Frase do dia

Eu não sou candidato. Eu não serei candidato

Presidente Michel Temer comentar

23 de fevereiro de 2018, 21:58

BRASIL Em culto evangélico, Meirelles ‘prega’ sobre segurança pública

Foto: Igor Gadelha/Estadão

Ministro da Fazenda permaneceu no altar ao lado de pastores

Um dia após admitir pela primeira vez que é pré-candidato à Presidência da República, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), aproveitou passagem pela capital cearense para participar, na noite desta sexta-feira, 23, de culto na igreja evangélica Assembleia de Deus. Apresentado como o responsável por tirar o Brasil da recessão, Meirelles fez um discuso focado na defesa de melhoria na segurança pública, área na qual o Estado do Ceará enfrenta grave crise e que foi escolhida pelo presidente Michel Temer como novo mote de seu governo. Do altar da igreja, o ministro afirmou aos fiéis que “parte da economia” já está melhorando e que agora é preciso trabalhar para melhorar a situação em outras áreas, entre elas saúde, educação, transporte e segurança. “Os brasileiros têm direito à vida com esperança, mas também com mínimo de segurança para o pessoal andar tranquilo na rua e mesmo viver seguro em Casa”, pregou aos fiéis. “Nosso compromisso é continuar fazendo trabalho duro para que todos tenham segurança”, acrescentou Meirelles em outro texto do discurso, de cerca de 15 minutos. O ministro fez questão de lembrar que Fortaleza passa por “problema grave de violência, que temos que enfrentar”. Também citou a crise no Rio, com “crianças sendo alvejadas e mortas por bala”. “É uma situação de descaso com a vida”, disse. Sem fazer qualquer menção à candidatura, Meirelles afirmou que vai enfrentar “qualquer desafio, porque os desafios do Brasil são muitos”. Ele disse que trabalha na direção de construir uma “vida de família, um País forte, mas baseado nos valores de Deus, da igreja”. “Aqui, sinto essa força, essa energia”, discursou. Meirelles afirmou que a ligação com Deus é importante em qualquer projeto que vise governar o Brasil. “Precisamos antes de mais nada estarmos conectados primeiro com o povo de Deus, com o País e com o que de fato são nossos valores fundamentais. A partir daí, podemos construir de fato uma nação, um País e crescer”, pregou. O ministro falou aos fiéis que a situação econômica está melhorando, mas admitiu que a população ainda não começou a sentir essa melhora. “É questão de tempo o País estar em outra direção”. Em mais um afago aos fiéis, Meirelles afirmou que era uma “honra” estar com eles na igreja, “porque chego aqui e sinto um pouco de Deus, uma força espiritual”. E pediu orações ao País e para que seu trabalho possa continuar. “Gostaria de agradecer a todos e solicitar que orem pelo Brasil, pela economia, que esse trabalho possa continuar, para que possamos, de fato, ter futuro no Brasil cada vez melhor”, disse. “Vou voltar a Brasília, mas meu coração vai continuar aqui com vocês”, finalizou o discurso, após o qual recebeu orações e bençãos do alto do altar, sem contato físico com os fiéis. Meirelles foi à sede da Assembleia de Deus após proferir palestra para empresários em evento promovido pelo Lide (Líderes Empresariais) Ceará. Desde que começou a se movimentar para ser candidato, ele se aproximou do eleitorado evangélico e tem participado de cultos em igrejas. A última vez tinha sido no início de janeiro, quando participou de evento no Ministério Sara Nossa Terra, em Brasília, mesma igreja do deputado cassado e Eduardo Cunha (MDB-RJ). Na ocasião, também foi recebido com orações e defendeu as reformas do governo Michel Temer.

