11 de fevereiro de 2019, 06:50

BRASILPT cria cargo para manter Haddad em evidência

Foto: JF Diorio / Estadão

Fernando Haddad perdeu as últimas eleições para Jair Bolsonaro

O PT criou um cargo para manter o candidato derrotado do partido à Presidência, Fernando Haddad, em evidência. O ex-prefeito de São Paulo será o coordenador dos Núcleos de Acompanhamento de Políticas Públicas (NAPPs), criados pelo partido para monitorar as ações do governo Jair Bolsonaro e, ao mesmo tempo, elaborar propostas para oferecer à oposição ao longo dos próximos quatro anos em várias áreas como economia, políticas sociais, saúde, educação e segurança. O PT completa 39 anos de fundação hoje com a crescente percepção de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu líder máximo, está definitivamente fora das disputas eleitorais depois da segunda condenação por corrupção na Lava Jato, e da necessidade de criar uma alternativa a ele nas urnas. Por isso, o partido se esforça para manter o protagonismo de Haddad, hoje o nome mais visível da legenda, como opção eleitoral. A coordenação dos recém-criados NAPPs foi a forma encontrada pela direção para dar protagonismo ao ex-prefeito, diante da dificuldade de criar palanques e capitalizar os 47 milhões de votos recebidos por ele na eleição presidencial de 2018. Segundo dirigentes que participaram da reunião da Executiva Nacional do partido, neste final de semana, em São Paulo, a importância de Haddad hoje para o PT foi resumida em uma frase de Alberto Cantalice, um dos vice-presidentes da sigla, durante o encontro: “Haddad é hoje a maior liderança do PT, solta”, disse Cantalice à direção do partido. No ano passado, aliados de Haddad articularam seu nome para substituir Gleisi Hoffmann na presidência da sigla. A articulação foi barrada por Lula.

Estadão

Comentários