Frase do dia

Existe uma medida para acabar com a corrupção: tirar o PT do governo!

Aécio Neves, no debate com Dilma da Rede Globo de Televisão comentar

25 de outubro de 2014, 10:16

BRASIL Grupo picha e joga pedras e papéis em editora da Veja

Um grupo com cerca de 20 pessoas realizou na noite de ontem um protesto em frente ao prédio da Editora Abril – que edita Veja -, na zona oeste de São Paulo. Os manifestantes jogaram papel na entrada do prédio, picharam um dos muros e atiraram pedras. A polícia dispersou o ato. Ninguém foi detido. A Abril informou por meio de sua assessoria que não iria comentar o caso. O movimento aconteceu após a revista, que começou a circular na manhã de sexta-feira, trazer na capa a informação de que a presidente Dilma Rousseff (PT) e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, sabiam de todo o esquema de corrupção montado na Petrobras. A reportagem cita depoimento do doleiro Alberto Yousseff à Polícia Federal, prestado na última terça-feira em Curitiba, no processo de delação premiada.

Agência Estado

25 de outubro de 2014, 10:00

SALVADOR Aécio grava VT elogiando atuação de Prates em prol de pessoas com deficiência

Foto: Divulgação

Aécio parabenizou Leo Prates em vídeo no WhatsApp

Autor de diversos projetos de Lei que beneficiam pessoas com deficiência, o líder do DEM e vice-líder do Governo na Câmara Municipal de Salvador, Leo Prates, afirmou a importância de Aécio ter cobrado publicamente, em debate exibido ontem (24), atraso de “três meses” no repasse para o Fundo Nacional de Assistência, prejudicando os programas sociais voltados às pessoas com deficiência. Em contrapartida, Neves gravou um vídeo reconhecendo a luta de Leo Prates em prol das pessoas com deficiência. Leo Prates elaborou várias proposições parlamentares voltadas às pessoas com deficiência. Como, por exemplo, o Projeto de Lei 186/2014, que estabelece modificações nas calçadas para facilitar o trânsito das pessoas com deficiência. Assim como o Projeto de lei Nº 81/2014, que obriga a inclusão e reserva de 2,5% de vagas na rede pública e privada de educação de Salvador para crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista. E também a indicação ao prefeito da construção de Residência Inclusiva para pessoas com deficiência. Assim como estes, Prates já realizou inúmeras propostas voltadas para a ampliação dos direitos das pessoas com deficiência e algumas já viraram lei.

25 de outubro de 2014, 09:45

BRASIL TRE suspende 60% de horário eleitoral em Goiás

O último dia de horário eleitoral gratuito em Goiás teve mais tela azul do que imagens dos candidatos: 60% dos 20 minutos reservados aos candidatos para o segundo turno foi suspenso pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). Iris Rezende (PMDB), que faz campanha de oposição com ataques à atual gestão, teve sete de seus dez minutos suspensos pelo tribunal. Marconi Perillo (PSDB), que tenta a reeleição e diz fazer campanha propositiva, apenas com “resposta aos ataques”, perdeu metade de seu programa. Os candidatos reservaram o último dia de campanha para carreatas e caminhadas. Ambos focam as campanhas na região metropolitana de Goiânia, algo que já havia acontecido no primeiro turno. A região concentra um terço dos votos do Estado e receberá seis dos sete eventos de rua dos concorrentes. Os últimos atos acontecerão em Trindade, a 17 quilômetros de Goiânia. Perillo tem uma caminhada marcada para 16h. Rezende agendou uma carreata às 17h30.

