5 de agosto de 2018, 11:30

MUNDOMaduro culpa a direita e a Colômbia por tentativa de atentado em Caracas

Foto: Reprodução

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, responsabilizou grupos de direita do país e do exterior e o governo da Colômbia pelo que Caracas tem chamado de tentativa de assassinato contra o mandatário. No final da tarde deste sábado, 4, drones carregados com explosivos atacaram as redondezas do local em que em Maduro discursava. O evento era um ato oficial com as forças armadas e ocorria no centro da capital venezuelana. Duas pessoas foram presas e sete militares ficaram feridos. “Tentaram me matar no dia de hoje (ontem)”, disse Maduro na noite de ontem, em discurso no palácio do governo. O governo da Colômbia rechaçou a acusação de Maduro de que o presidente Juan Manuel Santos seria articulador do atentado. “Já é costume que Maduro culpe a Colômbia de qualquer tipo de situação que ocorra internamente”, afirmou a nota da chancelaria de Bogotá. Além dos vizinhos colombianos, Maduro disse ontem à noite que alguns dos responsáveis pelo atentado estão na Flórida e afirmou que espera que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, colabore no combate a “grupos terroristas que pretendem assassinar presidentes”. “É claramente um desespero da direita por causa das medidas econômicas que estamos implantando”, disse Maduro

Estadão Conteúdo

Comentários