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018, 21:45

SALVADOR Prefeitura promove Dia D contra febre amarela neste sábado (24)

Com o objetivo de ampliar a imunização dos moradores de Salvador contra a febre amarela, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizará o Dia D de vacinação neste sábado (24), quando 57 pontos, entre unidades de saúde fixas e locais de grande circulação, como estações de transbordo, hipermercados e shoppings, ofertarão o serviço das 8 às 17h. A ação visa ampliar a cobertura vacinal na capital e em mais outros oito municípios baianos, além de reduzir a população suscetível à patologia num curto espaço de tempo. Na primeira semana de intensificação da estratégia, 5 mil doses foram aplicadas. Este ano, 78 mil pessoas foram imunizadas na capital, totalizando uma cobertura de 55%. Estima-se que pouco mais de 1,2 milhão de indivíduos ainda necessitam se proteger contra a doença em Salvador. A campanha segue até 9 de março em Salvador. A vacina fracionada será administrada em pessoas entre 2 e 59 anos que nunca foram imunizadas contra a doença. Crianças entre 9 meses e menores de 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids) e viajantes internacionais (o viajante deverá apresentar o comprovante do deslocamento) continuarão a tomar a dose padrão do imunobiológico.

23 de fevereiro de 2018, 21:30

BRASIL Pagamento da Odebrecht ‘é compatível’ com repasse a Glaucos e a compadre de Lula, diz perícia

Foto: Reprodução

O engenheiro Glaucos da Costamarques

A perícia da Polícia Federal nos arquivos do sistema de comunicação e de contabilidade do setor de propinas da Odebrecht apontou que um saque de R$ 1,034 milhão ‘é compatível’ com uma transferência da empresa DAG Construtora ao engenheiro Glaucos da Costamarques e ao escritório Teixeira, Martins Advogados. O dinheiro seria pagamento pela participação dos dois na compra do terreno que abrigaria a sede do Instituto Lula, em São Paulo. O laudo dos peritos foi anexado nesta sexta-feira, 23, à ação penal em que o ex-presidente é réu por corrupção e lavagem de dinheiro por suposta propina da Odebrecht. O Ministério Público Federal atribui ao petista vantagem indevida de R$ 12,5 milhões da Odebrecht, por meio da compra do terreno da Rua Haberbeck Brandão 178, e de um apartamento vizinho à residência do petista em São Bernardo de R$ 504 mil, que teria Costamarques como “laranja” e Teixeira como intermediário legal. A denúncia afirma que a compra do terreno foi realizada em nome da DAG Construtora Ltda., mas com recursos da empreiteira, parte dele do Setor de Operações Estruturadas, a máquina de fazer propinas do grupo que em dez anos movimentou US$ 3 bilhões. Roberto Teixeira é réu por lavagem de dinheiro nesse processo. Os peritos identificaram que ‘registro de saída para o codinome Beluga, no valor de R$ 1,034 milhão, cujo responsável foi HS, em 30 de dezembro de 2010’. ‘HS’ é o executivo Hilberto Silva, então chefe do setor de propinas da Odebrecht. Beluga seria a offshore Beluga Holdings LTD, pertencente a Mateus Claudio Gravina Baldassarri, um dos proprietários do imóvel situado à Rua Haberbeck Brandão 178, por intermédio da empresa ASA – Agência Sul Americana de Publicidade, que seria comprado pela Odebrecht em nome da DAG. “O montante de R$ 1.034.000,00 é compatível com a soma de dois valores repassados pela empresa DAG Construtora para Glaucos da Costamarques (R$ 800.000,00) e Teixeira, Martins Advogados (R$ 234.000,00). Estes valores foram corroborados com a movimentação bancária da DAG Construtora, constante no Laudo Nº 2549/2016-SETEC/SR/PF/PR12, no qual há registro de saída de R$ 800.000,00 para o Sr. Glaucos e R$ 219.609,00 (líquido de impostos – 1,5% de IR, 1,0% CSLL, 0,65% de PIS e 3,0 de COFINS) para a Teixeira, Martins Advogados. O pagamento destes valores foi em 20 de dezembro de 2010 e 17 de dezembro de 2010, respectivamente, conforme o citado laudo”, afirma a perícia. A informação sobre os dados registrados nos arquivos da Odebrecht confirma valores ligados aos negócios e servirão para o juiz federal Sérgio Moro analisar a acusação do Ministério Público Federal contra Lula. Marcelo Odebrecht confirmou em sua delação que comprou o terreno por acerto feito com o ex-ministro Antonio Palocci, que era o “gerente” da conta que a empresa tinha com o PT e Lula por seus negócios com o governo. Identificado como “Italiano”, foi ele quem deu aval para a compra pela empreiteira. O ex-presidente aparece nas planilhas do setor de propinas como “Amigo”, referência à sua amizade com o patriarca do grupo, Emílio Odebrecht.

