11 de setembro de 2019, 15:33

SALVADORBrito recua e admite votar a favor dos vetos do prefeito com tendência de ser seguido pela maioria; apenas uma rejeição tende a ser derrubada

Foto: Fernanda Chagas / Política Livre

Conforme o Política Livre publicou com exclusividade, os vetos do prefeito ACM Neto (DEM) aos projetos de autoria dos vereadores que estão sobrestando a pauta devem ser aprovados na tarde desta quarta-feira (11), sem dificuldades. Até mesmo o vereador Edvaldo Brito (PSD), procurador jurídico da Câmara, que havia ameaçado judicializar a rejeição do gestor soteropolitano à sua matéria que propõe que a língua Iorubá seja patrimônio imaterial de Salvador, recuou e já admitiu que seu voto será favorável. Nos corredores da Casa já circula, inclusive, que a tendência é que Brito seja seguido pela maioria.

Conforme ele explicou em conversa com a reportagem, na reunião do Colégio de Líderes que ocorreu pela manhã, ficou acordado que o líder do governo, vereador Paulo Magalhães Júnior (PV) e a Procuradoria do Município fariam pequenos ajustes, como fazer emissão a uma lei municipal e não federal, ao seu projeto, de forma que ele fosse reapresentado em plenário e votado em regime de urgência urgentíssima ainda nesta quarta. “Se isso for cumprido, o meu voto será a favor dos vetos”, não negou. Com isso, em meio à pressão dos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias presentes na galeria, apenas o veto do Executivo ao Projeto de Lei 125/2019, de autoria do líder da oposição, vereador Sidninho (Podemos), que acrescenta a categoria ao Grupo Profissional de Saúde, e permite o acúmulo de cargos, deve ser derrubado. Integrantes da oposição e do bloco independente, bem como o presidente do Parlamento municipal, Geraldo Júnior (SD), já se manifestaram a favor do PL do líder da oposição. A petista Marta Rodrigues, por exemplo, frisou que não se trata de inconstitucionalidade, conforme justificado pela Procuradoria, mas questões políticas.

Leia mais:

Apesar de toda a polêmica, vetos do prefeito devem passar com tranquilidade amanhã

Fernanda Chagas

Comentários