19 de abril de 2017, 16:09

EXCLUSIVAWagner acha que Neto é maior “prejudicado” em delações

Foto: Política Livre/Arquivo

Apesar de citado também na Lava Jato, Wagner acha que maior prejudicado é o democrata ACM Neto

Apesar das menções ao PT e às suas principais lideranças na Operação Lava Jato, a exemplo do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, o político petista acredita que, na Bahia, o maior prejudicado com as investigações e citações é o prefeito ACM Neto (DEM) e seu projeto de sair candidato ao governo em 2018. Wagner expressou esta opinião esta semana, durante reunião do Conselho Político do governador Rui Costa (PT), do qual participam os presidentes de todos os partidos da base aliada. Wagner disse não temer o noticiário sobre a Cerb – cuja dívida contraída pelo governo de João Durval nos anos 80 com a Odebrecht foi paga em sua gestão, mediante, segundo delatores da Odebrecht, um retorno de cerca de R$ 30 milhões para o partido do ex-governador – nem uma CPI na Assembleia para investigar a transação envolvendo a Companhia de Engenharia Rural da Bahia. No mesmo encontro, o senador Otto Alencar, presidente estadual do PSD, disse considerar difícil que ACM Neto renuncie a seu mandato na Prefeitura para se candidatar ao governo contra Rui Costa em 2018. Na mesma reunião, nem todos os presidentes de partidos aliados concordaram com a análise dos petistas. Um deles disse ao Política Livre, em tom de ironia, que “cada um acredita no que quer”, referindo-se às afirmações do ex-governador Jaques Wagner.

Comentários