14 de março de 2018, 13:25

SALVADORCarolino repudia tentativa de “censura à disciplina da UFBA”

O vereador Toinho Carolino (Podemos)

Em meio à polêmica sobre a disciplina optativa “Golpe de 2016” ofertada aos alunos da Universidade Federal da Bahia, o vereador Toinho Carolino (Podemos), destacou que está ao lado dos professores e da instituição, reconhecida pela resistência a investidas autoritárias. “Não devemos aceitar que o legislativo de nossa capital se posicione dessa forma para censurar disciplina de uma instituição de ensino. Além de ser desrespeitoso à sociedade e à comunidade universitária, se torna um perigoso precedente para cercear a liberdade dos professores em sala de aula e também atacar os direitos do povo brasileiro. Isso é uma atentado à democracia pois todos os trâmites foram obedecidos para que a disciplina fosse ofertada no curso. Democracia é debater os diversos pontos de vista e não impedir que outras formas de enxergar o mundo sejam abolidas. O debate é salutar e não deve ser tolhido, senão que educação seria essa?”, questionou indignado. “Estamos voltando ao tempo em que só era permitida uma única interpretação para uma suposta verdade. Um absurdo rito de perseguição. Apenas com a liberdade de expressão e debate, consegue-se chegar a um caminho. Estamos juntos com a UFBA, estamos solidários com o reitor João Carlos Salles, repudiamos a criminalização dos docentes e apoiamos a autonomia universitária, prerrogativa garantida pela Constituição”, enfatizou Carolino.