4 de julho de 2019, 15:00

ECONOMIAÀ espera da reforma, dólar opera abaixo de R$ 3,80 e Bolsa atinge nova máxima

O mercado financeiro está otimista quanto à possível aprovação da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara nesta quinta-feira (4). O dólar opera abaixo dos R$ 3,80 pela primeira vez desde 20 de março e o Ibovespa renova sua máxima durante o pregão. Após a sessão de quarta (3) adentrar a madrugada com obstruções, uma nova sessão, que pode votar o projeto, teve início às 10 horas desta quinta. A expectativa é que o projeto vá para plenário à tempo de ser votado antes do recesso parlamentar, que se inicia em 18 de julho. Cumprir o cronograma de Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, é considerado importante para o desempenho da economia no segundo semestre. Caso seja aprovado em plenário apenas em agosto, a reforma pode não surtir efeitos na recuperação da atividade econômica em 2019. “É crucial que a fase de comissão seja superada o quanto antes para haver chance de aprovação em plenário até dia 17 de julho, antes do recesso parlamentar. Nosso cenário base é que a conclusão da votação em plenário fique para agosto”, diz relatório da XP Investimentos. A aprovação do projeto em julho abre espaço para um corte na Selic na próxima reunião do Copom (Comite de Política Monetária), do Banco Central, em 31 de julho. Nas últimas reuniões, o órgão condicionou cortes na taxa de juros à reforma da Previdência. Nesta quinta, o contrato futuro de juro para setembro tem uma queda de 0,06 ponto percentual, para uma taxa de 6,275%, precificando um corte de 0,25 ponto percentual na Selic. À espera da aprovação na comissão especial, o dólar recua 1%, a R$ 3,789, às 12h40. O Ibovespa, maior índice acionário do país sobe 1,67%, a 103.749 pontos, maior patamar alcançado pelo índice durante pregão.​ O movimento do mercado é fruto de um otimismo de investidores locais, já que, nesta quinta (4), os mercados americanos permanecem fechados pelo feriado da independência dos Estados Unidos. As Bolsas europeias fecharam estáveis. A Bolsa de Tóquio teve leve alta de 0,3%, enquanto Hong Kong e o índice CSI 300, que reúne as Bolsas chinesas de Xangai e Shenzhen, recuaram 0,2% e 0,52%, respectivamente.

Folhapress

Comentários