13 de novembro de 2018, 20:08

EXCLUSIVAGanhar Salvador e Feira é visto como fundamental para a sucessão estadual de 2022

Foto: Divulgação/Arquivo

Rui Costa tem tratado da sucessão em Salvador e Feira mesmo fora do país

Mesmo fora do país, o governador Rui Costa (PT) não tirou da agenda a discussão sobre a sucessão municipal de 2020. Aliados dizem ter recebido sinais da Europa, onde o gestor se encontra, de que ele tem duas metas a partir de agora: azeitar a máquina estadual para enfrentar “os tempos” de Jair Bolsonaro (PSL) na presidência da República e conquistar pelo menos duas Prefeituras nas próximas eleições, a de Feira de Santana e a de Salvador. A avaliação entre governistas é de que o grupo que ganhar os dois municípios tem meio caminho andado para eleger o próximo governador, em 2022. “É musculatura suficiente para manter o Estado no grupo do governador”, diz um aliado.

Comentários