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018, 21:26

BRASIL Em palestra, presidente do TRF4 defende fim do foro privilegiado

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, defendeu hoje (23) o fim do foro privilegiado. Ao palestrar na Câmara Americana de Comércio (Amcham), ele citou ex-presidentes dos Estados Unidos julgados pela Justiça e lembrou que todos eles responderam a processos em primeira instância. “Lá [nos Estados Unidos], o presidente da República, como toda e qualquer autoridade, responde ao processo em primeira instância. Não há o foro por prerrogativa de função”, disse. Fazendo uma comparação entre o caso Watergate [investigação que levou à renúncia do ex-presidente dos Estados Unidos Richard Nixon] e a Operação Lava Jato no Brasil, Thompson Flores disse que os fatos que ocorreram nos Estados Unidos há mais de 40 anos podem trazer reflexões. “Está mais do que na hora, no Brasil, de revisarmos o foro privilegiado”, afirmou. Segundo ele, todas as instâncias da Justiça brasileiras estão preparadas para lidar com a possibilidade do fim do foro privilegiado: “Digo isso com toda certeza. A Lava Jato é um exemplo. Os processos da Lava Jato estão tendo um prazo que não é rápido demais – o que comprometeria o direito de defesa dos acusados e investigados – e não é demasiadamente demorado, o que dá impressão de impunidade”. O desembargador destacou que, só no TRF4, passaram 911 processos relativos à Lava Jato, sendo que apenas 2% deles foram reformados em instâncias superiores. “As diversas instâncias estão preparadas”.

Agência Brasil

23 de fevereiro de 2018, 21:15

BRASIL Delator diz à PF que Temer tem fazenda em SP em nome de coronel

Foto: Eraldo Peres/AP

O presidente Michel Temer

O ex-diretor do grupo J&F, Ricardo Saud, que fechou acordo de delação premiada, afirmou à Polícia Federal que o deputado Paulinho da Força (SDD-SP) contou a ele que o presidente Michel Temer tem uma fazenda no estado de São Paulo e que a propriedade está no nome do coronel da Polícia Militar João Batista Lima. De acordo com o site G1, Paulinho da Força disse que Saud frequentava “muito” a casa dele, e que eles faziam “muitas brincadeiras”, negando ter dito que a fazenda era de Temer. “Eu nunca disse que a fazenda era do Temer. Sim, ele [Temer] me pediu ajuda algumas vezes por conta da invasão da fazenda, que ele dizia ser do seu amigo. E eu ajudei várias vezes por conta da invasão”, afirmou. Ainda segundo a publicação, a Secretaria de Comunicação da Presidência disse que Michel Temer não possui nenhuma fazenda. Afirmou também que o presidente jamais teve reunião com Ricardo Mesquita e Ricardo Saud para tratar sobre a área da Eldorado no Porto de Santos e que não interferiu na Codesp em favor da empresa.

23 de fevereiro de 2018, 21:01

BRASIL Secretário de segurança de SP diz que intervenção no Rio não deve afetar estado

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa, disse hoje (23) que a intervenção federal no Rio de Janeiro não deverá causar a migração de criminosos para o estado paulista. Segundo Barbosa, não existe nenhuma indicação de que São Paulo será afetado pela ação no estado vizinho. “Nada de concreto nos leva a crer, tanto historicamente como nos dias de hoje, que ocorra qualquer tipo de migração de bandidos do Rio de Janeiro para São Paulo. Nós tivemos vários momentos do Rio de Janeiro em que as Forças Armadas foram empregadas nas operações de garantia da lei e da ordem [GLO]. Em nenhum desses momentos, desde 1992, nós tivemos migração de ações criminosas. Não há porque imaginar que haverá agora”, disse. Mágino, no entanto, disse que não é possível “cravar” que São Paulo não será afetado, e acrescentou que está tratando o assunto com cautela. “Todas as nossas forças policiais estão preparadas, vigilantes, atentas para qualquer eventualidade. Estamos já realizando algumas operações e iremos intensificar na medida em que forem.

