15 de maio de 2019, 15:45

BRASIL‘Não há dúvida de que há uma evidente determinação para perseguir o ex-presidente Temer’, diz advogado

“Não há dúvida que há uma evidente determinação em perseguir o ex-presidente Temer”, afirmou o advogado Eduardo Carnelós, em frente à residência do emedebista, solto nesta quarta-feira, 15. O defensor reiterou a inocência de Michel Temer e afirmou que juízes não podem se tornar ‘combatentes de uma causa’, sob o risco de ‘tomar parte’ nos processos. Michel Temer estava preso desde quinta-feira, 9, no âmbito da Operação Descontaminação, braço da Lava Jato no Rio, após decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região que derrubou liminar em habeas corpus concedida pelo desembargador Ivan Athié. O ex-presidente foi solto por decisão unânime da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça nesta terça, 14. Na tarde desta quarta, 15, ele chegou a sua casa, no bairro de Alto de Pinheiros, em São Paulo, onde disse que aguardava com ‘toda tranquilidade e serenidade’ a decisão da Corte Superior. Depois, passou a palavra para Carnelós. Ainda segundo o advogado, a decisão de ontem do STJ mostrou uma “firmeza” muito grande e os votos foram “contundentes”. “Tenho absoluta convicção que essas acusações serão destruídas. Não há nenhum embasamento probatório consistente. Estão todas calcadas na palavras de delatores”, disse Carnelós. O defensor de Temer também elogiou o juiz do STJ Nefi Cordeiro, responsável pelo voto mais contundente em favor da liberdade do ex-presidente. “O juiz Nefi Cordeiro foi muito firme no seu voto ao dizer que juiz não é combatente do crime. Nós precisamos entender que juiz é aquele que julga os fatos. Se o juiz se torna um combatente de uma causa, ele deixou de ter a indispensável isenção para julgar qualquer coisa”, disse Carnelós.

Estadão

Comentários