10 de agosto de 2018, 16:56

INTERIOR DA BAHIAVereadores de Itatim acusam prefeito de improbidade administrativa

Foto: Divulgação

Vereadores do município de Itatim

Em nova representação junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), cinco vereadores do município de Itatim que criaram uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o prefeito Gilmar Nogueira (PSD) distribuíram à imprensa, nesta sexta-feira (10), uma nota sobre as irregularidades praticadas ao longo da gestão que, segundo eles, “retira dos cidadãos o direito a serviços essenciais”. Os vereadores acusam o prefeito de ser contumaz em atos de improbidade administrativa, que resultaram em dois processos na Justiça Federal por violação de princípios administrativos e danos ao erário, no valor de quase R$ 6 milhões (Processos: 1000999-54.2017.4.01.3304 e 1000515-052018.4.01.3304). Os vereadores denunciam ainda que uma única empresa de construção civil venceu todas as licitações (JQ de Andrade Construções e Empreendimentos Ltda), na qual existiam ausência de competição nos certames. De acordo com representação no Ministério Público Federal (MPF), a construtora faturou em 2017 e 2018 mais de R$ R$9,7 milhões. Em junho, o MPF decretou o bloqueio de mais de R$ 1,7 milhão das contas e bens do gestor. Assinam a nota os vereadores Roberto (MDB), Juninho de Zé Edson (PSD), Devá da Moleta (PP), Amigo Inho(PP) e o presidente da Câmara Municipal Nadson de Gagai (PTB).

Comentários