12 de julho de 2019, 15:15

BRASILOnyx reconhece que fim da votação da reforma pode ficar para agosto

Foto: Estadão

Ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil)

Assim como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) também indicou que a votação do segundo turno da reforma da Previdência pelo plenário da Casa deve ficar só para agosto, mas afirmou que isso não compromete o cronograma do governo. “A gente acha que é possível concluir hoje. Quebrar o interstício [derrubar exigência mínima de sessões entre primeiro segundo turno] e superar o relatório do vencido [após as alterações] na comissão especial. Depois vamos olhar. Tem quórum? Vamos adiante, vamos entrar noite adentro. Não tem quórum, vamos ver como fica melhor. Aí, eu acho que talvez o mais prudente seja realmente agosto.” Pelo cronograma original do governo, a votação no segundo turno no Senado se daria entre 9 e 15 de setembro. “Do jeito que a gente está construindo aqui, na eventualidade de a gente ir para agosto, sendo na primeira semana, não altera esse calendário.” O ministro destacou ainda a proximidade do recesso parlamentar, que começa no próximo dia 18 e se estende até o final do mês. “Os parlamentares e suas famílias, muitas vezes, ajustam viagens. Então tudo isso tem um equilíbrio que a gente tem que tentar compor. Nós estamos tentando.” Onyx ressaltou que o importante é votar um texto seguro, sem possibilidade de aprovar mudanças sugeridas pela oposição que podem desidratar o texto-base aprovado na quarta em mais de R$ 500 bilhões.

Comentários