16 de abril de 2018, 14:16

BRASILValmir: “Onde a referência é a retirada de direitos, fico feliz de estar nas últimas colocações”

Foto: Agência Câmara

O deputado federal Valmir Assunção (PT)

Votar a favor da reforma trabalhista, a favor do congelamento por 20 anos dos gastos públicos em saúde e educação, entregar o pré-sal e as riquezas do país, ou até mesmo ter votado a favor do impedimento de Dilma Rousseff. Esses são alguns pontos considerados positivos para estar em boa posição no site políticos.org – que mantém no ar uma lista irreal e antipopular com avaliação a respeito de parlamentares brasileiros. Para o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), é um ponto positivo ocupar as últimas posições no levantamento que não tem base popular. “Se a referência é a retirada de direitos, fico feliz de estar nas últimas colocações deste ranking. Não faço questão de ter pontos positivos por votar contra o povo. A reforma trabalhista, por exemplo, dos 30 primeiros parlamentares federais do tal ranking, apenas um votou contra ela. Ou seja, o site traz deputados impopulares para uma avaliação de suposta popularidade. Como se retirar direitos dos trabalhadores fosse algo bom e que deva receber avaliação positiva. Chega a ser desonesto com o povo!”, dispara Valmir. Ainda conforme Assunção, o ranking usa o artifício de ser isento, mas defende um projeto político bem definido”. O deputado baiano diz que somente os “políticos de direita” estão entre os melhores. “Por que se trata de uma avaliação em que os ‘melhores’ são os que retiram direitos. Outros fatores relacionados a atuação em projetos de interesse dos trabalhadores não são bem vistos por este ranking. Ou seja, é preciso ter bem elucidado os critérios. A transparência não é o ponto forte do site políticos.org”, aponta.

Comentários