Agência Brasil

23 de fevereiro de 2018, 21:01

BAHIA Projeto social beneficiará 150 jovens na Arena Fonte Nova

Incentivar a prática do esporte, da cultura e o lazer para jovens em situação de vulnerabilidade social. Esse é o objetivo do projeto desporto educacional ‘Esporte na Cidade’, que será lançado na próxima quarta-feira (28), às 16h, na Arena Fonte Nova, em Salvador. A iniciativa é uma realização da Organização De Peito Aberto Incentivo ao Esporte, Cultura e Lazer, com patrocínio do SporTV, em parceria com a Arena Fonte Nova. O projeto atenderá 150 jovens, entre 7 e 15 anos, das comunidades do entorno da Arena Fonte Nova, na região central de Salvador. As vagas serão preenchidas por estudantes dos colégios estaduais Victor Civita e Severino Vieira, além das escolas municipais Amélia Rodrigues, Maria Quitéria e Ruy de Lima Maltez, todas localizadas no Dique Pequeno, Nazaré, Tororó e Ladeira dos Galés. As aulas gratuitas serão realizadas na Arena Fonte Nova, às terças e quintas-feiras, nos turnos da manhã e da tarde. Os jovens serão acompanhados por um professor especializado, que dará todo o suporte técnico e físico para os alunos. “Culturalmente, a prática esportiva é um agente de transformação social. Por isso, a Arena Fonte Nova apoia esta ação, que visa combater situações de vulnerabilidade, além de incentivar possíveis atletas no futuro”, afirma a coordenadora de Recursos Humanos da Arena Fonte Nova, Marcela Araújo. O coordenador do projeto, Ricardo Santana, comentou sobre a expectativa para o lançamento oficial do Esporte na Cidade, em Salvador. “Será um evento muito importante para Salvador. Juntamente com o SporTV, com a Arena Fonte Nova e com o governo Federal, vamos beneficiar 150 jovens em vulnerabilidade social. Podemos afirmar que pelo projeto ser realizado num estádio de Copa do Mundo, temos, efetivamente, um legado de 2014”, ressalta. Viabilizado por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, o projeto contemplará, de forma gratuita, os beneficiados com kits completos de uniforme (calção, camisa, meião e chuteira). Com mais de sete anos de atividades, o Esporte na Cidade já atendeu mais de 12 mil crianças e adolescentes em diversas regiões do Brasil, contribuindo para a formação social dos jovens, por meio de atividades de desporto educacional.

23 de fevereiro de 2018, 20:49

BRASIL Comando Militar prepara reivindicações para uso de tropas na intervenção do Rio

O Comando Militar do Leste deve entregar até segunda-feira, 26, ao governo uma lista de reivindicações para que a intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro não fracasse. A partir dessa lista, governo e Congresso vão discutir como atender às demandas para que as Forças Armadas tenham autoridade e força no processo de intervenção. Um dos temas que podem entrar no pacote de demandas é a questão da segurança jurídica aos militares. Há uma preocupação nas Forças Armadas e entre os parlamentares que militares sejam julgados pela justiça comum por atos cometidos durante a vigência da intervenção. A legislação em vigor não garante o foro privilegiado dos militares. “O assunto está sendo posto como demanda e como resposta a ser dada no espaço de garantia da segurança jurídica para as forças que estão indo para o Rio”, disse o deputado Lelo Coimbra (MDB-ES), líder da Maioria na Câmara. Na Câmara, há um projeto pronto para ser colocado em votação no plenário que muda os Códigos Penal Militar e de Processo Penal Militar que garante ao oficial o direito a ser julgado pela Justiça Militar em casos de crimes praticados no cumprimento de atribuições das Forças Armadas estabelecidas pela Presidência da República ou pelo Ministério da Defesa. A proposta vai além da garantia do foro em ações da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), mas envolve todas as ações características de missão militar. O ponto polêmico do projeto em tramitação na Câmara é que ele submete o cidadão civil que atentar contra um militar também à Justiça Militar. “Se o bandido matar militar, vai para a Justiça Militar”, resumiu o relator do projeto, deputado Ronaldo Fonseca (PROS-DF). O deputado foi relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), quando o texto foi aprovado em maio de 2017, e contou que foi procurado nesta semana por interlocutores do Superior Tribunal Militar (STM) dispostos a retomar as discussões sobre a proposta. “O projeto dá mais segurança para os militares e não atende só a GLO”, emendou Fonseca.

