19 de julho de 2019, 10:54

EXCLUSIVAIsidório busca independência política e ajuda financeira em aproximação com Maia

Foto: Mari Leal/Política Livre

Deputado federal Pastor Sargento Isidório, fundador e dirigente da Fundação Dr. Jesus, em Candeias

Ligado ao governador Rui Costa (PT), o deputado federal Pastor Isidório (Avante) joga um lance importante para sua carreira política e a da Fundação filantrópica que dirige ao comprometer o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com uma visita ao espaço, seguida de almoço, hoje.

Já há algum tempo Isidório corteja Maia na Câmara, em busca de ampliar sua rede de relacionamentos e apoio ao trabalho que realiza em Salvador com dependentes químicos. A abertura de uma nova interlocução, no plano nacional, visa, fundamentalmente, ajudar no financiamento da instituição.

Já há algum tempo também Isidório se queixa da demora nos repasses do governo estadual à Fundação Dr. Jesus, localizada em Candeias. Nos bastidores de uma entrevista que deu à TV Câmara, no ano passado, admitiu que a entidade rodava com um déficit de R$ 600 mil.

E, embora não tenha atribuído a dificuldade diretamente ao governo da Bahia, deu a entender que o problema passava por ali. O problema pode ter sido a razão para a insurreição com que se comportou nas eleições presidenciais passadas, quando chegou a anunciar que votaria em Jair Bolsonaro (PSL).

Diante de protestos de petistas, o governador foi obrigado a enquadrá-lo, o que o levou, a contragosto, a pedir votos para Fernando Haddad (PT). Mas Isidório continua rebelde, provavelmente de olho na abertura de novos caminhos para si e sua filantrópica.

Recentemente, votou a favor da reforma da Previdência, o que o aproximou ainda mais de Rodrigo Maia, que capitaneou a aprovação da matéria. A fatura pode ser paga a partir de agora, em troca da influência do presidente da Câmara para apoio à instituição.

E pode também abrir novas portas políticas para Isidório, não apenas porque se coloca como alternativa para a Prefeitura de Salvador, em 2020, como já disse um milhão de vezes que prefere estar do lado de quem prestigiar o trabalho que realiza com os dependentes químicos.

Comentários