19 de maio de 2017, 15:35

BRASILTemer discute estratégica jurídica e política de defesa

Foto: Divulgação

Presidente Michel Temer é citado em novos trechos da delação do empresário Joesley Batista

Diante da divulgação de novos trechos da delação do dono da JBS, Joesley Batista, citando o presidente Michel Temer, o governo dedicou a manhã desta sexta-feira, 19, a discutir estratégias jurídicas e políticas de defesa a serem desenvolvidas, não só por conta da instauração do inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), mas também pelos processos de abertura de impeachment no Congresso. Além da possibilidade, que ainda não foi descartada, de Temer voltar a fazer um pronunciamento rebatendo as acusações de ontem e das novas, que estão sendo divulgadas hoje, o presidente pensou até mesmo em delegar a um advogado, que poderia ser seu amigo Antônio Mariz, a missão de falar em seu nome, defendendo-o das acusações. Mariz se reuniu com Temer no Palácio do Jaburu ontem à noite, voltou lá na manhã de hoje e prosseguiu em conversas no Palácio do Planalto. A ideia que estava sendo discutida, neste final de manhã, é colocar um advogado rebatendo todos os ataques feitos ao presidente. A estratégia terá de ser feita em parceria com a área jurídica do governo, para não ter desacordo nos termos da defesa e conflito de informações. Mas o que será feito nestes termos, ainda está sendo objeto de discussão, para posterior decisão de Temer, em conversas com Mariz, o secretário de assuntos jurídicos da Casa Civil, Gustavo do Vale, e seus ministros mais próximos. Outra estratégia na qual o governo está trabalhando também é entrar na Justiça contra o empresário Joesley Batista, pelas acusações contra ele. Há ainda a possibilidade de Temer acionar o STF contra a abertura de inquérito. Outras ideias ainda estão discutidas e trabalhadas também como forma de mostrar que o presidente não está na defensiva e que não aceita as acusações e ilações que estão sendo feitas contra ele.

Estadão Conteúdo

Comentários