18 de maio de 2017, 18:55

“Quem não quer eleições tem medo do voto”, desafia Solla

Foto: Divulgação

Deputado Federal Jorge Solla

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) defendeu em plenário da Câmara nesta quinta-feira (18) a aprovação de emenda constitucional para antecipar as eleições gerais diretas para este ano. Para o parlamentar, a queda do presidente Michel Temer é “questão de tempo”, mas alerta para articulação da direita para manter o poder em eleição indireta. “Eu abro mão do resto do meu mandato para que tenhamos eleições gerais diretas para presidente, para deputados e senadores. O Brasil não aguenta mais um ano comandado por políticos sem legitimidade do voto. Quem estiver contra as eleições diretas está contra a democracia, está contra a vontade da população, tem medo da urna”, disse Solla. O deputado destacou que movimentos de rua por eleições diretas já começaram em todo o país e alertou para a articulação entre deputados do centro e da direita para evitar a escolha do futuro presidente pela população.”A grande imprensa já trata como única possibilidade a eleição indireta, quando não é verdade podemos aprovar uma PEC que defina as eleições diretas já. O PSDB e o DEM tentam costurar de toda maneira uma eleição indireta em que possam permanecer no poder até 2018 para forjar uma transição e tentar mudar a imagem pesada do golpe que carregam hoje diante a população. É uma estratégia suicida. Se negarem ao povo o direito ao voto nunca mais retornarão à política”, completou o petista.

Comentários