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018, 20:45

BRASIL Demora de Joaquim Barbosa para definir filiação irrita dirigentes do PSB

Foto: André Dusek/Estadão

o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa

Há dirigentes do PSB irritados com o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa. Isso porque ele ficou de responder, após o Carnaval, se toparia ingressar na legenda e disputar a Presidência da República. O Carnaval acabou há dez dias e Barbosa ainda não se manifestou. Segundo a coluna Expresso, da revista Época, a demora do ex-ministro do STF tem atrasado a definição dos rumos do PSB.

23 de fevereiro de 2018, 20:30

BRASIL ‘Fichar moradores parece prática da ditadura’, diz defensoria

Foto: Wilton Júnior/Estadão

Exército ficha moradores de favelas do Rio de Janeiro

A Defensoria Pública do Estado irá requerer informações às Forças Armadas pelas fotos de moradores da Vila Kennedy, na zona oeste, feitas por militares na operação desta sexta-feira, 23, para a checagem de antecedentes criminais. O defensor público Daniel Lozoya, do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos do órgão, esclareceu que ninguém deveria ser fotografado após apresentar o documento de identificação civil. Ele afirmou que a prática se assemelha às da ditadura militar. Segundo as Forças Armadas, a iniciativa é legal e rotineira. O defensor disse que os cidadãos que se sentiram constrangidos podem procurar amparo na sede da Defensoria, no centro do Rio. “Tem de haver transparência. Para onde estão sendo mandadas essas imagens? Isto remonta a práticas antigas, da ditadura. O cidadão não é obrigado a aceitar. Mas tem medo de negar, diante de militares armados de fuzil. Se mostra a identificação civil, não tem que ser fotografado”. Segundo Lozoya, as Forças Armadas incorreram no crime de constrangimento ilegal, que é quando se constrange “alguém, mediante violência ou grave ameaça, ou depois de lhe haver reduzido, por qualquer outro meio, a capacidade de resistência, a não fazer o que a lei permite, ou a fazer o que ela não manda”. Moradores da Vila Kennedy, apesar de se mostrarem favoráveis à intervenção federal na segurança do Rio, em vigor há uma semana, deixaram de sair para trabalhar por se sentirem acuados pela medida. Parte dos que passaram pelo “cadastro” dos militares ficou contrariada. “Apoiamos a intervenção, mas estamos assustados. O que esperar? O que vem depois disso? Então somos todos suspeitos? Se eu saio para comprar mão tenho que passar por isso?”, revoltou-se um rapaz, que falou com o Estado posteriormente, pelo telefone, sob a garantia do anonimato. “É muita humilhação. Mas aqui é favela, eles acham que podem tudo. Quero ver fazer isso na zona sul”, lamentou. “O clima está muito estranho. Muita gente não saiu de casa. Nas zonas ricas nem poriam um tanque na porta. Estamos vivendo uma incerteza. Ninguém quer ser confundido com um traficante”, disse outro rapaz. “O soldado faz a foto com o próprio celular dele”. O Comando Militar do Leste (CML) não considera que as fotos violem direitos. “Trata-se de um procedimento feito regularmente, legal, cuja finalidade é agilizar a checagem de dados junto aos bancos de dados da Secretaria de Segurança”, afirmou o coronel Carlos Frederico Cinelli, chefe da comunicação social. “Uma vez enviada para o sistema da Polícia Civil, a foto é deletada”. Segundo Cinelli, a checagem através das fotos causa “menos transtorno” às pessoas. “Caso não fosse feita assim, essa checagem demandaria muito mais tempo e transtorno ao cidadão. A checagem é feita quanto a mandados de busca em aberto e consulta à ficha de antecedentes criminais”. A medida é autorizada pelo decreto da Garantida de Lei e da Ordem (GLO), de sete meses atrás, “que faculta a realização de inspeções e revistas no âmbito de uma operação desta natureza”, disse. A operação desta sexta se deu dois dias depois de o subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, tenente Guilherme Lopes da Cruz, de 26 anos, ser morto ao reagir a uma tentativa de roubo, na zona oeste. Na terça-feira, o sargento do Exército Bruno Cazuca, de 35 anos, também foi morto na região ao responder a um assalto.