Pedro Palazzo, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 09:30

BRASIL Partidos se acertam para evitar brigas em atos

O clima de tensão entre militantes de rua das campanhas de Dilma Rousseff e Aécio Neves na reta final da disputa pela Presidência fez com que os partidos fechassem ontem um acordo para tentar impedir novos conflitos. Ontem, o PT realizou um comício com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na região central de São Paulo. Depois, cerca de 3 mil petistas, segundo a Polícia Militar, caminharam até a Praça da Sé. A agenda foi organizada sem que os coordenadores da campanha de Dilma soubessem que os tucanos também tinham um ato previsto na mesma região e marcado para o mesmo horário. Tão logo souberam, o presidente do PT paulista, Emídio de Souza, telefonou para Edson Aparecido, um dos coordenadores da campanha de Aécio, pedindo o adiamento da passeata do PSDB. Os tucanos decidiram cancelar o evento de última hora e reagendaram para hoje. Alguns apoiadores de Aécio, porém, não ficam sabendo e apareceram no centro. O clima foi amistoso. No dia anterior, também no centro de São Paulo, militantes do PT e do PSDB se agrediram depois de participar de atos de apoio a Dilma e a Aécio em locais próximos um do outro. No começo da semana, em Uberaba, interior de Minas Gerais, um grupo de dez estudantes de medicina causaram confusão durante um ato de campanha de Dilma ao protestarem contra o programa Mais Médicos. Com adesivos e bandeiras de Aécio, eles acabaram sendo expulsos do evento por militantes do PT.

Ricardo Chapola, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 09:15

BRASIL Alckmin diz que petista foi ‘desrespeitosa’ com SP

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta sexta-feira, 24, que a presidente Dilma Rousseff (PT) foi “injusta e desrespeitosa” com o Estado ao usar a crise no abastecimento de água para criticar a falta de planejamento em gestões do PSDB. “Ela fez uma crítica oportunista”, comentou o governador, no intervalo do debate da TV Globo entre os candidatos à Presidência nesta sexta-feira. “Vivemos a maior seca dos últimos 84 anos e estamos enfrentando a situação com obras e planejamento. Querer tirar proveito político disso agora é uma falta de respeito com São Paulo”, insistiu. Questionado sobre o teor de uma conversa da presidente da Sabesp, Dilma Pena, com o Conselho de Administração da empresa, na qual ela diz que “é um erro” não alertar a população sobre a gravidade do problema da falta de água, Alckmin minimizou. “Aquilo era uma conversa interna, de diretores. Isso é bobagem”, respondeu. A reportagem obteve o áudio da conversa de Dilma Pena, divulgado nesta sexta-feira no portal do Estadão. A reunião em que ela fala que a Sabesp não está mais na mídia por ordens “superiores” ocorreu em agosto, a dois meses da eleição.

Vera Rosa, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 09:00

BRASIL SP: Oposição na Assembleia pede investigação de Alckmin

Foto: Agência Brasil

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)

A oposição na Assembleia Legislativa de São Paulo entrou com uma série de representações contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB) após a divulgação dos áudios da Sabesp. A bancada do PT pediu ontem que o Ministério Público Estadual (MPE) investigue o governador por improbidade administrativa. “O Alckmin não teve a prudência e a responsabilidade de deixar a Sabesp fazer o que ela deveria ter feito”, disse o deputado petista João Paulo Rillo. O pedido também vale para o secretário estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, Mauro Arce. O também deputado da oposição Carlos Giannazi (PSOL) fez duas representações: uma à Assembleia e outra ao MPE. Na primeira, pede o impeachment de Alckmin por “colocar em colapso” o sistema de abastecimento, “prejudicando a vida e a saúde” dos paulistas. Na segunda, ele pede que o órgão determine a perda de mandato do governador e que a presidente da Sabesp, Dilma Pena, seja investigada por prevaricação. Na quarta-feira, o PSDB protocolou um pedido de quebra de decoro parlamentar contra Rillo. Um dia antes, o PT promoveu uma palestra com o presidente da ANA, Vicente Andreu. Ele disse que o uso da segunda cota do volume morto é uma “pré-tragédia” e que, se não chover, “não haverá alternativa a não ser ir ao lodo”. O governo disse que “sempre que solicitado pelas autoridades competentes, entre elas o MPE, tem prestado as informações, e assim continuará atuando”. Assim como na visita de Andreu, a situação classificou o vazamento dos áudios como “eleitoreiro”. “O tom da campanha da Dilma (Rousseff) é atingir São Paulo e a forma de prejudicar o Aécio é atacar o Alckmin”, afirmou o deputado Orlando Morando (PSDB). Ele acredita que o PT e o PSOL “não têm fatos ou motivação” para que as representações tenham sucesso. O PSDB pede que Rillo seja investigado por crime eleitoral.

