7 de dezembro de 2017, 11:14

SALVADORSetor varejista aplica mais de R$370 mi em Salvador em 2017

Foto: Divulgação

Quando lançados, nos meses de maio e junho deste ano, respectivamente, os eixos Simplifica e Negócios, do programa Salvador 360, tornaram-se divisores de água no que tange à desburocratização e implantação de novos empreendimentos na capital baiana. Capitaneados pela Prefeitura, via Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), os braços do programa já foram responsáveis, por exemplo, pela captação de R$ 1.865 bilhão em investimentos privados, sendo que R$ 375 milhões injetados somente pelo setor varejista, com a implantação de cinco grandes empresas apenas no segundo semestre de 2017.Juntas, Atakarejo, Assaí, Hiperideal, Pão de Açúcar e Rede Mix são responsáveis pela geração de 99 mil ocupações formais e informais, entre os meses de janeiro e novembro. A expectativa para 2018, apenas neste nicho, é de captar aproximadamente R$ 300 milhões. O número de alvarás para implantação desse tipo de equipamento da cidade cresceu mais de 90%, conforme detalhou o prefeito ACM Neto ontem (06), durante apresentação do programa Salvador 360 na sede da Federação das Indústrias de São Paulo. “Desde o lançamento, o Salvador 360 despertou interesse do setor empresarial, em especial no segmento varejista. Isso de deve à segurança transmitida pela gestão municipal, por meio da aprovação e implantação de uma nova legislação, a exemplo da Lei de Ordenamento do Uso e da Ocupação do Solo do Município de Salvador (Louos), do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) aprovados durante o primeiro mandato do prefeito ACM Neto. Esta base propiciou que a Prefeitura desenvolvesse um plano de desenvolvimento econômico – o Salvador 360, com objetivo de estimular e atrair de novos investimentos e promover a a geração de novos empregos”, explica o diretor-geral de Ações Estratégicas da Sedur, Humberto Garrido, que é responsável também pela atração de novos investimentos para a cidade.Enquanto o Simplifica facilita a vida de empreendedor, desburocratizando o processo de abertura de novos negócios, o Salvador Negócios consolida o desembarque destes empreendimentos na cidade. Para tanto, as empresas foram apresentadas a uma série de incentivos fiscais para os principais vetores da economia soteropolitana: construção civil, varejo, têxtil, turismo/hotelaria, economia criativa, teleatendimento/telecobrança, tecnologia e inovação.

Comentários