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018, 20:27

ECONOMIA Dólar cai e bolsa de valores bate recorde, após Fitch rebaixar nota do Brasil

No dia em que a agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou a nota de crédito da dívida soberana do Brasil, a moeda norte-americana caiu e a bolsa de valores voltou a bater recorde. O índice Ibovespa encerrou esta sexta-feira (23) com alta de 0,7%, aos 87.293 pontos. Essa foi a sétima sessão seguida de alta do indicador. O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 3,242, com recuo de R$ 0,007 (-0,21%). Mesmo com a queda, a divisa fechou a semana com alta de 0,63%. Hoje, a Fitch rebaixou a nota do Brasil para três níveis abaixo do grau de investimento, garantia de que o país não corre risco de dar calote na dívida pública. Entre outras razões, a agência citou o adiamento da votação da reforma da Previdência como fator que impede a confiança na trajetória da dívida pública. Por meio de nota, o Ministério da Fazenda informou que o país continua comprometido em avançar com a agenda de reformas para aumentar a produtividade e citou medidas como o teto de gastos, a reforma trabalhista, o programa de recuperação fiscal dos estados e a nova Taxa de Longo Prazo, que corrigirá os novos financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Agência Brasil

23 de fevereiro de 2018, 20:20

EXCLUSIVA Carletto pode ser suplente de senador de Wagner em solução para pacificar PR

Foto: Divulgação/Arquivo

O deputado federal Ronaldo Carletto, hoje no PP, teria, no entanto, que ir para o PR

Os operadores políticos do governador Rui Costa (PT) julgam ter encontrado a fórmula para pacificar o PR e lhe dar espaço na chapa com que o petista vai disputar a reeleição, em outubro, motivo hoje de insatisfação na legenda, que tem sido cortejada pela equipe do prefeito ACM Neto (DEM). A idéia é incentivar o deputado federal Ronaldo Carletto, hoje no PP, a filiar-se ao PR, e fazê-lo suplente de Jaques Wagner, que será candidato a uma das vagas ao Senado. Depois de eleito, Wagner, no entanto, voltaria a ocupar um cargo de secretário no governo, permitindo que Carletto assuma o mandato de senador. A proposta chegou a ser feita à senadora Lídice da Mata (PSB), que, no entanto, teria argumentado que ainda era cedo para definições na expectativa de ser escolhida para a segunda vaga de senadora na chapa, que já está prometida ao PSD do senador Otto Alencar. Carletto não pode ficar no PP porque o partido já assegurou a manutenção do atual vice, o progressistas João Leão, na chapa de Rui em posição que pode variar como candidato ao Senado ou à própria vice.

23 de fevereiro de 2018, 20:15

SALVADOR Simm pretende capacitar 6 mil pessoas para facilitar acesso ao mercado de trabalho

Facilitar o acesso ao mercado de trabalho por meio de capacitação profissional é o objetivo da Prefeitura de Salvador, que mantém, no Serviço Municipal de Intermediação de Mão de Obra (SIMM), o Setor de Qualificação, responsável pela realização de cursos, palestras e oficinas direcionados aos que buscam manter ou conquistar um emprego. O órgão pretende capacitar 6 mil pessoas até o final deste ano. Em 2017, o SIMM qualificou 3.973 mil cidadãos, através de 86 cursos, 146 oficinas e 15 palestras. De acordo com a supervisora de Psicologia do SIMM, Gabriela Andrade, o cartão de entrada para quem busca um emprego é o currículo, composto dos seguintes itens: nome completo, data de nascimento, endereço, e-mail e telefone. Isso tudo, é claro, ao lado do objetivo, seguido da formação acadêmica, experiência profissional e, por fim, os cursos de qualificação. “Para conseguir uma vaga ou se manter no mercado de trabalho é fundamental ter o marketing pessoal, como também utilizar a criatividade, ser proativo, inovador, mas tudo com cautela”, explica Gabriela Andrade. Segundo o secretário municipal de Trabalho, Esporte e Lazer, Geraldo Junior, as qualificações são importantes tanto para os que estão em busca de um emprego quanto para quem já está atuando em alguma área, já que incentiva e promove o desejo de crescer profissionalmente. “É um passo importante para o avanço do profissional. Nesses cursos, as pessoas fazem o networking e ficam conectados com o que tem de mais atual no mercado”, afirmou o gestor. Já entre os pontos mais considerados pelas empresas estão o comportamento e a postura profissional. “As pessoas precisam ter cuidado com o uso do celular, e hoje em dia precisam ter mais atenção com as redes sociais”, completa a supervisora. As inscrições dos cursos de capacitação profissional devem ser feitas na sede do órgão, na Rua Miguel Calmon, 560, Edf. Ouro Preto, Comércio. Para participar basta levar carteira de trabalho.

