14 de agosto de 2019, 10:07

SALVADORNeto diz que não conhece projeto do VLT e que Rui precisa tratar de isenção fiscal com Prefeitura

Apesar de ter defendido a ida do governador Rui Costa (PT) à Câmara Municipal hoje à tarde tratar do projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), o prefeito ACM Neto (DEM) disse que o gestor precisa conversar com a Prefeitura sobre o assunto se quiser ver aprovada qualquer tipo de isenção fiscal ao empreendimento que será construído no Subúrbio. “Claro que a palavra final é da Câmara Municipal, mas a autoria de uma eventual isenção cabe ao Poder municipal e isso nunca foi tratado com a gente. Recentemente, eu recebi aqui o pessoal da BIT, que é a empresa que está no projeto do VLT e eu disse aos técnicos da empresa, aos dirigentes, que a Prefeitura precisa conhecer o projeto. Nós não conhecemos o projeto, nós não sabemos como ele pretende se encaixar na cidade, como é o plano de execução destas obras, nós não sabemos como é que depois este projeto vai se integrar ao nosso sistema de transporte público que hoje já tem outros modais”, afirmou o prefeito durante coletiva na sede da Prefeitura, onde apresentou o projeto de lei que institui o primeiro programa de residência médica no município.

Depois de defender que o governador seja bem tratado na Câmara e que sua base não crie nenhum tipo de constrangimento durante sua passagem pelo Legislativo, Neto disse ser a favor do VLT e adiantou que não criará dificuldades para o projeto, agindo da mesma forma que atuou em relação ao metrô, sem perder a oportunidade de criticar o comportamento adotado pelo governo no caso do BRT, construído pelo executivo municipal. “A Prefeitura foi facilitadora do metrô, diferentemente do que o governo do Estado fez conosco no BRT, se negando a dar a licença do Inema, a gente teve que ir para a Justiça Federal para obter a possibilidade de continuar a obra, isso inclusive nos atrasou quatro ou cinco meses. Mas eu não vou fazer isso. Mais uma vez o prefeito vai colocar os interesses da cidade em primeiro lugar, como fez com o metrô. Agora, disse isso ao concessionário do VLT. A obra tem que acontecer na cidade em consonância com o município. E até hoje nós não conhecemos nada, zero, só sabemos da idéia que foi colocada pela imprensa. E já coloquei ao governador, no começo do ano, e os nossos técnicos ao governo do Estado, que nós precisamos conhecer, saber como se encaixa na cidade”, afirmou.

Segundo o prefeito, ele vai aguardar o momento em que o governo vai querer apresentar o projeto à Prefeitura. “Então eu vou aguardar, quando o governo quiser apresentar à Prefeitura, nós vamos tratar do assunto, tá certo? Qualquer iniciativa de isenção fiscal é da Prefeitura, tem que passar pela Prefeitura, assim como a adequação do projeto do ponto de vista urbanístico e de sua futura integração com o sistema de transporte público”, acrescentou.

Comentários