11 de julho de 2018, 10:47

SALVADORSecretaria diz que greve de professores é um “movimento político-partidário”

Foto: Divulgação

O secretário municipal de Educação, Bruno Barral

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Salvador (Smed) classificou a greve dos professores da rede municipal de ensino como um “movimento político-partidário” e “precipitada”. A categoria entrou em greve nesta quarta-feira (11), por tempo indeterminado. “A orientação da Secretaria Municipal de Educação (Smed) é que as escolas funcionem normalmente. A Smed entende o movimento de greve como precipitado, uma vez que a negociação está em andamento”, diz a nota. O texto ainda destaca que há proposta de aumento real para a categoria e que a valorização dos professores “é uma política implementada desde o início da primeira gestão de ACM Neto. Um exemplo disso é o aumento registrado na média salarial da categoria, que passou de R$ 4.826,71 para R$ 6.431,13, representando um incremento de 33,24%”. Ainda segundo a nota, “a Smed classifica o movimento como político partidário, uma vez que o governo do Estado oferece uma proposta de 0% de aumento e isso não suscita qualquer movimentação por parte dos professores. Com a deflagração da greve, os principais prejudicados são os 142 mil alunos da rede municipal”. Uma nova rodada de negociação entre a Secretaria Municipal de Educação e a APLB está marcada para esta quarta-feira, ás 18h.

Comentários