23 de fevereiro de 2018, 20:00

BRASIL Dodge defende penas alternativas para aliviar o sistema penitenciário

Foto: Dida Sampaio

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, citou a adoção de medidas que incluam a redução do encarceramento de crimes não violentos e prisão para os crimes graves como possível solução para a crise no sistema penitenciário brasileiro. “Será que não deveríamos deixar as prisões apenas para quem comete crimes realmente graves, violentos e esses decorrentes da corrupção que tanto mal causam à sociedade?” Raquel afirmou que o sistema de Justiça deve refletir sobre a aplicação de penas alternativas, como a prestação de serviços comunitários, a reparação efetiva de danos, o uso de tornozeleiras eletrônicas e a oferta de cursos de capacitação a jovens infratores. A procuradora participou, nesta sexta-feira, 23, de lançamento do Plano Geral de Atuação do Ministério Público de Goiás para o biênio 2018/2019. No evento, destacou a gravidade do problema da segurança pública, a demora das decisões judiciais e a baixa reabilitação dos condenados. Frisou, no entanto, que é necessário fazer um diagnóstico após comparar dados do Judiciário, do Ministério Público e do Executivo. A procuradora mencionou ainda que os índices de cumprimento de mandados de prisão são inversamente proporcionais à gravidade dos crimes. “Os mais violentos são aqueles que têm os mandados de prisão cumpridos mais lentamente. E os menos violentos quase sempre são cumpridos mais rapidamente”. Raquel também citou a importância da manutenção do entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) que permite o início da execução da pena após segunda instância e a necessidade de consolidação do cadastro nacional de presos.

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018, 19:45

BRASIL Virgílio desiste de prévia com Alckmin e o chama de cínico

Foto: Divulgação

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, desistiu de disputar prévia com o governador paulista Geraldo Alckmin pelo posto de candidato à Presidência pelo PSDB. De acordo com ele, a prévia que estava sendo organizada pelo partido, que tem Alckmin como líder nacional desde dezembro, seria uma “fraude”. Virgílio Neto ainda classificou o paulista como um “cínico”. “Me recuso a participar de uma fraude, de um simulacro de eleição”, disse. A decisão foi tomada na noite desta sexta-feira, 23, após a executiva nacional definir as regras da prévia. “Fizeram uma molecagem”, disse, ao se referir à decisão do partido de realizar apenas um debate entre os dois. Virgílio Neto defendia ao menos três embates e um deles em São Paulo, governado há mais de sete anos consecutivos por Alckmin. O comunicado oficial às lideranças do partido ainda não foi feito. Ao Estado, Virgílio Neto afirmou que não tem “vontade nenhuma” de ajudar na campanha presidencial de Alckmin e não descarta, como consequência, ser expulso da legenda. “Já que não expulsam os ladrões do PSDB, quem sabe não me expulsam?”, ironizou. Com a prévia nacional descartada, Alckmin deve trabalhar agora para um entendimento entre os pré-candidatos tucanos ao governo paulista a fim de evitar também aqui um pleito interno para a escolha de seu sucessor. A executiva paulista da legenda havia determinado, na última segunda, que a disputa ocorresse no mesmo dia da prévia nacional, marcada anteriormente para 18 de março.

Estadão Conteúdo