13 de março de 2019, 17:27

SALVADORPimentel é poupado por vereadores em convocação sobre PM acusado de “agressor”

Foto: Politica Livre

Alberto Pimentel, Edvaldo Brito e Geraldo Jr. em convocação na Câmara Municipal

Numa sessão que começou confusa e na qual os vereadores pareciam a princípio não se entender, o secretário municipal de Trabalho, Esportes e Lazer, Alberto Pimentel, disse que não tinha conhecimento de que o PM Jorge Bruno Guimarães, que chamou para assessorá-lo, era alvo de uma medida protetiva por suposta agressão a uma mulher, mas negou que ele tenha sido culpado no caso.

Ele também esclareceu que Guimarães jamais foi nomeado nem exerceu qualquer função oficial na pasta, mas apenas foi designado por ele para “frequentá-la a fim de conhecer melhor a máquina da secretaria”, já que pretendia indica-lo para diretor do Trabalho. Pimentel contou ainda que em função da denúncia, que motivou sua convocação à Câmara, afastou Bruno e nomeou para seu lugar Carlos Falzemburg.

Com o objeto da convocação praticamente sanado e a postura do secretário, que se portou de forma humilde, elogiando seu antecessor na secretaria, o presidente da Câmara Municipal, Geraldo Jr. (SD), e o presidente da sessão, Edvado Brito (PTB), além de ter prometido atender a demandas de todos os vereadores, a sessão acabou transcorrendo sem polêmica e foi de certa forma até esvaziada.

Até a autora da convocação, a vereadora Marcelle Moraes (sem partido), acabou não comparecendo à Casa. Antes do início da sessão, preocupado com o seu virtual desdobramento negativo para o secretário e o governo ACM Neto (DEM), o vereador Téo Senna, ex-secretário de Esportes, chegou a propor transformar a convocação em audiência para discutir uma pauta mais ampla sobre o esporte, alegando que o assessor alvo das denúncias já havia sido substituído, mas teve seu pedido indeferido pelo presidente.

Em seguida, o líder do governo na Câmara, Paulo Magalhães (DEM), também pediu para integrar a mesa que coordenava os trabalhos a fim de poder intervir nas perguntas, mas teve sua solicitação também negada por Geraldo Jr. As vereadoras Ana Rita Tavares (PMB) e Aladilce Souza (PCdoB) cobraram de Pimentel conhecimento prévio sobre as pessoas que pretende nomear para assessorá-lo. Vereadores governistas concluíram que a convocação transcorreu de forma tão tranquila que foi até desnecessária.

Comentários