10 de maio de 2019, 15:55

EXCLUSIVAInvestigado por Coaf, Roma é ironizado por internauta por post em defesa de Moro

Foto: Divulgação/Arquivo

Deputado federal João Roma é presidente da comissão que aprovou ontem manutenção do Coaf com Ministério da Economia

Depois de tentar fazer uma “média” com os eleitores e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, em sua página no Twitter, por causa da votação que devolveu o Coaf para o ministério da Economia, o deputado federal João Roma (PRB) foi ironizado de forma dura por um internauta, que lembrou ao parlamentar o fato de ele ser investigado pelo órgão por caixa 2.

“Mesmo sem direito a voto na Comissão Mista MP 870, por estar à frente dos trabalhos como presidente, declarei apoio à permanência do Coaf no Ministério da Justiça, pois acredito que este seja um importante instrumento de combate ao crime organizado no Brasil. TMJ (Tamo junto), Ministro Sérgio Moro!”, disse o deputado eleito pela Bahia no ano passado.

A manifestação de Roma, que já havia sido criticada reservadamente por alguns de seus colegas de bancada, dada a sua condição de investigado, foi então prontamente rebatida pelo internauta Jonatas Lima, que observou: “Tem que apoiar mesmo porque o senhor é investigado pelo Coaf com caixa 2, se (sic) fosse pra Moro o senhor seria liberado, né?”

Em seguida, depois de fazer outro post com críticas a Roma, Lima postou cópia de uma nota publicada pela coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, em sua edição de março passado, na qual é dito que o juiz Fred Pitta Lima, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), enviou para a primeira instância da Justiça Eleitoral processo no qual o deputado é investigado por “captação ou gasto ilícito de recursos na campanha de 2018”.

“Espero que o ministro não tenha recebido nada pelo agrado do deputado investigado”, complementou o internauta, cuja iniciativa tem sido festejada por colegas baianos do deputado, irritados com sua decisão de apoiar a manutenção do Coaf com Moro, medida que acabou sendo derrotada na comissão presidida por Roma. Num post de agradecimento pelo apoio, o ministro chegou a citá-lo nominalmente junto com outros parlamentares que votaram a favor do Coaf sob a Justiça.

Comentários