17 de maio de 2018, 07:20

BRASILEm depoimento, Marcelo implica baianos da atual cúpula da Odebrecht

Foto: Divulgação/Arquivo

O vice-presidente de Comunicação, Marcelo Lyra, seria um dos que poderiam ajudar a esclarecer assuntos relativos a propina

Em depoimentos a procuradores em abril, o empresário Marcelo Odebrecht implicou integrantes da atual cúpula da empresa no pagamento de propina para aprovar em 2009 o chamado “Refis da Crise”, um pacote de medidas provisórias para um projeto de refinanciamento de dívidas tributárias que beneficiava grandes exportadoras, segundo reportagem publicada hoje na Folha de S. Paulo. Após citar o esquema, Marcelo diz que os atuais vice-presidentes Maurício Ferro (jurídico), Newton de Souza (conselho) e Marcelo Lyra (comunicação), além do diretor-jurídico da construtora do grupo, Adriano Maia, podem elucidar e corroborar os assuntos que tratam de “contrapartidas no âmbito do governo e do Congresso Nacional”. Contrapartida, segundo o empresário, é um eufemismo para propina. Nenhum dos quatro citados está entre os 77 executivos que fizeram delação. O próprio empreiteiro tratava do assunto com o governo.

Folha de S. Paulo

Comentários