15 de abril de 2018, 12:40

BAHIASemiárido baiano ganha duas novas áreas de proteção

Único bioma exclusivamente brasileiro, do qual restam apenas cerca de 20% da cobertura nativa, a Caatinga ganhou na primeira semana de abril uma unidade de conservação (UC) de proteção integral com 349 mil hectares, batizada de Parque Nacional do Boqueirão da Onça, e localizado no Semiárido baiano.O decreto da Presidência da República que estabelece essa nova UC foi publicado no Diário Oficial da União do dia 6 de abril, e também inclui a criação de uma área de proteção ambiental (APA) com 505 mil hectares, o que agrega, no total, 854 mil hectares ao Sistema Nacional de Unidades de Conservação.As novas áreas de proteção no interior da UC ficam entre os municípios de Sento Sé, Campo Formoso, Sobradinho, Juazeiro e Umburanas. A proposta do Ministério do Meio Ambiente é transformá-las em um mosaico de unidades de conservação, uma vez que elas representam os últimos remanescentes em área contínua do bioma Caatinga.Há 16 anos, quando começaram as discussões sobre a necessidade de se conservar a região, a ideia era proteger integralmente os quase 900 mil hectares do Boqueirão, que é como se denomina essa extensa área do Sertão da Bahia caracterizada por cavernas com inscrições rupestres milenares, ecossistemas que abrigam riquíssima biodiversidade, populações tradicionais e desfiladeiros.

Correio*

Comentários