23 de maio de 2010, 19:21

Aliados de Serra ainda sonham com Aécio para vice

Em Minas Gerais, em ano eleitoral, é sabido que “decisão política só se toma depois que passa a procissão do Senhor morto”. A máxima foi perpetuada pelo precavido Tancredo Neves, que tinha a Semana Santa como prazo confortável para o início das costuras políticas decisivas. Pois a procissão do Senhor Morto, na sexta-feira da Paixão, passou há 51 dias e muitas decisões ainda estão por ser tomadas no Estado. Analistas do quadro sucessório entendem que a volta do neto de Tancredo, o ex-governador Aécio Neves (PSDB), a Minas, irá acelerar as negociações para a disputa ao governo do Estado e também para a corrida ao Palácio do Planalto. Aécio volta da viagem que fez ao exterior sob forte pressão para que aceite a vaga de vice na chapa presidencial do tucano José Serra. A última investida aconteceu na sexta-feira, 21, quando o PPS do deputado Roberto Freire voltou a defender que o seu nome é o ideal para fortalecer a chapa tucana. Leia mais no Terra Magazine.

Comentários