26 de junho de 2019, 16:08

EXCLUSIVAApós encontro com Maia, Rui se reúne com presidente do Senado, Davi Alcolumbre

Foto: Camila-Peres_GOVBA

Rui participa de encontro de governadores com Rodrigo Maia

Após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) na tarde desta, quarta-feira (26), os governadores do Nordeste seguem para encontro com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM). Em seguida, voltam a se reunir com Maia. A maratona desta tarde, que conta com a presença do governador Rui Costa (PT), trata-se de uma espécie de força-tarefa após o presidente Jair Bolsonaro (PSJ) pouco se engajar para reincluir estados e municípios nas regras que serão impostas pela reforma da Previdência. Ele teria, em reunião com a bancada do Podemos, declarado inclusive que os mandatórios favoráveis as mudanças nas aposentadorias do funcionalismo local devem agir por conta própria – sem se apoiarem no governo federal e no Congresso. Porém, a expectativa dos gestores é poder contar com o apoio da Câmara Federal e do Senado. Os diálogos desta quarta partiram dos próprios governadores e eles pedem, além da inclusão dos estados na reforma, garantia de que medidas que ampliem seu acesso a novas receitas, como a divisão do bônus do megaleilão do pré-sal, serão aprovadas como contrapartida.
Rui já havia declarado que a política nos últimos meses no Brasil deixou de ser a do diálogo, do entendimento e do consenso e que desse jeito o governo não conseguirá apoio dos gestores para apoiar a reforma. “Deixou de ser a política do diálogo, do entendimento e do consenso para tentar ser a da ameaça, do constrangimento e ou da chantagem. Este é pior método para atrair apoio para as mudanças que o Brasil precisa. Não vai conseguir declarações de apoio para esse ou aquele ponto ameaçando, constrangendo ou criando chantagem para quem quer que seja. Não me sinto motivado ou incentivado a entrar em um debate sobre qualquer tema sendo ameaçado, chantageado ou constrangido seja publicamente ou reservadamente. Não faz sentido este tipo de ameaça de que vai tirar os estados e municípios da reforma da Previdência. (…) Não me sinto mobilizado ao ficarem ameaçando se vai incluir ou retirar (a Bahia)”, declarou, em seu programa “Papo Correria, transmitido via Facebook.

Comentários