11 de setembro de 2019, 16:39

SALVADORVeto do prefeito a projeto que beneficia agentes de saúde é mantido com votos contra de Geraldo Jr. e Cézar Leite

Foto: Fernanda Chagas / Política Livre

O projeto de lei 125/2019 é de autoria do vereador Sidninho e foi vetado em sua totalidade pela prefeitura de Salvador

Em meio a protestos, com 21 votos a favor e 12 contra, mais 10 ausências, o veto do Executivo municipal ao projeto de lei 125/2019, de autoria do vereador Sidninho (Podemos), que acrescenta os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias ao Grupo Profissional de Saúde, permitindo dessa forma acúmulo de cargos pelos profissionais, foi mantido pelos vereadores de Salvador na sessão desta quarta-feira. Com recontagem dos votos e de forma nominal, chamou atenção os favoráveis à derrubada do veto por parte do integrante da base, vereador Cézar Leite (PSDB) e do presidente Geraldo Júnior (SD), que se ausentou da Mesa Diretora, na posição de presidente, para utilizar da prerrogativa do voto.

Em discurso, Geraldo Júnior já havia sinalizado ser a favor da derrubada dos vetos. “Os vetos estão há três semanas sobrestando a pauta. Não concordo com muitos deles, a começar pelo do PL dos agentes comunitários de saúde e já sinalizei, inclusive, para vereadores e líderes partidários, até mesmo fazendo um trabalho de convencimento, mas não posso fazer da minha vontade as única”, frisou. Representantes do Sindicato de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate as Endemias da Bahia (Sindacs) munidos de cartazes com os dizeres “derruba o veto”, ao ter consciência do resultado, em meio a gritos contrários, lembrou aos que votaram a favor dos vetos, que 2020 [eleições] está próximo. Sidninho, por sua vez, antecipou que não se sente derrotado e vai brigar pela categoria.

Fernanda Chagas

Comentários