Rafael Italiani, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 08:45

BRASIL Com PT ou PSDB, Secretaria de Portos deve acabar

Independentemente do resultado das urnas no 2.º turno, o destino de um ministério da área de infraestrutura já está definido. Mal avaliada pelo mercado e pelo próprio governo federal, a Secretaria de Portos (SEP) deve deixar de existir tanto em um novo mandato do PT quanto em uma gestão do PSDB. Com status de ministério adquirido em 2007, a SEP não conseguiu levar adiante o processo de concessões de portos planejado por Dilma e deve voltar a ser uma secretaria do Ministério dos Transportes, caso a presidenta seja reeleita. Em caso de vitória do PSDB, a pasta seria engolida pelo Superministério de Infraestrutura prometido por Aécio, que reuniria as pastas de Energia, Transportes e Comunicações. O candidato ainda não disse quem poderia ocupar a pasta, que seria responsável por toda a área de logística, mas o nome de seu braço direito, o senador eleito Antonio Anastasia, é um dos mais cotados. Ele também é citado para a Casa Civil. Já a permanência do PT no governo não deve trazer grande renovação na área. O atual ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, fez parte da solução de uma relação conturbada entre o Palácio do Planalto e o PR, que culminou com a saída do então ministro César Borges, realocado justamente na pasta dos Portos, em meados deste ano. Na Esplanada dos Ministérios circula a informação de que Passos poderia permanecer à frente da área como homem de confiança de Dilma no setor, mas também já se cogita um eventual retorno de Borges ao comando da pasta, pois Dilma dificilmente abriria mão do ex-governador baiano no governo.

Eduardo Rodrigues, Anne Warth, Agência Estado

25 de outubro de 2014, 08:30

BRASIL PT pede ao STF investigação sobre depoimento de doleiro

Foto: Divulgação

Doleiro Alberto Youssef

O PT entrou ontem (24) no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de abertura de inquérito criminal para investigar o vazamento do suposto depoimento no qual o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), liga a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao esquema de corrupção na Petrobras. A informação foi publicada pela revista Veja. Segundo o PT, a reportagem é “inverídica, difamatória e caluniosa”. Na petição, os advogados também pedem acesso à integra do depoimento de delação premiada feito entre o doleiro, o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal. “Deve-se destacar a necessidade de acesso imediato ao conteúdo do mencionado depoimento, visto que ampla divulgação de supostos fatos criminosos envolvendo a presidenta da República, exatamente às vésperas da eleição presidencial, sem que se possibilite um mínimo contraditório da imputada, [o que] pode influenciar o eleitorado e abala a lisura do pleito˜, afirma a defesa do partido. Mais cedo, o ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou pedido do partido para a retirada da reportagem na página do Facebook da revista Veja.

André Richter, Agência Brasil

25 de outubro de 2014, 08:15

BRASIL PSDB pede investigação contra Lula e Dilma à PGR

Foto: Divulgação

Dilma Rousseff e Lula

Após a divulgação da revista Veja desta semana, o PSDB entrou com uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) para que a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sejam investigados. Segundo a revista, o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), prestou depoimento no qual liga a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao esquema de corrupção na Petrobras. A informação foi publicada pela revista Veja. Segundo o PT, a reportagem é inverídica, difamatória e caluniosa”. O PT também protocolou no Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de abertura de inquérito criminal para investigar o vazamento do suposto depoimento. Na petição, os advogados também pedem acesso à integra do depoimento de delação premiada feito entre o doleiro, o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal.

