22 de dezembro de 2008, 11:24

Governador minimiza conflito com PMDB e prefeito João Henrique

O governador Jaques Wagner (PT) minizou há pouco, em entrevista à TV Bahia, os conflitos existentes entre seu governo, o PT, o PMDB e o prefeito João Henrique, argumentando que há um tensão natural decorrente da sucessão municipal e que teve uma conversa recente com o ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional).

“A previsão é de que a gente (governo e PMDB) continue unido, fazendo a sucessão do presidente Lula e a minha aqui no estado”, disse Wagner, observando que a disputa pela presidência da Assembléia Legislativa tem uma particularidade e não representa uma disputa entre PT e o partido do ministro.

Segundo Wagner, a posição do PT na Câmara Municipal dependerá exclusivamente da postura do prefeito João Henrique (PMDB) no sentido de querer ou não o partido na base. Ele voltou a dizer que, na hipótese de o PT ficar na oposição a João Henrique, será tratado com o mesmo respeito com que trata prefeitos que não o apoiaram em 2006.

“O que for de interesse da cidade, trataremos. Se ele decidir ficar na oposição, trataremos como um prefeito de oposição, mas ainda está muito cedo, nem ocorreu a posse ainda”, minimizou o governador.

Comentários