13 de agosto de 2019, 09:10

EXCLUSIVA2020: Rui é convencido de que Bellintani é o melhor, mas falta abraçar candidatura

Foto: Divulgação/Arquivo

Guilherme Bellintani é hoje presidente do Esporte Clube Bahia

Quem consegue ter algum nível de conversa sobre política com o governador Rui Costa (PT), algo de que ele dá reiteiradas mostras de que não tem lá muito gosto em fazer, já não tem mais dúvidas de que o petista foi convencido a fazer sua opção para a sucessão de 2020 em Salvador.

Rui teria sido levado a concluir que o melhor, de fato, é Guilherme Bellintani, atual presidente do Esporte Clube Bahia que emergiu para a vida pública depois de ocupar três secretarias no governo do prefeito ACM Neto (DEM). O governador dá a entender que tem dois problemas a resolver com relação a Bellintani.

Um deles está no PT, onde o surgimento de pelo menos quatro candidaturas, todas negras, em desalinho com a recomendação dele próprio e das direções estadual e municipal da legenda, ameaça mobilizar a militância, tornando os planos de engajar o partido na candidatura de Bellintani mais trabalhosos.

O outro, embora não menos grave, é obter uma sigla pela qual o presidente do Esporte Clube Bahia possa disputar, uma vez que o PT, por conta do desgaste em que mergulhou, nunca foi, de fato, uma opção. O próprio pré-candidato, se é que já se pode chamá-lo assim, tem conversado com lideranças políticas com este propósito.

Ainda não encontrou, no entanto, nenhuma legenda com que se identifique plenamente ou que considere mais adequada para enfrentar o que pode ser o maior desafio político de sua vida até agora. A despeito dos sinais de que Rui já fez sua opção, há ainda uma outra dificuldade para aqueles que defendem o nome de Bellintani no grupo.

É fazer com que o governador passe das insinuações em ambientes reservados sobre sua vontade de ver Bellintani vencendo a Prefeitura de Salvador para o grupo do prefeito ACM Neto para uma atuação mais clara em favor de sua escolha para a disputa, inclusive articulando junto aos partidos da base um espaço para o “favorito”.

Quem conhece o governador mais de perto assegura, no entanto, que, como ele tem dificuldade de entender os mecanismos da política, não é dado a tais manifestações de apreço por ninguém. Entre os defensores do nome de Bellintani, há também preocupação com o timing para que a máquina comece a trabalhar por ele.

Eles analisam que algo precisa acontecer para fazer frente ao fato de que, enquanto o nome do presidente do Bahia é ainda uma especulação em vários setores, o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), candidato de ACM Neto à sucessão municipal, mergulha de cabeça em bairros e favelas da cidade, divulgando, indiretamente, sua candidatura.

Comentários