12 de agosto de 2018, 08:33

BAHIAAdvogado Gamil Föppel é pré-candidato do Renova OAB às eleições da Ordem

Foto: Divulgação

Advogado Gamil Föppel

O advogado e professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba) Gamil Föppel é o nome escolhido pelo Movimento Renova OAB como pré-candidato para as eleições deste ano para a presidência da seccional baiana da Ordem dos Advogados (OAB-BA). O anúncio foi feito na noite deste sábado (11), durante confraternização do Dia dos Advogados, realizada no espaço Villa São José, no Cabula. “O Renova OAB é um movimento composto de inúmeros advogados e advogadas que começaram a se reunir há três anos e que estão insatisfeitos com os rumos da advocacia na Bahia e preocupados com as omissões históricas da OAB-BA. Para mim, é um honra ter sido escolhido como o nome para liderar esse movimento importante e necessário que tem como objetivo principalmente devolver aos advogados e advogadas a dignidade da profissão que exercem”, afirmou Gamil, que é doutor em Direito Penal pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mestre em Direito Penal pela Ufba e participou da reforma do Código Penal, nomeado pelo Senado Federal. A confraternização reuniu cerca de duas mil pessoas. Para Gamil, a defesa das prerrogativas da categoria é uma das principais demandas. “Desde que foi lançado o Movimento Renova OAB, tem percorrido diversos municípios do interior do estado e, em todos eles, as queixas são generalizadas. Os profissionais demandam uma OAB que de fato os represente. É preciso que haja metas e transparência”, ressaltou. Para a advogada Aline Batista, o Renova OAB é um movimento plural que traz em sua composição a participação de mulheres e jovens advogados que almejam melhores condições para o exercício da advocacia. “Não adianta avançar se isto não contemplar as mulheres advogadas e os jovens que acabam de se formar e vão enfrentar o mercado de trabalho”, disse. Integrante do Movimento Renova OAB, a Advogada Cristiane Nascimento atua em Feira de Santana e região e destaca que há desafios que precisam ser enfrentados em municípios do interior. “Precisamos de uma OAB que olhe também para o interior e não somente para a capital. Quanto mais distante é o interior, mais difícil fica a situação de quem advoga. Precisamos mudar essa realidade”.

Comentários