13 de abril de 2019, 07:41

BRASILSubprocurador se lança para PGR por fora de lista tríplice e acena a Bolsonaro

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O subprocurador geral da República Augusto Aras, durante entrevista à Folha em sua casa, em Brasília

Primeiro candidato à sucessão na PGR (Procuradoria-Geral da República) que admite disputar o cargo “por fora”, sem concorrer na eleição que é realizada no Ministério Público Federal desde 2003, o subprocurador-geral Augusto Aras, 60, critica o modelo atual, que chama de sindicalista. Para Aras, a lista tríplice fomentou o corporativismo e a promessa de favores em troca do voto. Ele também põe o sistema de votação sob suspeita. O mandato da atual chefe da PGR, Raquel Dodge, termina em setembro. A lista tríplice não é prevista em lei. A escolha do procurador-geral cabe ao presidente da República. Por 16 anos, no entanto, a ANPR (associação dos procuradores) faz a votação e submete os três nomes mais bem colocados aos presidentes, que têm mantido a tradição de considerá-la. Jair Bolsonaro (PSL) não se comprometeu. Definindo-se como conservador, Aras acena a Bolsonaro em questões econômicas e defende que não haja radicalização dos procuradores para tratar de questões ambientais e indígenas. Leia entrevista completa na Folha.

Folha

Comentários