19 de abril de 2017, 19:13

EXCLUSIVAPaulo Azi diz que Lava Jato torna 2018 inviável para Rui e Wagner

Foto: Divulgação/Arquivo

Paulo Azi reagiu a avaliação de Jaques Wagner de que ACM Neto seria prejudico pela Lava Jato

“O ex-governador Jaques Wagner precisa explicar o caso da dívida da Cerb, que, para ser quitada, ele teria cobrado uma propina de R$ 30 milhões para a campanha do governador Rui Costa, segundo o delator Claudio Mello Filho da Odebrecht”, reagiu agora há pouco o deputado federal Paulo Azi (DEM), ao tomar conhecimento de que, durante reunião do Conselho Político do governo Rui Costa, esta semana, em Salvador, o atual secretário estadual de Desenvolvimento Econômico disse que o prefeito ACM Neto (DEM) seria o maior prejudicado com citações na Operação de investigação do maior esquema de corrupção já descoberto no país. Além disso, disse Azi, “Rui é investigado pela Polícia Federal por ter recebido R$ 700 mil da OAS na campanha de 2014, escamoteado como trabalho publicitário. São situações que prejudicam 2018 para o petista”. O deputado democrata observou que “a obscura transação da qual o ex-governador Jaques Wagner é acusado de realizar “é apenas um dos escândalos que estão vindo à tona na Bahia, durante o período petista, pela operação Lava Jato”. Para o parlamentar, “Wagner deveria se preocupar com a justiça e não com eleição. Mas eles morrem de medo da candidata de ACM Neto”, disse Azi.

Comentários