20 de abril de 2017, 20:23

BRASILLéo Pinheiro diz que reformou triplex do Guarujá com ‘dinheiro de propina’

O empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, declarou em interrogatório ao juiz federal Sérgio Moro que para bancar a reforma no triplex do Guarujá – cuja propriedade a Lava Jato atribui ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – “usou dinheiro de propina”.Foi uma resposta ao questionamento do advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins.”O sr. usou valores provenientes da Petrobras para fazer alguma reforma nesse imóvel?”, perguntou o advogado.A Lava Jato sustenta que a empreiteira pagou R$ 3,7 milhões em propinas a Lula em troca de contratos com a estatal petrolífera. Parte desse valor teria sido usado nas obras do apartamento do Condomínio Solaris, que o petista nega ser dele.”Não, não, não”, respondeu o empreiteiro, já condenado na Lava Jato a 26 anos de prisão e que negocia delação premiada com a Procuradoria-Geral da República. “Usei valores de pagamento de propinas para poder fazer encontro de contas. Em vez de pagar X, paguei X menos despesas que entraram no encontro de contas. Só isso. Houve apenas o não pagamento do que era devido de propina.”

Comentários