10 de outubro de 2018, 16:58

SALVADORPara ACM Neto, é impossível separar a imagem de Lula da de Haddad no 2° turno

Foto: Divulgação

O prefeito ACM Neto (DEM)

O presidente do DEM, o prefeito ACM Neto, criticou, na tarde desta quarta-feira (10), a tentativa do PT em separar a imagem do candidato Fernando Haddad (PT) da do ex-presidente Lula. “Da mesma forma que eu não posso nesse momento, sob pena de pagar um alto preço de incoerência e todos sabem que não sou incoerente, de retirar as críticas que fiz a Bolsonaro no 1° turno, não pode o PT agora pretender separar Haddad de Lula. Haddad esteve em Curitiba várias vezes, inclusive, era o vice de Lula, o candidato era Lula. Aliás, o PT até a última hora trabalhou, sobretudo, no interior, com os santinhos e material de campanha vendendo o nome de Lula. Então, mesmo que eles tentem a essa altura do campeonato não vai dar certo, é impossível”, ressaltou o prefeito. Ainda durante a coletiva de imprensa, ACM Neto ressaltou que sempre manteve uma boa relação com Haddad enquanto era prefeito de São Paulo, mas que seria impossível separar a imagem do petista da de Lula. “Do ponto de vista pessoal, não tenho nada contra Haddad, tive uma boa relação enquanto prefeitos, mas o projeto que ele representa hoje é o que encarna duas coisas fundamentais: a figura ‘eminência parda’, só que sempre muito presente do ex-presidente Lula, e todo equívoco que foi cometido pelo PT em 14 anos no exercício da Presidência da República e, que de certa forma, as urnas começaram a julgar. Veja o desempenho que o PT teve em Minas Gerais, a Dilma não se elegeu senadora”, declarou. Para o prefeito, o sentimento maior do Brasil é de frustração com o que aconteceu no passado com os governos de Lula e Dilma e de desejo de mudança. “Nesse momento, Haddad não tem como encarnar a mudança, não tem como encarnar essa esperança de um momento novo na política, só quem pode encarnar isso é o Bolsonaro, daí eu justifico o meu apoio a ele, sem retirar as críticas que fiz e sem retirar as divergências ideológicas que existem e vão continuar existindo. O que é mais importante nesse momento é um compromisso maior com o futuro do Brasil, estou anunciando o meu apoio e, em troca só quero uma coisa: que o país dê certo. Não quero mais nada em troca, nós não tratamos nada, não negociamos nada, não detalhamos nada, estou dando o meu voto e em contrapartida eu quero que o Brasil viva um novo momento na política”, completou o democrata.

Comentários