7 de dezembro de 2017, 11:44

BRASILDyogo prevê crescimento de 2,5% ou ‘até mais’ para PIB de 2018

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, avaliou que já se percebe entre os empresários até uma certa euforia com a economia brasileira. Em café de fim de ano com os jornalistas, ele afirmou que, após um ano bastante difícil, o 2017 termina com uma sinalização de recuperação muito forte da atividade econômica. Previu crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,5% ou “até mais” em 2018, mas advertiu que esse ritmo está aquém do potencial da economia brasileira. Para ele, o Brasil está entrando num ciclo econômico de crescimento saudável de oito a 12 anos. Ele advertiu que a continuidade desse processo dependerá da aprovação das reforma da Previdência. Segundo Dyogo, o crescimento em 2018 será equilibrado, ocorrendo em vários setores. “Não haverá um único setor puxando a economia”, previu. “Tivemos um ano em que a política econômica produziu efeitos muito importantes, depois de uma recessão profunda”, disse, que destacou que esse cenário não aconteceu por acaso, mas é fruto de um conjunto de medidas adotadas pelo governo nos últimos 18 meses. Na sua avaliação, esse quadro se reflete em indicadores concretos e expectativas. “O conceito dessas expectativas está baseado na continuidade do processo de reformas”, afirmou.Dyogo citou como o exemplo a queda do risco-País para 170 pontos nível menor comparando com o tamanho do serviço da dívida do setor público.Segundo ele, o chamado “carry-over” (crescimento transferido de um ano para outro) já está em 1%. “É pouco provável que tenhamos um PIB abaixo de 1% em 2017”, disse. Oliveira avaliou que o crescimento será bastante equilibrado.O ministro do Planejamento citou a recuperação do mercado de trabalho até mesmo surpreendendo em relação ao que se esperava inicialmente, com mais de 300 mil empregos e o desemprego caindo 13,7% para 12,2%. “Tudo isso cria uma base de segurança para o trabalhador e se reflete na expansão do consumo.

Estadão

Comentários