18 de julho de 2019, 07:02

BRASILProcurador da força-tarefa no Rio vê ‘momento mais grave’ para Lava Jato

Foto: Divulgação

Leonardo Cardoso de Freitas diz esperar que decisão de Toffoli seja revertida pelo Supremo

Integrante da força-tarefa da Lava Jato no Rio, o procurador Leonardo Cardoso de Freitas disse que a decisão do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo, deixa a operação em seu momento mais grave. “É a primeira vez, pelo que lembro, que uma generalidade de casos nossos está em risco.” Ele ressaltou que a escolha de recorrer ou não da decisão cabe à Procuradoria-Geral da República, mas que, para a força-tarefa fluminense, esta é a opção acertada. Segundo Cardoso, a suspensão imposta por Toffoli dificulta o combate aos crimes de lavagem de dinheiro, que não se restringem a casos de corrupção praticada por políticos. “Qualquer crime que tenha efeito patrimonial obriga o criminoso a lavar”. Leia mais no Estadão.

Estadão

Comentários