26 de junho de 2019, 16:51

BRASILOposição baiana ataca Bolsonaro por causa de militar preso

Foto: Emerson Nunes

Alice Portugal e Daniel Almeida, deputados federais pelo PCdoB

A notícia da prisão de um militar com cocaína em avião da FAB na Espanha caiu como uma luva para que os deputados federais de esquerda esbravejassem contra o presidente Jair Bolsonaro. As críticas dessa vez, porém, foram bem pesadas com direito a imagens, tirinhas em quadrinhos, trocadilhos e compartilhamento de notícias sobre o caso nas contas oficiais dos parlamentares baianos no Twitter.

Os deputados federais Jorge Solla (PT) e Daniel Almeida (PCdoB), por exemplo, aproveitaram o episódio para lembrar que a crise do sargento da Aeronáutica com 39 quilos de cocaína em Sevilha aconteceu justamente no Dia Internacional contra o Tráfico Ilícito de Drogas, comemorado nessa quarta-feira (26). “A equipe do presidente Bolsonaro, envolvido até o pescoço com as milícias, transformaram os voos da FAB em voos de carreira. Muitas. 39 quilos delas. Hoje é Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, e nosso país passa vergonha na Espanha com militar preso com 39kg de cocaína em voo da Presidência da República. Que me diz, @JairBolsonaro?”, ironizou Solla “Imagine 39kg de cocaína no avião da comitiva de Maduro. Ou 39kg de cocaína no avião da comitiva de Trump. Aconteceu, com Bolsonaro, que tem envolvimento claro com milícias que vendem drogas no Rio de Janeiro. É claro que se precisa investigar de quem era a droga. #BolsoNarcos”, completou o petista.

Daniel Almeida, que é coordenador da bancada baiana na Câmara dos Deputados, postou uma imagem dizendo “No Dia Nacional de Combate às Drogas, um avião presidencial é aprendido com 39 kg de cocaína. Onde está a balbúrdia?”. Joseildo Ramos (PT), por sua vez, lembrou da agenda oficial do ministro da Justiça, Sérgio Moro, nos Estados Unidos para atacar o caso. “Enquanto Moro visitava a Agência Antidrogas (EUA), um militar da aeronáutica estava traficando 39kg de cocaína para a Espanha dentro da comitiva presidencial de Jair Bolsonaro. Poderíamos pensar nisso como uma grande ironia, mas não existe ironia em governo hipócrita.” “39 kg. Rafael Braga, catador e homem negro, foi preso em 2013 por portar desinfetante nas ruas do RJ. Há indícios de que 9.9 gramas de drogas foram plantadas em suas coisas, o que o levou à prisão tb em 2016. Vamos ver como a Justiça se comportará no caso da comitiva de Bolsonaro”, comentou também no seu Twitter o deputado Valmir Assunção (PT).

Já os deputados Waldenor Pereira (PT) e Alice Portugal (PCdoB) zombaram do caso questionando se o sargento teria pago taxa extra de bagagem pelo transporte de 57 quilos de cocaína. “Será que o militar da equipe de governo do Bolsonaro pagou taxa por excesso de peso? 39 kg de cocaína é muita coisa. #BolsoNarcos”, criticou Waldenor ao compartilhar matéria na qual Bolsonaro comenta veto sobre proibição de taxas em bagagens despachadas e diz: “quem quiser levar mais de 10 quilos, pague”. Alice divulgou, sem legenda, uma imagem de uma “tirinha” em quadrinhos na qual um menino conversa com telefone com os seguintes diálogos irônicos: “Sério? Trinta e nove quilos?”, “No avião presidencial?”, “Mas não pagou a taxa de bagagem?”. Waldenor disse ainda que a prisão do sargento na Espanha parecia “roteiro de filme ou série da Netflix”. “Mas, não. É o governo Bolsonaro: evolvimento com milícia, vizinho traficante de armas e transporte de 39 kg de cocaína no avião presidencial. Qual será a próxima manchete policial envolvendo o presidente? #BolsoNarcos”, postou o petista em outro tuíte.

Raiane Veríssimo

Comentários