13 de agosto de 2019, 19:36

EXCLUSIVAAssessor de Wagner e deputado travam disputa acirrada por controle estadual do PT

Foto: Divulgação

O registro das candidaturas para a eleição interna à presidência estadual do PT acontecerá apenas em outubro, mas nos bastidores determinados setores já dão como certa a derrota do grupo do atual presidente do partido na Bahia, Everaldo Anunciação. Ao todo, seis chapas foram inscritas, mas os nomes dos candidatos só serão homologados oficialmente durante o congresso estadual do partido, que acontece entre os dias 19 e 20 de outubro.

No entanto, fontes ouvidas pelo Política Livre especulam que a chapa “Renova PT: democracia e luta #LulaLivre”, liderada por Éden Valadares, chefe de gabinete do senador Jaques Wagner, pode assumir a direção do PT baiano com 45% dos votos. Ele disputaria o comando do partido numa disputa acirrada com o deputado estadual Jacó.

Com o ex-deputado estadual Emiliano José como vice, Éden conseguiu aglutinar o apoio de 12 dos 21 parlamentares petistas e principais lideranças do partido, reunindo militantes das correntes internas Construindo um novo Brasil (CNB), Resistência Socialista (RS), Democracia Socialista (DS), 2 de Julho e Movimento PT. A deputada estadual Fátima Nunes (CNB) será a única da bancada do PT que não vai apoiar formalmente ninguém e o vereador Moisés Rocha (EPS) ainda não definiu seu apoio.

Além do aval do senador Wagner, de quem é assessor desde a época do governo, Éden possui o apoio de cinco dos sete deputados federais: Afonso Florence, Zé Neto (ambos da DS), Joseildo Ramos, Nelson Pelegrino e Waldenor Pereira (todos da RS). Já entre os dez deputados estaduais, a chapa possui o apoio de seis: Neusa Cadore, Robinson Almeida (ambos da DS), Maria del Carmen, Osni Cardoso, Zé Raimundo (os três da RS) e ainda Rosemberg Pinto (CNB) – líder da maioria na Assembleia Legislativa da Bahia.

Para evitar envolvimento explícito no processo, o governador Rui Costa não deve anunciar seu apoio publicamente, mas Éden trabalhou anos na governadoria e só saiu após a eleição de Wagner ao Senado. Além disso, o candidato ainda tem o apoio de um dos três vereadores (Marta Rodrigues, da RS), da prefeita Moema Gramacho (Lauro de Freitas), Luiz Alberto (ex-deputado federal), Gilmar Santiago (atual presidente municipal do PT e ex-vereador), José Sérgio Gabrielli (ex-presidente da Petrobras), Luiz Caetano (ex-prefeito de Camaçari), Jonas Paulo (ex-presidente estadual do PT) e Elisângela Araújo (ligada à Federação dos Trabalhadores Rurais e CUT).

Já a chapa “Mais unidade, mais avanço Lula livre já!”, do grupo do atual presidente Everaldo e que tem como candidato o deputado estadual Jacó e vice Martiniano, estaria disputando com Éden a supremacia no partido, segundo cálculos de petistas. A chapa possui o apoio do também deputado estadual Paulo Rangel (CNB) e dos ex-deputados federal Josias Gomes e estadual Yulo Oiticica (atual superintendente estadual de Políticas Territoriais e Reforma Agrária) e do secretário nacional de Movimentos Populares do PT, Ivan Alex – fortíssima liderança no partido. Também possui o apoio de parte dos militantes das correntes CNB e da EPS, já que Jacó rompeu com o deputado federal Valmir Assunção, que assim como ele é representante do MST no Estado.

Oficialmente, a EPS lançou a chapa “Optei: Lucinha presidente”, que, como o nome já diz, tem como candidata a ex-secretária estadual de Política para Mulheres (SPM) e de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) Lúcia Barbosa, mais conhecida como Lucinha do MST. Na pesquisa de bastidores, mesmo com apoio de Valmir, ela ficaria em 4° lugar na disputa, com 12% dos votos. Antes dela, em 3° no ranking, estaria a chapa “Lula livre, fora Bolsonaro” encabeçada por Elen Coutinho, com 15% dos votos. Ela possui o apoio do vereador Suíca (EPS) e da corrente Avante, que tem como principais lideranças os deputados federal Jorge Solla e estadual Marcelino Galo, o ex-prefeito Guilherme Menezes (Vitória da Conquista), além de Ademário Costa, que sairá candidato a presidente do PT em Salvador e anunciou nesta segunda a união com outros dois até então candidatos no pleito da capital baiana: Iracema Moura (EPS) e Hamilton Menezes (CNB).

Em 5° e 6° lugares, estariam as chapas “Diálogo e ação petista”, com 2%, e “A esperança é vermelha, Lula livre”, com 1% dos votos. Tidas como pequenas e da ala mais radical do PT na Bahia, as duas tendências ainda não apresentaram candidatos, o que deve acontecer somente mesmo no congresso estadual do partido.

MUNICIPAL

Antes com seis chapas inscritas, a disputa pela presidência municipal do PT em Salvador conta, até o momento, com quatro candidatos: Ademario Costa (Avante), Danielle Ferreira (EPS), Walter Takemoto (Articulação de Esquerda) e Gilmar Santiago (DS, RS e CNB) – que tenta a reeleição com a vereadora Marta Rodrigues como candidata a vice. Iracema Moura (EPS) e Hamilton Menezes (CNB) desistiram de concorrer e vão compor com Ademario, tendo a representante da EPS como vice. Assim como na eleição estadual, o registro das candidaturas ocorrerão oficialmente durante o congresso municipal que ocorrerá no próximo dia 8 de setembro.

Raiane Veríssimo

Comentários