11 de agosto de 2018, 09:54

EXCLUSIVAAtaque de Rui a corporativismo ao falar de Previdência apavora funcionalismo

Foto: Divulgação/Arquivo

Rui Costa tocou em tema sobre o qual as corporações estaduais do funcionalismo não querem nem ouvir falar

As declarações do governador Rui Costa (PT) criticando o corporativismo do funcionalismo num debate com empresários na Fieb, esta semana, deixou as entidades representativas dos servidores estaduais em alerta. Rui falou, pela primeira vez em público, do que já vem se queixando há muito tempo com a equipe, deputados e outros setores com os quais discute a situação fiscal do Estado: o déficit da Previdência estadual, que chega a R$ 3 bi e é considerado impagável pelo governo. As entidades sindicais do funcionalismo temem que o governador dê partida a um projeto de reforma da Previdência em seu segundo mandato, levando em conta que, se eleito agora em outubro, não poderá mais disputar as eleições em 2022. Aliás, para especialistas em contas públicas, é verdadeiramente um milagre que Rui tenha conseguido governar com relativo equilíbrio fiscal nestes mais de três anos sem mexer com as distorções previdenciárias do Estado. Ou seja, muitos acham que ele não poderá mais retardar as mudanças a partir do ano que vem.

Comentários