26 de março de 2008, 09:26

Cheio de referências e mensagens veladas, discurso de Wagner ainda ecoa entre militantes e aliados

Pelo menos duas, entre as inúmeras frases fortes que o governador Jaques Wagner disse ontem na festa de posse dos novos presidentes do PT, continuam ecoando entre militantes do partido e forças aliadas que prestigiaram o evento, realizado pela manhã no Fiesta Convention Center.

A primeira foi a cobrança para que o comando do partido não depreze o desejo da militância, o que foi interpretado como um recado para a disputa municipal em Feira de Santana, que já escolheu Sérgio Carneiro candidato a prefeito em prévias, e em Salvador, onde as bases exigem o lançamento de candidatura própria.

A segunda teve destino mais amplo e difuso, mas foi claramente dita pelo governador e limpidamente ouvida pelos presentes: “Não me peçam para ser o títere do partido nem da coligação. Posso ser no máximo o comandante, mas não o ditador do partido nem da coligação”.

Comentários