André Richter, Agência Brasil

25 de outubro de 2014, 08:00

BAHIA Tribunal rejeita cassação de mandato de presidente da UPB

Foto: Emerson Nunes / Política Livre

Prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria Chagas (PSB)

O Tribunal Regional Eleitoral rejeitou ontem o pedido de cassação de mandato da prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria Chagas (PSB), presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB). Na ação, movida por Mariane Mercure (PDT), candidata derrotada por Quitéria em 2012, Quitéria é acusada de abuso de “poder econômico” e de “compra de votos” para se eleger prefeita. A ação já havia sido negada pela Justiça Eleitoral do município. Para o juiz Fábio Alexsandro Costa Bastos, relator do processo no TRE, foi constatada a “inexistência de provas robustas e contundentes” para cassar a gestora. Apesar das duas derrotas seguidas, Mariane cogita recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Jairo Costa Junior/ Coluna Satélite, Correio*

25 de outubro de 2014, 08:00

BRASIL Tropas federais atuarão em 13 municípios do Ceará

No segundo turno das eleições neste domingo (26), 13 municípios do Ceará receberão tropas federais. Nesta sexta-feira (24), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmou que os municípios de Guaiuba e Itaitinga também vão ter reforço do Exército. Antes disso, o Tribunal Superior Eleitoral havia autorizado a presença de 2.500 militares em onze cidades cearenses. A capital Fortaleza é um dos municípios que terá a presença das forças federais. As outras cidades são Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Sobral, Crateús, Aracati, Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Pacatuba. A dona de casa, Tânia Maciel, de 64 anos, acha que a presença dos militares nas ruas vai ajudar para que a votação ocorra com mais tranquilidade. “É uma boa, né? Desde que seja para a segurança do povo.” A comerciante Dalva Monteiro, 48 anos, defende que o tempo de presença das tropas federais seja estendido em Fortaleza. “O bom seria que eles fizessem isso todos os dias, porque aqui em Fortaleza nós não temos segurança. Há nove anos eu trabalho nessa banca [de revistas], e a pelo menos dois, todas as vezes que passa alguém de bicicleta ou moto eu fico morrendo de medo. Ao invés de me sentir mais segura no meu trabalho, eu estou é regredindo”, queixa-se a comerciante. O reforço na segurança das eleições no Ceará, com a presença do Exército, foi um pedido do procurador regional Eleitoral, Rômulo Conrado. De acordo com o Ministério Público do estado, houve a suspeita de repressão ao trabalho da Polícia Militar no primeiro turno, dia 5 de outubro. Segundo a investigação, as viaturas da PM ficaram paradas em alguns pontos das cidades, aguardando comando dos órgãos de segurança. Isso teria impedido a ronda dos policiais nos locais próximos à votação. Além dos militares do Exército, 10,2 mil policiais civil e militares também vão trabalhar no Ceará no domingo.

Katiana Rabêlo, Agência Brasil

25 de outubro de 2014, 07:51

BRASIL Doleiro diz que Lula ordenou pagamento a agência suspeita

Foto: Divulgação

Ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli

O doleiro Alberto Youssef afirmou nos termos de sua delação premiada que o então presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva teria dado uma ordem em 2010 ao então presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, para que ele resolvesse uma pendência com uma agência de publicidade suspeita de integrar o esquema de corrupção na Petrobrás. “O Lula ligou para o Gabrielli e falou que tinha que resolver essa merda”, revelou o doleiro em um dos seus vários depoimentos que vem prestando à Justiça a fim de tentar reduzir sua pena ao colaborar com as investigações da Operação Lava Jato. Leia mais no Estadão.

Ricardo Brandt e Fausto Macedo, Estadão