19 de abril de 2017, 11:42

EXCLUSIVAEm resposta a governo, agora oposição quer CPI da Cerb

Foto: Arquivo/Estadão Conteúdo

Governo do Estado pagou dívida de R$ 260 milhões da Cerb à Odebrecht

Em retaliação ao arquivamento da CPI do Centro de Convenções, as oposições passaram a discutir a possibilidade de recolher assinaturas para criar uma nova CPI na Assembleia Legislativa da Bahia, destinada a investigar o pagamento de uma dívida milionária da Cerb pelo governo estadual à Odebrecht. O objetivo é contranger o governo e, mais especificamente, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner (PT), na gestão de quem a empreiteira teria recebido R$ 290 milhões por uma dívida contraída no ano de 1980 com a Cerb. Segundo delatores da Odebrecht disseram à Operação Lava Jato, desse valor, cerca de R$ 30 milhões, ou o equivalente a 10%, teriam sido repassados ao PT baiano. “O que não falta é elemento para investigação, ainda mais neste momento em que a Lava Jato passa o país a limpo”, disse um deputado de oposição que assume a articulação, segundo ele, por enquanto de forma sigilosa, pela instalação da nova CPI. Ele disse que já consultou o líder da oposição na Casa, Leur Jr. (PMDB), que deu o aval para que as assinaturas sejam recolhidas. A CPI do Centro de Convenções foi arquivada ontem, depois que, percebendo que não poderiam indicar o presidente do colegiado, as oposições resolveram tirar seus nomes e recorrer à Justiça contra a posição da maioria. A decisão, entretanto, acabou inviabilizando a instalação da CPI.

Comentários