31 de agosto de 2017, 19:59

EXCLUSIVAOtto solta a voz, Dilma dá muchocho e Rui se esmera como anfitrião em Ondina

Foto: Política Livre/Emerson Nunes/Arquivo

A performance de Otto, acompanhado de violão, foi tão boa que ele quase foi aplaudido de pé

Quem soltou a voz no almoço de finzinho de tarde que Rui Costa (PT) ofereceu aos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff no Palácio de Ondina, no último final de semana, foi o senador Otto Alencar (PSD). Descontraído, deixou-se levar pelo clima de companheirismo e amizade do pequeno grupo reunido em torno do governador e cantou duas músicas acompanhado do violeiro contratado por Rui Costa para embalar o encontro na residência oficial.

A performance foi tão boa que Otto quase foi aplaudido de pé. Considerado um ótimo anfitrião, do tipo que não deixa ninguém parado nem de copo vazio, o governador circulou entre todos sem distinção, mas, na visão de presentes, teria ficado ligeiramente desapontado ao convidar Dilma Rousseff para se reunir àqueles que dançavam. – Agora, vou comer!, respondeu Dilma, do alto daquele conhecido jeito ríspido de ser.

Como ninguém deu pelota para ela, foi o único ponto dissonante da reunião íntima. A senadora Kátia Abreu (PMDB), que acompanhava a ex-presidente, chegou em clima oposto e não demorou a se incorporar à atmosfera relax do anfitrião e da primeira-dama, Aline Peixoto, que, segundo habitués de Ondina, é sempre muito simpática. Até Lula, que já admite a possibilidade da condenação em segunda instância, parecia em casa.

Caso a segunda condenação ocorra, o ex-presidente ficará impossibilitado de concorrer à Presidência em 2018. Convidado pessoalmente pelo governador para o encontro, o ex Jaques Wagner, atual secretário de Desenvolvimento Econômico, fez falta com seu estilo manso, mas deu prioridade a um pedido da mulher casa-cheia, Fátima Mendonça, para visitar um familiar que estava adoentado.

Comentários