21 de dezembro de 2016, 08:55

BAHIASeca na Bahia afeta mais de um milhão

Os últimos municípios na Bahia a terem reconhecida a situação de emergência pela Defesa Civil Nacional foram Andorinha, Belo Campo, Chorrochó, Gavião, Monte Santo e Sebastião Laranjeiras, localizados nas regiões do Centro Norte do Estado, São Francisco e Sudoeste, respectivamente. Juntos, eles têm uma população de aproximadamente 110 mil habitantes, que agora deverão ser abastecidas de água por carros-pipas. Do final do ano passado até agora, foram 277 municípios (65%) reconhecidos pelo Governo do Estado como em situação de emergência em todo o Estado. Destes, contudo, o Governo Federal reconheceu este ano 74, que tiveram os decretos homologados pelo Ministério da Integração. Mais de um milhão de moradores, basicamente localizados na zona rural, enfrentam problemas com o abastecimento de água, com a seca de rios, açudes e mananciais, e são socorridos em caminhões-pipas fornecidos pelo Exército. A seca na Bahia é considerada a pior dos últimos cinquenta anos. De acordo com os dados da Superintendência de Defesa Civil do Estado, 152 municípios estão sendo abastecidos por caminhões-pipas, que vêm de cidades dos estados de Pernambuco, Alagoas e Bahia, onde existem unidades do Exército. Os militares são do 72º Batalhão de Infantaria Motorizada (Petrolina), 35º Batalhão de Infantaria (Feira de Santana), 10º Batalhão de Caçadores (Salvador), 4º Batalhão de Engenharia de Construção (Barreiras), 28º Batalhão de Caçadores (Aracaju) e 1ª Companhia de Infantaria (Paulo Afonso). Ontem, além dos 74 municípios já efetivamente em situação de emergência, foram encaminhados os pedidos das prefeituras de Paulo Afonso, Sobradinho, Uauá, Poções e Correntina, que devem ser homologados pelo governador Rui Costa, além de dezenas de outras prefeituras que querem entrar na lista dos municípios em situação de emergência, mas não cumpriram os requisitos técnicos necessários.

Tribuna da Bahia

Comentários