28 de fevereiro de 2012, 13:50

EXCLUSIVAEXCLUSIVO: Políticos deixam reunião do conselho político de Wagner convencidos de que sucessão municipal não é prioridade

Foto: Manu Dias/Secom

Jaques Wagner discursa durante a reabertura da Assembleia Legislativa

Os políticos que participaram ontem da reunião do conselho político do governo Jaques Wagner (PT) saíram com uma avaliação: não faz parte dos planos do governador priorizar as eleições deste ano, mesmo em municípios importantes e estratégicos – a exemplo de Salvador e Feira de Santana, para citar os mais destacados. Ele estaria olhando muito mais adiante, isto é, para a sua própria sucessão, em 2014, quando, aí sim, quer que todos os aliados trabalhem juntos e coesos. Por este motivo, não fará exigências de unidade para os aliados já para outubro, nem para Salvador -onde a conquista da Prefeitura é um sonho antigo do PT -, deixando que a disputa corra mais ou menos solta entre os partidos da base a fim de evitar o surgimento de arestas ou fraturas desnecessárias por agora. Um sinal para aqueles aliados que pretendiam barganhar apoio ao deputado federal Nelson Pelegrino à Prefeitura de Salvador em troca, por exemplo, de mais espaço no governo estadual, de que a missão pode se tornar impossível.

Raul Monteiro

Comentários