preciso, seria candidato nas eleições de 2018. “Tudo o que o Lula fala, eu concordo”, disse Dilma ao chegar ao Centro de Convenções Edson Queiroz, em Fortaleza, onde se reuniu com empresários. As declarações de Lula foram feitas durante uma entrevista à Rádio Itatiaia, de Montes Claros, na região norte de Minas Gerais. Foi a primeira vez que o petista se colocou mais claramente como um possível candidato desde que deixou a Presidência, em 2010. Perguntado se disputaria as próximas eleições presidenciais, Lula respondeu: “Não posso dizer que sou nem que não sou candidato. Sinceramente, espero que outras pessoas sejam candidatas. Agora, uma coisa é certa: se a oposição acha que vai ganhar, que não vai ter disputa, e que o PT está acabado, ela pode ficar certa de que, se for necessário, eu vou para a disputa e vou trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições”. Um pouco mais cedo, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, também comentou a entrevista dada por Lula. Segundo o dirigente petista, “há um forte desejo de que ele seja candidato”. Dilma participa da reunião com os empresários ao lado do líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT), do líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE) e do ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE).

Estadão Conteúdo

28 de agosto de 2015, 18:41

ECONOMIA Preço da energia vendida em leilão de reserva tem deságio de 13 5%

O 7º Leilão de Energia de Reserva (LER) foi concluído no final da tarde desta sexta-feira, 28, após mais de sete horas de duração. O certame terminou com a contratação de 231,5 MW médios de energia, a serem gerados por 30 empreendimentos solares, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), responsável pela operacionalização do leilão. O preço médio da energia comercializada ficou em R$ 301,79/MWh, o que representa um deságio de 13,5% em relação ao preço máximo de R$ 349/MWh estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O preço ficou 40,3% acima do valor médio de R$ 215,12/MWh da energia solar contratada em leilão de reserva realizado no ano passado. Os 30 projetos contratados hoje têm capacidade para injetar 833 8 MW de energia no sistema e possuem potência instalada de 1.043 MWpico. A garantia física dessas usinas está definida em 232,9 MW médios. O investimento previsto pela CCEE para a construção dos parques solares deve somar R$ 4,341 bilhões. O leilão movimentou R$ 12,248 bilhões, a partir da venda de 40 586 milhões de MWh em um período de 20 anos de contratação. O fornecimento terá início em agosto de 2017. A energia de reserva é contratada pelo governo federal e visa aumentar a segurança no fornecimento de energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Estavam habilitados 341 empreendimentos fotovoltaicos para o leilão. A capacidade total dos projetos somava 11.261 MW, equivalente à capacidade da usina de Belo Monte (11.233 MW). A maior parte dos empreendimentos, em um total de 125 projetos, estava localizada na Bahia, Estado que confirmou sua posição de protagonismo na exploração da energia solar para a geração de energia. O leilão de hoje viabilizou a construção de 12 parques solares no Estado.

Estadão Conteúdo