16 de abril de 2018, 11:10

BRASILMansueto de Almeida será o novo secretário do Tesouro Nacional

Foto: Divulgação

Economista Mansueto Facundo de Almeida Júnior

O economista Mansueto Facundo de Almeida Júnior será o novo secretário do Tesouro Nacional, anunciou hoje (16) o Ministério da Fazenda.Mansueto, que é atualmente secretário de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria (Sefel) do ministério, ocupará o lugar de Ana Paula Vescovi, que será a nova secretária-executiva da pasta.As alterações foram comunicadas em nota divulgada hoje (16) pela pasta.O economista Alexandre Manoel Angelo da Silva, atual subsecretário de Governança Fiscal e Regulação de Loteria, assume o lugar de Mansueto, passando a comandar a Sefel. Ariosto Antunes Culau, que atualmente, ocupa a Chefia de Gabinete do Ministro da Fazenda ocupará o cargo de Secretario-Executivo Adjunto.As mudanças têm sido anunciadas desde a semana passada, desde a posse de Eduardo Guardia como ministro da Fazenda. Após filiar-se ao MDB, o então ministro Henrique Meirelles deixou o cargo para concorrer às eleições deste ano. Ao assumir a Fazenda, Guardia disse que manteria a equipe no ministério. O ministro tem feito remajamentos, mas tem mantido os mesmos nomes na pasta.Mansueto Facundo de Almeida Jr. é técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Foi coordenador-geral de Política Monetária e Financeira na Secretaria de Política Econômica no Ministério da Fazenda, entre 1995 e 1997; assessor da Comissão de Desenvolvimento Regional e de Turismo do Senado Federal, de 2005 a 2006. De 2014 a 2016 foi consultor privado.Alexandre Manoel Angelo da Silva também é técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea. Foi subsecretário de governança fiscal e regulação de loteria, entre 2016 e 2018 na Sefel, coordenador-geral de política fiscal na Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda, em 2003 e 2004 e, posteriormente, em 2007 e 2008; e, e secretário municipal de projetos estratégicos na Prefeitura de Maceió, entre 2013 e 2016.

Agência Brasil

Comentários